Innovation, Competition and Growth: Evolving Complexiting or Complex Evolution

Autores

  • J. Stanley Metcalfe University of Manchester
  • Maria da Graça Derengowski Fonseca Universidade Federal do Rio de Janeiro
  • Ronald Ramlogan University of Manchester

DOI:

https://doi.org/10.20396/rbi.v1i1.8648853

Palavras-chave:

Sistemas adaptativos complexos. Micro-diversidade, Processos de Seleção, Concorrência, Crescimento e Fenômenos Emergentes, Informação e Conhecimento

Resumo

Este artigo constitui-se numa investigação fundada na visão evolucionista sobre o crescimento econômico, inovação e competição. Nosso ponto de partida é a idéia de que o sistema econômico é composto por múltiplos agentes, diversos em habilidades e capacidades, interagindo e reagindo uns com os outros de forma a se adaptar ao ambiente em que estão inseridos. Neste processo, os agentes econômicos acabam por modificar os padrões de comportamento e as estruturas que eles próprios ajudaram a criar. O artigo está construído em torno de duas idéias principais. A primeira é a de que o processo de tomada de decisões deve ser analisado através do conjunto de regras e rotinas que os agentes econômicos – em particular, as empresas – dispõem para decidir qual o curso de ação que devem tomar. Este tratamento permite recuperar a questão da micro-diversidade e da relevância de padrões de conduta. A segunda idéia está relacionada à importância do crescimento econômico como um fenômeno emergente. Como tal, os processos de transformação podem ser divididos em três elementos: processos de seleção, processos de criação de novidades (micro-diversidade) e processos de desenvolvimento. A forma de interdependência entre estes elementos vai ajudar a definir a própria relação entre inovação, crescimento e competição. No contexto do artigo, a questão-chave está na especificação da concorrência como um processo de seleção. Para avaliar o crescimento e desenvolvimento de categorias relevantes dentro das populações tomamos como base os princípios de Fisher e seus desdobramentos nas equações de replier dynamics. Acreditamos que o artigo possa ajudar a esclarecer os elementos centrais presentes na teoria evolucionista do crescimento endógeno, estabelecendo seus fundamentos no processo de conhecimento.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

J. Stanley Metcalfe, University of Manchester

ESRC Centre for Research in Innovation and Competition, The University of Manchester, UK

Maria da Graça Derengowski Fonseca, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Colaboradora do Instituto de Economia na Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Ronald Ramlogan, University of Manchester

ESRC Centre for Research in Innovation and Competition, The University of Manchester, UK

Referências

Jones, C.I., “RandD-Based Models of Economic Growth”, Journal of Political

Economy, v. 103, p. 759-784, 1995.

Jones, C.I., “Growth: With or Without Scale Effects”, American Economic Review, v. 99, (May), 1999.

Jones, C.I., “Was an Industrial Revolution Inevitable? Economic Growth over the Very Long Run”, mimeo, Stanford University, 2000.

Downloads

Publicado

2009-08-03

Como Citar

METCALFE, J. S.; FONSECA, M. da G. D.; RAMLOGAN, R. Innovation, Competition and Growth: Evolving Complexiting or Complex Evolution. Revista Brasileira de Inovação, Campinas, SP, v. 1, n. 1, p. 85–122, 2009. DOI: 10.20396/rbi.v1i1.8648853. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rbi/article/view/8648853. Acesso em: 10 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos