Dicionário, Silêncio e História

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/lil.v26iEspecial.8671256

Palavras-chave:

Silêncio, Dicionário, História, Análise de Discurso, Lexicografia]

Resumo

Neste trabalho visamos compreender a relação do dicionário com o silêncio e a história. Com base nas concepções de E. Orlandi, de uma perspectiva discursiva, tratamos de  formas de silêncio ligadas ao processo de dicionarização no Brasil. Atentamos para a distinção entre silêncio constitutivo e silêncio local, para a relação entre palavra e silêncio, a completude/incompletude do discurso e a intertextualidade e interdiscursividade. Considerando trabalhos anteriores e novos materiais, abordamos verbetes de dicionários ligados a diferentes condições de produção. Por fim, refletimos sobre como a noção de silêncio contribui para os estudos discursivos dos dicionários.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

José Horta Nunes, Universidade Estadual de Campinas

Doutor em Linguística pela Universidade Estadual de Campinas. Pós-doutorado na Ecole Normale Supérieure de Lyon (França). Pesquisador do Labeurb/ Nudecri da Universidade Estadual de Campinas.

Referências

ANCHIETA, J. de. Artes de Gramática da Língua mais usada na costa do Brasil. São Paulo: Loyola, 1990.

AUROUX, Sylvain. A Revolução Tecnológica da Gramatização. Campinas: Editora da Unicamp, 1992.

AYROSA, Plínio. Vocabulário na Língua Brasílica. São Paulo: Coleção Departamento de Cultura, Vol. XX, 1938.

AYROSA, Plínio. Diccionario Portuguez-Brasiliano e Brasiliano-Portuguez. Reimpressão integral da edição de 1795, seguida da 2a. parte, até hoje inédita. In: Revista do Museu Paulista, t. XVIII, São Paulo, 1934.

BLUTEAU, R. Vocabulário Português e Latino. Lisboa: Colégio das Artes da Companhia de Jesus, 1712-1728.

DIAS, A. Gonçalves. Diccionario da Lingua Tupy chamada Língua Geral dos indígenas do Brasil. Leipzig: F. A. Brockhaus, 1858.

FERREIRA, Aurélio Buarque de Holanda. Novo Dicionário Aurélio da Língua Portuguesa. Rio de Janeiro: Editora Nova Fronteira. 1975.

FREIRE, Laudelino. Grande e Novíssimo Diccionário da Língua Portuguesa. 5 vols. Rio de Janeiro: A Noite, 1939-44.

FREIRE, Laudelino. Grande e Novíssimo Dicionário da Língua Portuguesa. 3a ed. Rio de Janeiro: Livraria José Olympio, 1957.

GANDAVO, Pero de Magalhães. Tratado da Terra do Brasil. Brasília: Senado Federal, Conselho Editorial, 2008)

HOUAISS, Antônio; VILLAR, Mauro de Salles. Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa. Rio de Janeiro: Instituto Antônio Houaiss de Lexicografia e Banco de Dados da Língua Portuguesa, 2001.

MARIANI, Bethania. Colonização Linguística. Campinas: Pontes, 2004.

MARTINS, Maria de Lourdes de Paula. “Vocabulários tupis - o problema VLB”. Boletim Bibliográfico, 13.São Paulo: Biblioteca Pública Municipal de São Paulo, 1949.

MAZIÈRE, Francine. Un Prêt à Parler: le dictionnaire. Paris: Presses Universitaires de France, 1997.

MAZIÈRE, Francine. Enunciado definidor: discurso e sintaxe. Guimarães (org.) História e Sentido na Linguagem. Campinas: Editora RG. 2008.

NUNES, José Horta Dicionários no Brasil: análise e história do século XVI ao XIX. Campinas: Pontes; São Paulo: FAPESP; São José do Rio Preto: FAPERP, 2006.

ORLANDI, Eni Puttinelli. A fala de muitos gumes (as formas do siêncio). In: A Linguagem e seu Funcionamento. Campinas: Pontes Editores. Campinas: Pontes Editores, 1987.

ORLANDI, Eni Puttinelli. Terra à Vista: discurso do confronto: velho e novo mundo. Campinas/São Paulo: Editora da UNICAMP/Cortez, 1990.

ORLANDI, Eni Puttinelli. As formas do Silêncio – No Movimento dos Sentidos. Campinas: Editora da UNICAMP, 1992.

ORLANDI, Eni Puccinelli. Vão surgindo sentidos. In Discurso Fundador: a formação do país e a construção da identidade nacional. Campinas: Pontes Editores, 1993.

ORLANDI, E. P. Interpretação. Petrópolis: Vozes, 1996.

ORLANDI, Eni Puttinelli. Lexicografia Discursiva. Alfa. São Paulo: 44: 1-395, 2000. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/alfa/article/view/4201/3797,

ORLANDI, Eni Puccinelli. (Org.) História das Ideias linguísticas - Construção do Saber Metalinguístico e constituição da língua nacional. Campinas: Pontes; Cáceres: Unemat, 2001.

ORLANDI, Eni Puccinelli. Língua Brasileira e Outras Histórias. Campinas: RG Editora, 2009.

PÊCHEUX, Michel. Ler o arquivo hoje. In. ORLANDI, Eni P. (org) [et. al.]. Gestos de leitura: da história no discurso. Campinas: Editora da Unicamp, 1994.

PEQUENO DICIONÁRIO Brasileiro da Língua Portuguesa. Organizado por um grupo de filólogos. Rio de Janeiro/São Paulo: Civilização Brasileira S/A Editora, 1938.

ROUDINESCO, Elisabeth.; PLON, Michel. Dicionário de Psicanálise. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 1998.

SILVA, Antônio de Morais. Diccionario da Língua Portuguesa. Lisboa: Oficina de Simão Thaddeo Ferreira, 1789.

Downloads

Publicado

2022-11-23

Como Citar

NUNES, J. H. Dicionário, Silêncio e História. Línguas e Instrumentos Línguísticos, Campinas, SP, v. 25, n. n.esp, p. 27–41, 2022. DOI: 10.20396/lil.v26iEspecial.8671256. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/lil/article/view/8671256. Acesso em: 30 nov. 2022.