Banner Portal
Sobre teoria e método em semântica da enunciação
PDF

Palavras-chave

Articulação
Método
Reescrituração
Cena enunciativa
Semântica da enunciação
Espaço de enunciação

Como Citar

GUIMARÃES, Eduardo. Sobre teoria e método em semântica da enunciação. Línguas e Instrumentos Linguísticos, Campinas, SP, v. 26, n. 51, p. 116–134, 2023. DOI: 10.20396/lil.v26i51.8671816. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/lil/article/view/8671816. Acesso em: 28 maio. 2024.

Resumo

O objetivo deste texto será apresentar a constituição do que tenho chamado semântica do acontecimento enquanto uma semântica da enunciação. O percurso central do texto será, partindo do conceito de espaço de enunciação, decisivo nessa configuração da semântica, tratar de conceitos metodológicos como cena enunciativa, e de conceitos descritivos como articulação e reescrituração. Deste modo espera-se mostrar as eventuais relações e diferenças com domínios como os das pragmáticas, por exemplo. Teoricamente considera-se que a constituição do sentido é enunciativa, produzida pelas relações políticas dos espaços de enunciação e da cena enunciativa. É nestas condições que tomamos o funcionamento da língua, tal como Benveniste, como o que caracteriza a enunciação, mas tomamos esta característica no quadro teórico em que nos movimentamos, tratando assim o funcionamento como um agenciamento produzido pelo acontecimento.

https://doi.org/10.20396/lil.v26i51.8671816
PDF

Referências

ALVES FILHO, I. Brasil, 500 Anos em Documentos. Rio de Janeiro, Mauad, 1999.

ANCHIETA, J. “Informação do Brasil e de suas Capitanias”. In Cartas. Informações, Fragmentos, Histórias e Sermões. Civilização Brasileira, 1933 (1584).

BACHELARD, G. O Novo Espírito Científico, Rio de Janeiro, Tempo Brasileiro, 1968 (1934).

BALLY, Ch. Linguistique Générale et Linguistique Française. Francke Berne, 1965 (1932)

BRÉAL, M. Ensaio de Semântica. Campinas Pontes, 1992 (1897).

CUNHA, A.G. Dicionário Histórico das Palavras de Origem Tupi. São Paulo, Melhoramentos/UnB, 1978.

DEULEUZE, G. e GUATTARI, F. Mil Platôs, Vol. 2. Rio de Janeiro, 34, 1997 (1980).

HANSEN, J. A. Manuel da Nóbrega. Fundação Joaquim Nabuco / Massanguana, Recife, 2010

DUCROT, O. “Esboço de uma Teoria Polifônica da Enunciação”. In Dizer e não Dizer. Campinas, Pontes, 1984.

GUIMARÃES, E. Texto e Argumentação. Campinas, Pontes, 1987.

GUIMARÃES, E. Semântica do Acontecimento. Campinas, Pontes, 2002.

GUIMARÃES, E. “Domínio Semântica de Determinação”. In A Palavra. Forma e Sentido, Campinas, Pontes/RG, 2007.

GUIMARÃES, E. “Enumeração: Funcionamento enunciativo e Sentido”. Caderno de Estudos Linguísticos, 51 (1), DL-IEL, Unicamp, 2009.

GUIMARÃES, E. “Espaço de Enunciação, Cena Enunciativa,Designação”. Fragmentum, 40. Santa Maria, UFSM, 2014.

GUIMARÃES, E. Semântica: Enunciação e Sentido. Campinas, Pontes, 2018.

GUIMARÃES, E. “Designar e Argumentar. Em torno de uma Divisão “Intransponível”, no. 25. UFRGS, Porto Alegre, 2021.

ORLANDI, E. P. A Linguagem e seu Funcionamento. Pontes, Campinas, 2001 (1983).

ORLANDI, E. P. Terra à Vista. São Paulo, Cortez / Editora da Unicamp, 1990.

RANCIÈRE, J. O Desentendimento. Rio de Janeiro, 34, 1996 (1995).

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.

Copyright (c) 2023 Línguas e Instrumentos Linguísticos

Downloads

Não há dados estatísticos.