Patentes y Función Publica Universitaria en Europa: mitos y realidades

Autores

  • Ana Urraca Ruiz Universidade Federal Fluminense

DOI:

https://doi.org/10.20396/rbi.v4i2.8648918

Palavras-chave:

Universidade. Patentes. Europa. Relações universidade-empresa. Bens públicos.

Resumo

Desde a implementação da Ata Bayh-Dole nos Estados Unidos no início da década dos oitenta, quando as universidades adquiriram plena independência para explorar privadamente os resultados das suas pesquisas, está-se assistindo a um processo de reformulação do papel da função pública das universidades no mundo. A possibilidade de que essa reformulação significasse o abandono de certas funções tradicionais da universidade suscitou o debate entre os detratores e os defensores do novo modelo. Utilizando dados da European Patent Office entre 1978 e 2002, este trabalho pretende avaliar em que medida as universidades européias estão registrando também mudanças na sua função pública, tanto pela influência da regulamentação americana quanto pela aparição de novos elementos que modificaram o Sistema Nacional de Inovação, como são o surgimento de novas ciências aplicadas (microbiologia), a necessidade de obter financiamento para o desenvolvimento da pesquisa universitária ou o fortalecimento das relações universidade-empresa.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Urraca Ruiz, Universidade Federal Fluminense

Doutora em Ciências Econômicas pela Universidad de Castilla-La Mancha (Espanha, 1998); Visiting Student na Science Policy Research Unit (SPRU) da Universty of Sussex (Inglaterra, 1994-1995); Pós-Doutorado na Universitá degli Studi di Siena (Itália, 2010). Atualmente é Professora Associada III no Departamento de Economia da Universidade Federal Fluminense participando dos cursos de Graduação e Pós-Graduação. 

Referências

Azagra. J. M.; Izquierdo Faubel, L.; Jiménez Sáez, F.; Serra Sister, P., “Factores Determinantes de la Generación de Patentes Universitarias: el caso de la Universidad Politécnica de Valencia”, in Documento ES.3.226, Instituto de Gestión de la Innovación y el Conocimiento (INGENIO), Valencia, 2001.

Blumenthal, D.; Cluck, L.K.; Seashore, M.A.; Wise, D., “University-industry Research Relationships in Biotechnology: implication for the university” in Science, 232, 13, 1361-1366, 1986.

Cohen, W.M.; Florida, R.; Randazzese, L.; Walsh, J., “Industry and the Academy: uneasy partners in the cause of technological advance”, in Noll, R. (org.), Challenges to research universities., Washington: Bookings Institute, cap.7, p.171-199, 1998.

European Patent Office, jan., 2003; “European Patent Bulletin Information, dez., 1978-dez.2002”, em formato DVD.

Gibbons, M.; Johnston R., “The Roles of Science in Technological Innovation”. In Research Policy, 3, 220-242, 1974.

Henderson, R.; Jaffe, A. B.; Trajtenberj, M., “Universities as a Source of Commercial technology: a detailed analysis of university patenting 1965-1988”, in Review of Economics and Statistics, 80, 119-127, 1998.

Klevorick, A. K.; Levin, R.C.; Nelson, R.R.; Winter, S.G., “On the Sources and Significance of Interindustry Differences in Technological Opportunities”, in Research Policy, 24, 185-205, 1995.

Kuckartz, M., “Commercial Explotation of Academic and Scientific Research Inventions – a new duty for patent information”, in World Patent Information, 21, 27-29, 1999.

Lee, Y.S., “‘Technology Transfer’ and the Research University: as search for the boundaries of university-industry collaboration”, in Research Policy, 25, 843-863, 1996.

Mansfield, E., “Academic Research and Industrial Innovation”, in Research Policy, 20, 1-12, 1991.

Mansfield, E., “Academic Research and Industrial Innovation: an update of empirical findings”, in Research Policy, 26, 773-776, 1998.

Mansfield, E.; Lee, Y. S., “The Modern University: contributor to industrial innovation and recipient on industrial R&D support” in Research Policy, 25, 1047-1058, 1996.

Mowery D. C.; Nelson R. R.; Sampat, B.N.; Ziedonis, A. A., “The Growth of Patenting an Licensing by U.S. Universities: an assessment of the effects of the Bayh-Dole act of 1980”, in Research Policy, 30, 99-119, 2001.

Thursby, J.G.; Kemp S., “Growth and Productive Efficiency of University Intellectual Property Licensing”, in Research Policy, 31, 109-124, 2002.

Publicado

2009-08-18

Como Citar

RUIZ, A. U. Patentes y Función Publica Universitaria en Europa: mitos y realidades. Revista Brasileira de Inovação, Campinas, SP, v. 4, n. 2, p. 391–423, 2009. DOI: 10.20396/rbi.v4i2.8648918. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rbi/article/view/8648918. Acesso em: 10 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigos