A Distribuição Espacial da Produção Científica e Tecnológica Brasileira: uma Descrição de Estatísticas de Produção Local de Patentes e Artigos Científicos

Autores

  • Eduardo da Motta e Albuquerque Universidade Federal de Minas Gerais
  • Rodrigo Simões Universidade Federal de Minas Gerais
  • Adriano Baessa Universidade Federal de Minas Gerais
  • Bernardo Campolina Prefeitura de Belo Horizonte
  • Leandro Silva Universidade Federal de Minas Gerais

DOI:

https://doi.org/10.20396/rbi.v1i2.8648860

Palavras-chave:

Álcool combustível. Etanol. Sistemas de inovação.

Resumo

Tomando como unidade de análise o município, o objetivo deste artigo é descrever a distribuição espacial das atividades científicas e tecnológicas no Brasil, a partir de estatísticas de patentes, artigos científicos e pesquisadores. A hipótese básica é que a relação produção científica versus produção tecnológica deve ser mediada por dimensões da análise econômica que contemplem tanto as variáveis diretamente relacionadas ao sistema de inovação como também seus determinantes espaciais. Para isto, são realizados alguns exercícios estatísticos, tais como o cálculo de Coeficientes de Gini para a produção científica tecnológica; análise de uma Matriz de Associação Geográfica e uma Análise de Regressão.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Eduardo da Motta e Albuquerque, Universidade Federal de Minas Gerais

Autor do livro AGENDA ROSDOLSKY (publicado pela Editora UFMG em 2012). Possui doutorado em Economia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1998), mestrado em Economia pela Universidade Federal de Minas Gerais (1995) e graduação em Economia pelo Centro Universitário Newton Paiva (1992). Iniciou os estudos universitários pelo curso de Medicina da UFMG (1974-1979). Atualmente é professor titular do Departamento de Ciências Econômicas e do Cedeplar da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Rodrigo Simões, Universidade Federal de Minas Gerais

CEDEPLAR/UFMG e PROPPG/PUC Minas

Adriano Baessa, Universidade Federal de Minas Gerais

Graduado em economia e Especialista em Políticas Públicas e Gestão Governamental do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. Tem experiência nas seguintes áreas: economia regional, sistema nacional de inovação, inovação tecnológica, estatísticas e comparações internacionais em ciência e tecnologia.

Bernardo Campolina, Prefeitura de Belo Horizonte

Bernardo Palhares Campolina Diniz concluiu o doutorado em Geografia (Geografia Humana) pela Universidade de São Paulo em 2006. Professor Adjunto do Departamento de Ciências Econômicas e do CEDEPLAR (Centro de Desenvolvimento e Planejamento Regional). Suas principais linhas de pesquisa estão nas áreas de Economia Regional e Urbana e Economia Política Internacional.

Leandro Silva, Universidade Federal de Minas Gerais

CEDEPLAR/UFMG

Referências

Albuquerque, E., “National Systems of Innovation and Non-OECD Countries: Notes About a Tentative Typology”. Revista de Economia Política, out./dez., 1999.

Albuquerque, E., Sistema Estadual de Inovação em Minas Gerais: um balanço introdutório e uma discussão do papel (real e potencial) da FAPEMIG para a sua construção. Belo Horizonte: FAPEMIG (mimeo), 2001.

Amsden, A. H., Asia’s Next Giant: South Korea and Late Industrialization. New York/Oxford: Oxford University, 1989.

Andrade, T. A.; Serra, R. V., “Estimativas para o Produto Interno dos Municípios Brasileiros: 1975, 1980, 1985 e 1996”. Texto para discussão, Nemesis, 2000.

Angel, D. P., “The Labor Market for Engineers in the US Semi Conductors Industry”. Economic Geography, 65(1), p. 99-112, 1989.

Audretsch, D.; Feldman, M., “R&D Spillovers and the Geography of Innovation and Production”. American Economic Review, v. 86, n. 3, p. 630-640, 1996.

Barros, F. A. F., “Os Desequilíbrios Regionais da Produção Científica”. São Paulo em Perspectiva, v. 14, n. 3, jul./set., p. 12-19, 2000.

Bernardes, A. T.; Albuquerque, E., Cross-over, Thresholds, and Interactions between Science and Technology: a Tentative Model and Initial Notes about Statistics from 120 Countries. Belo Horizonte: CEDEPLAR-UFMG (mimeo), 2001.

Brasil. Ministério do Trabalho, Relatório Anual de Informações Sociais, RAIS, 1997.

Camagni, G., “Spatial Diffusion of Persuasive Process Innovation”. Papers of the RSA, 58, p. 83-95, 1985.

Cassiolato, J. E.; Lastres, H. (eds.), Globalização & Inovação Localizada. Brasília: IBICT, p. 245-278, 1999.

CNPq, A pesquisa no Brasil (www.cnpq.br), 2000.

Dosi, G.; Freeman, C.; Fabiani, S., “The Process of Economic Development: Introducing Some Stylized Facts and Theories on Technologies, Firms and Institutions”. Industrial and Corporate Change, v. 3, n. 1, 1994.

Fagerberg, J., “Technology and International Differences in Growth Rates”. Journal of Economic Literature, v. 32, set., 1994.

Freeman, C.; Soete, L., The Economis of Industrial Innovation. London: Pinter, 1997.

Frenkel, A , “Why Technology Firms Choose to Locate in or Near Metropolitan Areas”. Urban Studies, 38(7), p. 1083-1101, 2001.

Gottlieb, P.D., “Residential Amenities, Firm Location and Economic Development”. Urban Studies, 32(9), p. 1413-1436, 1995.

Gottlieb, P.D., “Amenities as an Economic Development Tool: Is There Enough Evidence?” Economic Development Quartely, 8(3), p. 270-285, 1994.

Haddad, P. R.; Boisier, S.; Ferreira, C. M. C.; Andrade, T. A., Economia Regional: Teorias e Métodos de Análise. Fortaleza, BNB/ETENE, 1989.

IBGE, Pesquisa Industrial, v. 17, Empresa – 1998. Rio de Janeiro: IBGE, 2000.

Institute of Scientific Information, (webofscience.fapesp.br), 2000.

Jaffe, A. B., “Real Effects of Academic Research”. American Economic Review, v. 79, n. 5, p. 957-970, 1989.

Jaffe, A. B.; Trajtenberg, M.; Henderson, R., “Geographical Localization of Knowledge Spillovers as Evidenced by Patents Citations”. Quaterly Journal of Economics, v. 108, n. 3, p. 577-598, 1993.

Klevorick, A.; Levin, R.; Nelson, R.; Winter, S, “On the Sources and Significance of Inter-Industry Differences in Technological Opportunities”. Research Policy, v. 24, p. 185-205, 1995.

Malecki, E.J., “High Technology and Local Economic Development”. Journal of American Planning Association, 50(3), p. 262-269, 1984.

Markussen, A; Hall, P.; Glasmeier, A., High Tech America: the What, How and Why of Sunrise Industries. Boston, MA: Allen and Irwin, 1986.

Nelson, R., Sources of Economic Growth. Cambridge, Mass.: Harvard University, 1996.

Nelson, R.; Romer, P., “Science, Economic Growth, and Public Policy”. In Smith, B. L.; Barfield, C. E., Technology, R&D, and the Economy. Washington: The Brookings Institution, 1996.

Nelson, R.; Rosenberg, N., “Technical Innovation and National Systems”. In Nelson, R. (ed.). National Innovation Systems: a Comparative Analysis. New York, Oxford: Oxford University, p. 3-21, 1993.

OCDE, Technology and Industrial Performance. Paris: OECD, 1996.

Quadros, R.; Brisolla, S.; Furtado, A.; Bernardes, R., “Força e Fragilidade do Sistema de Inovação Paulista”, São Paulo em Perspectiva, v. 14, n. 3, jul./set., p. 124-141, 2000.

Rapini, M. S., Uma Investigação sobre a Relação de Granger-causalidade entre Ciência e Tecnologia para Países em Catching up e para o Brasil. Monografia de Graduação. Belo Horizonte: FACE-UFMG, 2000.

Romer, P., “Endogenous Technological Change”. Journal of Political Economy, v. 98, n. 3, 1990.

Rosenberg, N., Inside the Black Box: Technology and Economics. Cambridge: Cambridge University, 1982.

Silva, L.; Simões, R. A., “Infra-Estrutura Científica e as Oportunidades de Desenvolvimento das Microrregiões Brasileiras”. IV Coloquio Transformaciones Territoriales, Montevidéu: 2002.

Sivitanidou, R.; Sivitanides, P., “The Intrametropolitan Distribution of R&D Activities: Theory and Empirical Evidences”. Journal of Regional Studies, 35(3), p. 391-415, 1995.

Stern, S.; Proter, M.; Furman, J., “The Determinants of National Innovative Capability” (Working Paper 7876). NBER Working Paper Series. Cambridge, MA: NBER, 2000.

Suzigan, W., “Aglomerações Industriais como Foco de Políticas” (Texto da Aula Magna do XXVIII Encontro Nacional de Economia da ANPEC). Campinas: ANPEC, 2000.

Ulrich’s, International Periodicals Directory, 1987-88. 26ª ed. New York: R. R. Bowker Company, 1987.

USPTO, (www.uspto.gov), 2001.

Wallsten, S.J., “An Empirical Test of Geographical Knowledge Spillovers Using GIS and Firm-Level Data”. Regional Science & Urban Economics, 31(5), p. 571-599, 2001.

Downloads

Publicado

2009-08-14

Como Citar

ALBUQUERQUE, E. da M. e; SIMÕES, R.; BAESSA, A.; CAMPOLINA, B.; SILVA, L. A Distribuição Espacial da Produção Científica e Tecnológica Brasileira: uma Descrição de Estatísticas de Produção Local de Patentes e Artigos Científicos. Revista Brasileira de Inovação, Campinas, SP, v. 1, n. 2, p. 225–251, 2009. DOI: 10.20396/rbi.v1i2.8648860. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rbi/article/view/8648860. Acesso em: 8 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos