Foco e Escopo

Revista Brasileira de Inovação (RBI) é um periódico multidisciplinar com foco em estudos da inovação. Tem o propósito de servir ao debate acadêmico sobre a inovação e os avanços científicos e tecnológicos e seus impactos econômicos, sociais, organizacionais e ambientais, contribuindo para a disseminação de novos conhecimentos e para a formulação de políticas públicas e a gestão de organizações privadas. De circulação nacional e internacional, a RBI publica dois números anuais em formato online e em acesso aberto, conta com avaliação double-blind e está aberta à comunidade científica para submissões de artigos originais e inéditos, de natureza teórica ou aplicada, resultados de pesquisas, bem como de trabalhos que contribuam para o resgate da história das instituições, sobretudo brasileiras, no campo da ciência, da tecnologia e da inovação. Os artigos podem ser submetidos em inglês, espanhol ou português. 

 A abreviatura do título da Revista Brasileira de Inovação a ser usada em bibliografias, notas de rodapé e em referências e legendas bibliográficas é Rev. Bras. Inov..

 

Processo de Avaliação pelos Pares

Os artigos submetidos à RBI passam por três etapas de avaliação no decorrer do processo editorial: 1) Verificação de Formato – realizada pela secretaria executiva; 2) Avaliação de Admissão – realizada pela equipe editorial (editor, editor adjunto e editores associados) e; 3) Avaliação de Mérito – realizada pelos pareceristas anônimos. Na RBI o processo de submissão e avaliação de artigos é realizado através de sistema online.  

A etapa de Verificação de Formato avalia se o manuscrito se enquadra no escopo da Seção para a qual foi enviado e sua adequação às normas da revista. Nesta etapa também se verifica se o artigo apresenta elementos que possam revelar a autoria, como a existência de nomes de autores no manuscrito, autocitações e agradecimentos. Sendo aprovado nesta primeira etapa, o manuscrito segue para a Avaliação de Admissão, realizada pela equipe editorial, a fim de verificar o enquadramento do artigo às linhas temáticas da RBI, sua relevância e contribuição científica para a área. Os artigos que deixam de cumprir qualquer um dos requisitos são recusados pela editoria. Neste caso, o autor é notificado em um prazo aproximado de 15 dias.

Uma vez acolhido no processo editorial, o artigo é encaminhado a pareceristas externos, de instituições diferentes da instituição do autor e com qualificação e experiência de pesquisa no tema do artigo. A avaliação é feita no sistema double blind review. A indicação de pareceristas é de responsabilidade da editoria e é feita com base, sobretudo, no conhecimento dos editores sobre as atividades de pesquisa nas várias instituições e sobre as relações entre pessoas e grupos de pesquisas no meio acadêmico. Desse modo, pretende-se evitar possíveis conflitos ou incompatibilidades que possam prejudicar a avaliação. Para auxiliar a escolha dos pareceristas, os editores contam com um banco de dados construído no portal da revista com informações obtidas por meio de consulta a bases de dados, brasileiras e internacionais, de currículos de pesquisadores da área (como o Sistema de Currículos Lattes, do CNPq – Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico). Destaca-se que os pareceristas que têm colaborado com a RBI representam as melhores capacitações nas várias áreas de abrangência da revista.

A partir da indicação de pareceristas, a equipe editorial procede a uma consulta prévia aos nomes indicados para saber da disponibilidade e interesse em emitir o parecer solicitado. Essa consulta é feita por meio do sistema eletrônico da RBI, que remete o título e o resumo do artigo, sem identificação de autor(es) ou instituição(ões). Caso um ou mais dos pareceristas consultados não aceite ou não tenha disponibilidade para emitir o parecer, os editores indicam outros nomes em substituição.

Em seguida, o artigo é disponibilizado aos pareceristas via sistema eletrônico, sem identificação de autoria, da mesma forma que ao autor não é revelada a identificação dos pareceristas, consoante com as práticas do sistema double blind review. Tendo em vista orientar a avaliação do artigo, são enviadas aos pareceristas as diretrizes de avaliação que devem ser levadas em consideração na elaboração do parecer com os pontos considerados essenciais. No entanto, não é objetivo cercear a liberdade de avaliação do parecerista, seja em termos de tamanho ou de conteúdo do parecer. Estabelece-se também que os pareceres devem ser conclusivos em termos de uma entre várias opções disponíveis no sistema eletrônico da revista: 1) Aceitar; 2) Correções obrigatórias; 3) Submeter novamente para avaliação; 4) Submeter a outra revista; 5) Rejeitar e 6) Ver Comentários. O prazo para emissão do parecer é de até 04 semanas.

Após o recebimento das avaliações dos pareceristas, a decisão editorial é tomada pelos editores, a partir das recomendações dos pareceristas. Aos editores cabe também a decisão de solicitar novas avaliações, de novos pareceristas, caso haja controvérsias ou se considere que os pareceres recebidos sejam divergentes ou insuficientes. Nesses casos, a decisão editorial é adiada até o recebimento das novas avaliações.

De posse das avaliações, os editores tomam a decisão editorial, que será uma das três alternativas: “Aprovado”; “Recusado”; “Efetuar Modificações”.

Se a decisão editorial for “Aprovado”, o autor é informado da aprovação pela editoria (ou pela secretaria executiva), que encaminha uma mensagem juntamente com as avaliações recebidas. Em seguida, o artigo é encaminhado para a edição.

No caso de artigo “Recusado”, o autor receberá uma mensagem da editoria que explicita os motivos da recusa, e que ainda contém as avaliações dos pareceristas. Nesse caso, a submissão é encerrada e arquivada no sistema eletrônico da RBI.

Se a decisão editorial for “Efetuar Modificações”, o autor será notificado por meio de mensagem contendo a decisão editorial e as avaliações dos pareceristas. O autor terá um prazo de 30 (trinta) dias para encaminhar à RBI o artigo revisado, sempre por meio do sistema eletrônico da RBI. Depois de encaminhada a versão revisada, os editores têm um prazo de 07 (sete) dias para verificar se o manuscrito atende ou não às exigências dos pareceristas. Cabe também aos editores a decisão de encaminhar a versão revisada do manuscrito aos pareceristas, para que seja realizada nova avaliação. Idealmente, a versão revisada do manuscrito deve ser encaminhada aos mesmos avaliadores da versão original. Porém, os editores podem solicitar novas avaliações a novos pareceristas sempre que julgarem necessário, ou no caso de indisponibilidade dos pareceristas originais. O processo de avaliação só termina quando os editores tomarem a decisão editorial final de “Aprovado” ou “Recusado”.

Casos de exceção serão levados ao Conselho Editorial da revista. Em suas resoluções a revista toma como referência o COPE - Committee on Publication Ethics.

Em resumo, as etapas do processo de avaliação dos artigos submetidos à RBI são as seguintes:

A – Verificação de Formato

Esta etapa é realizada pela secretaria executiva e verifica se o manuscrito:

  1. se enquadra no escopo da Seção para onde foi enviado;
  2. obedece às Normas de Publicação da RBI;
  3. contém ou não identificação dos autores no corpo do texto.

B – Avaliação de Admissão

É feita pela equipe editorial que verifica:

  1. o enquadramento do artigo às linhas temáticas da RBI
  2. sua relevância e contribuição científica para a área.

C – Avaliação de Mérito

Nesta etapa, os pareceristas analisam os seguintes aspectos:

  1. relevância do tema do artigo para as áreas de interesse da RBI;
  2. qualidade e originalidade do artigo, destacando seus pontos fortes e seus pontos fracos;
  3. adequação do referencial teórico e da abordagem metodológica;
  4. contextualização no estado da arte do conhecimento já estabelecido sobre o tema;
  5. clareza quanto aos objetivos e resultados;
  6. contribuição do trabalho para o debate sobre o tema estudos da inovação.

Destaca-se no processo editorial da RBI a importância do papel dos editores (Editor, Editor Adjunto e Editores Associados) para a credibilidade da revista, a fim de seguir rigorosamente as normas editoriais e manter a periodicidade de circulação. Os editores, por sua experiência na área de publicações científicas e pelo seu renome entre os pares, são responsáveis por garantir os níveis de excelência no processo de avaliação dos artigos submetidos, exercendo a prerrogativa de indicação dos pareceristas e acompanhando todo o processo editorial. Nessa tarefa, os editores contam com a valiosa contribuição da comunidade acadêmica.

A produção da revista depende ainda, de modo fundamental, dos trabalhos da gerência de operações, que envolve secretaria, preparação de textos e editoração da revista. O trabalho da gerência de operações inclui ainda: elaboração de relatórios periódicos de acompanhamento dos artigos em processo de avaliação, atendimento de telefonemas e mensagens eletrônicas dirigidas à RBI, recebimento e processamento de correspondência da revista (autores, pareceristas e leitores), controle do cadastro de assinantes da RBI através de correio eletrônico, atualização da página da revista no sistema eletrônico e nas demais bases indexadoras, realização de reuniões periódicas com os editores, preparação dos originais, revisão de texto e provas dos trabalhos aceitos para publicação, e preparação e atualização do banco de pareceristas da RBI.

 

Políticas de Seção

Editorial

Seção dedicada a editoriais escritos pelos editores da revista ou por autores convidados.

Artigos Originais

Esta seção publica artigos inéditos e originais que contribuam para o avanço do conhecimento teórico e/ou empírico das respectivas áreas de interesse da revista. Para submeter um artigo à RBI, devem ser observadas as Diretrizes para Autores e as Condições para Submissão. Artigos originais devem submetidos via SEER, o sistema de submissão da RBI, na seção chamada "Artigos". A editoria da revista recomenda que os artigos submetidos contenham em torno de 8.000 palavras.

Memória

A seção Memória publica trabalhos que busquem resgatar a história das instituições científicas e tecnológicas, sobretudo brasileiras. Para submeter um trabalho à RBI, devem ser observadas as Diretrizes para Autores e as Condições para Submissão. Os trabalhos devem submetidos via SEER, o sistema de submissão da RBI, na chamada seção "Memória". Recomenda-se que publicações da seção Memória tenham em torno de 8.000 palavras.

Resenha

Esta seção se dedica à publicação de resenhas (análise crítica) de livros, publicados nos últimos três anos, relacionados ao tema “estudos da inovação” e que estejam alinhados ao escopo editorial da revista. A submissão de resenhas deve ser realizada via SEER, o sistema de submissão da RBI, na seção "Resenha" e sua aprovação é feita pelos editores da revista. Para submeter uma resenha à RBI, devem ser observadas as Diretrizes para Autores e as Condições para Submissão. A editoria recomenda que as resenhas contenham em torno de 1.000 palavras.

Artigo de Revisão

A característica do artigo de revisão é a de constituir uma discussão ampla e de natureza crítica, com contribuições do autor ao debate, sobre um tema específico relacionado às áreas de interesse da RBI. Deve ser submetido da mesma forma que um artigo comum, via SEER - o sistema de submissão da RBI -, na seção "Artigo de Revisão" e seguir as mesmas normas dos artigos. Para submeter um artigo de revisão à RBI, devem ser observadas as Diretrizes para Autores e as Condições para Submissão. A editoria da revista recomenda que os artigos de revisão contenham em torno de 8.000 palavras.

 

Periodicidade

A partir de 2017 a RBI passou a adotar o sistema de publicação em fluxo contínuo a fim de seguir as tendências internacionais de publicações científicas. Na prática isso significa que à medida que um artigo aprovado para publicação esteja pronto e editorado, ele será publicado.

 

Política de Acesso Livre

A RBI oferece acesso livre ao seu conteúdo em formato PDF (Portable Document Format), seguindo o princípio de que disponibilizar gratuitamente o conhecimento científico ao público proporciona maior democratização mundial do conhecimento. Os artigos da RBI são publicados sob Licença Creative Commons CC-BY (https://creativecommons.org/licenses/by/4.0/deed.pt_BR). 

 

Arquivamento

Esta revista utiliza o sistema LOCKSS para criar um sistema de arquivo distribuído entre as bibliotecas participantes e permite às mesmas criar arquivos permanentes da revista para a preservação e restauração. 

 

Estrato Qualis-CAPES (2013-2016)

 

Esquema de Classificação JEL

 

 

Taxas para submissão e publicação de textos

Revista Brasileira de Inovação (RBI) não cobra nenhuma taxa por textos publicados e tampouco pelos submetidos para avaliação, revisão, publicação, distribuição ou download. A publicação é totalmente gratuita. Os artigos da RBI são publicados sob Licença Creative Commons CC-BY (https://creativecommons.org/licenses/by/4.0/deed.pt_BR). 

 

Declaração de Ética na Pesquisa e Boas Práticas

A RBI dedica-se a cumprir as boas práticas no que diz respeito à conduta moral condizente com a editoração cientifica de periódicos. A prevenção da negligência também é uma responsabilidade crucial do editor e da equipe editorial: qualquer forma de comportamento antiético, o que inclui o plágio e a fraude de dados em qualquer instância, são repelidos na RBI. Os autores que enviam artigos para a revista declaram que seu conteúdo é original e garantem que o trabalho não foi publicado nem está em processo de revisão/avaliação em nenhum outro periódico. A revista tem por base as boas práticas em todas as etapas editoriais e segue as recomendações de Boas Práticas e Orientação do COPE (Comitee on Publication Ethics) bem como tem como referência o manual de boas práticas da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP).

A Editoria da RBI preza pela ética e pela boa conduta em todas as suas práticas, o que inclui editores, pareceristas e autores, que são estimulados a conhecer as orientações da COPE e da FAPESP. 

A editoria da RBI se utiliza de ferramentas eletrônicas para a detecção de plágio (e autoplágio), tendo como base a plataforma TurnitIn, e rejeita automaticamente os manuscritos que apresentam esse tipo de conduta. A RBI, seguindo as definições formuladas pela FAPESP, entende por plágio a utilização de ideias ou formulações verbais, orais ou escritas de outrem sem dar-lhe por elas, expressa e claramente, o devido crédito, de modo a gerar razoavelmente a percepção de que sejam ideias ou formulações de autoria própria.

Havendo casos de suspeita de plágio, estes serão investigados com rigor acadêmico e ético buscando fazer com que as dúvidas sejam eliminadas. Após apuração, se necessário, esclarecimentos, correções e retratações serão publicados pela revista. 

O editor-chefe tem autoridade para deliberar livremente a aprovação ou a rejeição de artigos. Os artigos submetidos são considerados confidenciais em todas as etapas do processo de avaliação. A avaliação dos artigos é guiada exclusivamente pelo mérito científico. 

A RBI aceita a submissão de artigos apresentados em eventos desde que o artigo seja submetido seguindo as normas da RBI e de que seja registrado em documento adicional, separado do artigo, o evento, o local e o ano em que se deu a apresentação do trabalho. Aceitam-se também artigos oriundos de teses e dissertações, desde que seja do mesmo autor da submissão e que o artigo apresentado siga as diretrizes para autores da RBI.

A revista solicita para cada artigo a designação de contribuição dos autores. Esta deve ser apresentada na Folha de Rosto e deve responder aos seguintes tópicos:  A. fundamentação teórico-conceitual e problematização; B. pesquisa de dados e análise estatística; C. elaboração de figuras e tabelas; D. elaboração e redação do texto; E. seleção das referências bibliográficas.

A revista solicita para cada artigo a indicação de conflito de interesse. Assim, deve-se enviar a declaração sobre conflito de interesse na Folha de Rosto. Havendo potenciais conflitos de interesse estes devem ser declarados em texto curto e claro. Em caso de não haver conflito de interesse isto também deve ser indicado com a frase “Não há conflitos de interesse”. 

Havendo questões de cunho ético, relativas aos artigos, estas serão investigadas tendo por base as diretrizes do COPE e da FAPESP.

De acordo com a FAPESP, como mencionado, entende-se por plágio a utilização de ideias ou formulações verbais, orais ou escritas de outrem sem dar-lhe por elas, expressa e claramente, o devido crédito, de modo a gerar razoavelmente a percepção de que sejam ideias ou formulações de autoria própria.

  • Autores: ao prepararem suas submissões, devem estar atentos para 1) considerar como autor somente aqueles que participaram ativamente da discussão dos resultados e também da revisão e da aprovação da versão final do artigo, 2) referenciar e citar corretamente todos os dados e interpretações de outras publicações das quais fez uso no artigo, 3) reportar qualquer conflito de interesse existente, 4) informar as contribuições de cada autor para o trabalho; 5) informar as fontes de financiamento do trabalho (se houver), 6) havendo necessidade, realizar retratações e correções de erros.
  • Revisores: recebendo o convite para avaliação, devem estar comprometidos a 1) caso existam conflitos de interesse, recusar o convite, 2) realizar eles mesmos a avaliação, 3) realizar o aceite de convite para avaliação quando tiver disponibilidade para fazê-lo e para cumprir o prazo estipulado; 4) manter sigilo absoluto sobre os textos revisados.
  • Editores: devem estar atentos a 1) garantir a avaliação por pares tendo em vista a isenção e a imparcialidade, 2) garantir a revisão cega por pares (double-blind) entre revisores e autores, 3) avaliar e investigar os casos em que se observa má conduta e falta de atitude ética, 4) não permitir que interesses financeiros possam comprometer a ética na publicação, 5) zelar para que não ocorra plágio ou resultados fraudulentos na publicação. 

 

Integridade e Prevenção de Plágio / Integrity and Prevention of Plagiarism

A Revista Brasileira de Inovação, em convergência com as publicações credenciadas no Portal de Periódicos da Unicamp, adere aos mais altos padrões no que diz respeito à integridade acadêmica e, em particular à prevenção do plágio, incluindo o autoplágio. Nesse contexto, a Revista Brasileira de Inovação adota o serviço de identificação de similaridade de textos utilizando como base a plataforma Turnitin implantada na Unicamp desde novembro de 2016.

 

Digital Object Identifier System - DOI

A RBI utiliza o DOI em todas as publicações.

 

Temas da RBI

De circulação nacional e internacional, a RBI dedica-se à publicação de trabalhos originais sobre “estudos da inovação”, o que abrange os seguintes temas:

  • Economia da Inovação
  • Economia da Ciência e da Tecnologia
  • Dinâmica industrial e dos sistemas de produção
  • Economia do conhecimento – criação, difusão, exploração
  • Processos de aprendizado e inovação
  • Transferência de tecnologia
  • Políticas de Ciência, Tecnologia e Inovação
  • Indicadores de Ciência, Tecnologia, Inovação, P&D
  • Inovação e sustentabilidade
  • Competências e capacitações das empresas
  • Estratégias e gestão da inovação e da tecnologia
  • Estratégias e gestão de P&D
  • Inovação e empreendedorismo
  • Estratégias de desenvolvimento de processos e produtos
  • Mudanças técnicas e organizacionais
  • Sistemas de inovação – nacional, regional, setorial, tecnológico
  • Redes de inovação – alianças de P&D, interações universidade-empresa, cadeias
  • Geografia da inovação
  • Desenvolvimento econômico e inovação
  • Experiências de inovação em países em desenvolvimento
  • Estudos de produtividade (multissetorial e comparação entre países)
  • Modelagem da mudança técnica
  • Dinâmica da concorrência e mudança estrutural
  • Sociologia da Ciência e da Inovação
  • História da Ciência e da Tecnologia

 

Sponsors

Financiadora de Estudos e Projetos

 

Catalogação na Publicação elaborada por: Gildenir Carolino Santos - CRB-8ª/5447