Mitos e Realidades sobre a Difusão do Comércio Eletrônico nas Empresas Brasileiras

Autores

  • Paulo Bastos Tigre Universidade Federal do Rio de Janeiro
  • Jason Dedrick University of California

DOI:

https://doi.org/10.20396/rbi.v2i2.8648877

Palavras-chave:

Comércio eletrônico. Globalização. Nova economia. Competitividade. Tecnologias da informação. Difusão de tecnologia. Micro e pequenas empresas.

Resumo

A difusão das tecnologias da informação, e mais recentemente da Internet vem gerando expectativas de transformações radicais na forma de funcionamento da economia mundial. Três hipóteses particularmente importantes pela sua abrangência são destacadas na literatura especializada e serão discutidas neste artigo com base em pesquisas empíricas sobre a difusão do comércio eletrônico conduzidas pelo projeto Globalization and Electronic Commerce, coordenado pela Universidade da Califórnia, Irvine. A primeira é que o processo de difusão do comércio eletrônico está bidirecionalmente associado ao processo de globalização. A segunda é que haveria uma "nova economia" baseada nas novas empresas intensivas em informação. A terceira hipótese analisada é que o comércio eletrônico reduz as desvantagens estruturais das micro e pequenas empresas, graças a seus impactos informacionais e espaciais. Com base em entrevistas com 200 empresas, a pesquisa revela que, pelo menos no caso do Brasil, tais hipóteses não estão se confirmando e que apesar da inegável importância do comércio eletrônico, a tecnologia não determina a estrutura da indústria nem modifica estratégias de globalização. Por outro lado, o artigo confirma que comércio eletrônico é uma importante ferramenta para ajudar empresas e países a desenvolverem trajetórias econômicas preexistentes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Paulo Bastos Tigre, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Instituto de Economia, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Jason Dedrick, University of California

University of California, Irvine

Referências

Aksoy, A., Innovation and diffusion dynamics of the information technology paradigm. Working

Paper n.11. Center for Information and Technology, in SPRU, Brighton: University of Sussex, 1990.

ANATEL. Agência Nacional de Telecomunicações. Brasília www.anatel.gov.br

Cassiolato, J. The Role of User-Producer Relations in Innovation and Diffusion of New Technologies: Lessons from Brazil. D.Phil Thesis, University of Sussex, 1992.

Dosi, G.; Teece, D.; Winter, S., “Towards a Theory of Corporate Change: Preliminary Remarks”, in Dosi, G.; Giannetti, R.; Toninelli, P. (orgs.), Technology Enterprise in a Historical Perspective. Oxford: Claredon Press Oxford, 1992.

Fariselli, P., “E-Commerce for Development: A General Framework”, in Goldstein, A.; O’Connor, D., Electronic Commerce for Development. Paris: OECD Development Centre, 2002.

Gereffi, G., “The Evolution of Global Value Chains in the Internet Era”, in Goldstein, A.; O ́Connor, D., Eletronic Commerce for Development, OECD Development Centre, Paris, 2002.

FGVSP — Fundação Getulio Vargas de São Paulo (2002). Tecnologias da Informação: Cenários e Tendências. 13 Pesquisa Anual. Panorama do uso nas empresas. Available in www.fgvsp.br/academico/estudos/cia/index. 9 out. 2002.

IBGE — Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística . Pesquisa Nacional de Amostra por Domicílio (PNAD) 2001. www.ibge.gov.br/pnad

INEP — Sistema de Avaliação do Ensino Superior. Censo 2000. Ministério da Educação. www.inep.gov.br/imprensa/noticias/censo. 14 fev. 2003.

ITU — International Telecommunications Union. Challenges to the Network — Internet for Development. Genebra, fev. 1999.

Telecommunication Union. International Telecommunication Union, Yearbook of Statistics 1991–2000, Genebra, 2001.

Kalakota, R.; Robinson, M., E-Business Roadmap for Sucess. Addison-Wesley, 1999.

O’Connor, D., “E-Commerce for Development: Between Scylla and Charybdis”, in Goldstein, A.; O ́Connor, D., Eletronic Commerce for Development, Paris: OECD Development Centre, 2002.

OECD. E-Commerce: Impacts and Policy Changes. Economic Department Working Paper Nº 252. OECD Paris, 2000.

Perez, C., The Present Wave of Technology Change. Implications for Competitive and Institutional Reform in Developing Countries. Paper prepared for the World Bank, 1988.

Shane, S.; Venkatraman, S., “The promise of entrepreunership as a field of research”, in Academy of Management Review, 25, p.217-226, 2000.

Shapiro, C.; Varian, H., A Economia da Informação: como os princípios econômicos se aplicam a era da Internet. Rio de Janeiro: Editora Campus, 1999.

Simon, L. D., NetPolicy.Com. Public Agenda for a Digital World, Washington DC: Woodrow Wilson Center Press, 2000.

Tigre, P.; Dedrick, J. Globalization and Electronic Commerce: Environment and Policy in Brazil. CRITO, UCI, 2002.

Tigre, P., et al. “Institutional Change and Technology: Impacts of Deregulation on the National Innovation System”, in Bauman, R., Brazil in the 1990s: An Economy in Transition. Londres: Palgrave, 2002.

Tofler, A., Future Shock. Londres: Collins, 1968.

Zhu, K; Kraemer, K; Xu, S. A cross-country study of electronic business adoption using the technology organization environment framework. ICIS 2002 Conference. Available at www.crito.uci/publications, 2002.

Downloads

Publicado

2009-08-17

Como Citar

TIGRE, P. B.; DEDRICK, J. Mitos e Realidades sobre a Difusão do Comércio Eletrônico nas Empresas Brasileiras. Revista Brasileira de Inovação, Campinas, SP, v. 2, n. 2, p. 377–405, 2009. DOI: 10.20396/rbi.v2i2.8648877. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rbi/article/view/8648877. Acesso em: 3 dez. 2021.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)