Banner Portal
A máquina de enxergar
PDF

Palavras-chave

Teoria causal da percepção
Filosofia da ciência
Função e percepção
Inteligência artificial

Como Citar

TEIXEIRA, J. de F. A máquina de enxergar. Manuscrito: Revista Internacional de Filosofia, Campinas, SP, v. 14, n. 2, p. 49–72, 1991. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/manuscrito/article/view/8666792. Acesso em: 22 fev. 2024.

Resumo

O artigo trata de problemas filosóficos relativos à percepção visual humana e discute a possibilidade de sua simulação através de recursos mecânicos/artificiais. A primeira parte enfoca a teoria causal da percepção e mostra algumas de suas dificuldades conceituais. Na seção II esta discussão prossegue, e analisamos alguns refinamentos que podem ser introduzidos na versão tradicional da teoria causal da percepção na tentativa de reabilitá-la. A seção III esquematiza um modelo alternativo para conceber a relação perceptual, baseado na noção de função biológica. Finalmente, na seção IV, voltamos a discutir a possibilidade de construir uma máquina de enxergar, à luz do modelo biológico/naturalista introduzindo na seção anterior. 

PDF

Referências

Davies, M.E. (1983). Function in perception. Australasian Journal of Philosophy 61: 409-26.

Hull, D. (1974). The Philosophy of Biological Science. Englewood Cliffs, N.J.: Prentice Hall.

Kant, I. (1980). Crítica da Razão Pura, trad. De Valério Rohden & U.Mossburger. São Paulo: Abril Cultural.

Leibniz. G.W. (1979). A Monadologia, Trad. Marilena S. Chauí. São Paulo: Abril Cultural.

Lettvin, J.Y. & Maturana, A. (1959). What the frog’s eye tells the frog’s brain. Proceedings of the institute of Radio Engineers (1959), pp. 1940-51.

Lewis, D. (1980). Veredical hallucination and prostheitic vision. Australasian jornal of Philosophy 58: 239-45.

Marr, D. (1982). Vision. New York: Freeman.

Peacocke, C. (1979a). Holistic Explanation. Oxford: Oxford University Press.

Peacocke, C. (1979b). Deviant causal chains. Midwest Studies in philosophy 9: 123-155.

Shimony, A. (1971). Perception from na evolutionary point of view. Journal of Philosophy 68: 571-91.

Smith, D.W. (1979). The case of Exploding perception. Synthese 41: 239-69.

Smith, D.W. (1984). Content and contexto of perception. Synthese 61: 61-87.

Teixeira, J.F. “Inteligência artificial e caça aos androides”. Psicologia, n. esp., agosto 1990.

Winograd, T. & Flores, F. (1986). Understanding Computers and Congnition. Norwood, N.J.: Ablex.

Walter, W.G. (1953). The Living Brain. London: Duckworth.

Wright, L. (1973). Functions. Philosophical Review 82: 139-227.

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 1991 Manuscrito: Revista Internacional de Filosofia

Downloads

Não há dados estatísticos.