Atividade Inovativa nas Empresas Paulistas: um estudo a partir da PAEP – 2001

Autores

  • Sérgio Kannebley Junior Universidade de São Paulo
  • Beatriz Selan Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.20396/rbi.v6i1.8648943

Palavras-chave:

Inovação tecnológica. Árvores de classificação. Regressão.

Resumo

Este trabalho se propõe a estudar a relação existente entre os insumos da atividade inovativa e os resultados obtidos pelas empresas em tal atividade. O objeto de estudo é o conjunto das empresas industriais paulistas inovadoras em produto, segundo informações da Pesquisa de Atividade Econômica Paulista no período de 1999 a 2001 (PAEP-2001). Para a distinção entre empresas que inovam apenas para a própria empresa e aquelas que inovam para o mercado, foram utilizadas variáveis como produtividade do trabalho, origem estrangeira do capital e efeitos setoriais. Observou-se que, além das características específicas das empresas, a interação entre fontes de informação e resultados é o principal indicador das estratégias tecnológicas e competitivas das empresas, sendo o esforço inovador não apenas dependente da estratégia adotada, mas também dos condicionantes competitivos das empresas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sérgio Kannebley Junior, Universidade de São Paulo

Professor do Departamento de Economia da FEA-RP/USP.

Beatriz Selan, Universidade de São Paulo

Graduanda em Economia da FEA-RP/USP

Referências

Brown, M.G.; Svenson, R.A., “Measuring R&D Productivity”, Research Technology Management, Washington, 31 (4): 11, jul./ago., 1988.

Crépon, B.; Duguet, E.; Mairesse, J., “Research, Innovation, and Productivity: na econometric analysis at the firm level”, NBER working paper series. Cambridge, Working Paper 6696, ago., 1998.

De Negri, J.A.; Salerno, M. S., Inovações, Padrões Tecnológicos e Desempenho das Firmas Brasileiras, Brasília-DF: IPEA, maio, 2005.

Dosi, G., “Sources, Procedures and Microeconomic Effects of Innovation”, Journal of Economic Literature. Pittsburgh, 26 (3): 1.120-1.171, set., 1988.

Kannebley Jr., S., “Características das firmas inovadoras no Estado de São Paulo: uma análise empírica a partir da PAEP”, Economia Aplicada, São Paulo, 8 (4): 693-728, 2004.

Kannebley Jr., S.; Porto, G.S.; Pazello, E.T., “Inovação na indústria brasileira: uma análise exploratória a partir da PINTEC”, Revista Brasileira de Inovação, Rio de Janeiro, 3 (1): 87-128, jan./ jun., 2004.

Kannebley Jr., S., “Characteristics of Brazilian innovative firms: An empirical analysis based on PINTEC – industrial research on technological innovation”, Research Policy, 34 (6): 872-893, 2005.

Loh, W.Y; Shih, Y.S., “Split Selection Methods for Classification Trees”, Statistica Sinica, Cambridge, 7: 815-840, 1997.

Markwald, R.A., “O impacto da abertura comercial sobre a indústria brasileira: balanço de uma década”, Revista Brasileira de Comércio Exterior, Rio de Janeiro, 68: 4-25, jul./set. 2001.

Nuchera, A.H.; Serrano, G.L.; Morote, J.P., La gestión de la innovación y la tecnologia en las organizaciones, 560 p., Madrid: Pirámides, 2002.

OECD. Oslo Manual: The measurement of scientific and technical activities. 2nd ed. OECD/EC/Eurostat, Oslo, 1997.

Pavitt, K., “Sectoral patterns of technical change: Towards a taxonomy and a theory”, Research Policy, Sussex, 13: 343-373, 1984.

Quadros, R.; Franco, E.; Furtado, A.T.; Bernardes, R., “Technological Innovation in Brazilian Industry: An Assessment Based on the São Paulo Innovation Survey”, Technological Forecasting and Social Change, Portland, 67: 203-219, 2001.

Quadros, R.; Franco, E.; Bernardes, R., “Inovação Tecnológica na Indústria. Resultados da PAEP e da PAER”, in Viotti, E.B.; Macedo, M.M (orgs), Indicadores de Ciência, Tecnologia e Inovação no Brasil, p.423-462, Campinas: Unicamp, 2003.

Sáenz, T.W.; Capote, E.G., Ciência, Inovação e Gestão Tecnológica, Brasília: CNI/IEL/SENAI/ABIPTI, 2002.

Sbragia, R.; Krugliankas, I; Arango-Alzare, T., “Empresas Inovadoras no Brasil: uma Proposição de Tipologia e Características Associadas”, in Série Working Papers FEA/USP No. 001/003. Disponível em http://www.ead.fea.usp.br/wpapers, 2002.

Viotti, E.B., “Fundamentos e Evolução dos Indicadores de CT&I”, in Viotti, E.B.; Macedo, M.M. (orgs.), Indicadores de Ciência, Tecnologia e Inovação no Brasil, p.41-87, Campinas: Unicamp, 2003.

Viotti, E.B., Inovação Tecnológica na Indústria Brasileira: um exercício no uso de indicadores de inovação e algumas propostas para o seu aperfeiçoamento. 3ª Conferência Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação. Disponível em http://www.cgee.org.br, 2005.

Downloads

Publicado

2009-08-18

Como Citar

KANNEBLEY JUNIOR, S.; SELAN, B. Atividade Inovativa nas Empresas Paulistas: um estudo a partir da PAEP – 2001. Revista Brasileira de Inovação, Campinas, SP, v. 6, n. 1, p. 123–152, 2009. DOI: 10.20396/rbi.v6i1.8648943. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rbi/article/view/8648943. Acesso em: 24 jun. 2022.

Edição

Seção

Artigos