Patrones de Inserción de las Empresas Multinacionales en la Formación de Competencias Tecnológicas de Paises Seguidores

Autores

  • Ana Urraca Ruiz Universidade Federal Fluminense

DOI:

https://doi.org/10.20396/rbi.v6i2.8648953

Palavras-chave:

Competências tecnológicas. Convergência. Especialização tecnológica. Países seguidores. Empresas multinacionais.

Resumo

Utilizando base de dados de patentes depositadas no Escritório Europeu de Patentes este trabalho tem como objetivo identificar a existência de padrões de inserção tecnológica dos países retardatários latino-americanos e asiáticos; demarcar o papel exercido pelas EMN na formação de competências desses países e na aceleração dos processos de captura. O trabalho conclui que: (i) existem diferentes padrões de inserção das EMN (empresas multinacionais) de acordo com seu grau de inserção na composição da estrutura tecnológica do país receptor e com a região geográfica deste país; (ii) não necessariamente as EMN duplicam as competências adquiridas em seus países de origem, podendo também aproveitar competências e especialização local; e (iii) existem padrões diferentes entre AL e Ásia, ou seja, a ação das EMN favorece a diversificação da base técnica na Índia e em Hong Kong, enquanto no Brasil e na Argentina as EMN colaboram para sua maior especialização.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Urraca Ruiz, Universidade Federal Fluminense

Professora Adjunta no Departamento de Economia da Universidade Federal Fluminense – UFF

Referências

Archibugi, D.; Pianta, M., “The technological specialization of advanced countries”, Dordrecht, Kluwer Academic, 1992.

Cantwell, J., “The globalisation of technology: what remains of the product cycle model?”, Cambridge Journal of Economics, v.19, p.155-174, 1995.

Cantwell, J.; Janne, O., “Technological globalisation and innovative centres: the role of corportate technological leadership and locational hierarchy”, Research Policy, v.28, p.119-144, 1999.

Gerybadze A.; Reger, G., “Globalisation of R&D: recent changes in the measurement of innovation in transnational corporations”, Research Policy, v.28, p.251-274, 1999.

Kuemmerle, W., “Foreign Direct Investment in Industrial Research in the Pharmaceutical and Electronics Industries. Results from a Survey of Multinational Firms”, Research Policy, v.28, p.179-193, 1996.

Malerba F.; Montobbio, F., “Exploring factors affecting international technological specialization”, Journal of Evolutionary Economics, v.13, p.411-434, 2003.

Pavitt, K., “Uses and abuses of patents statistics”, en: Van Raan, A.F.J., Handbook of quantitative studies of science and technology, North Holland: Elsevier Science Publishers, B.V., p.509-536, 1988.

Patel, P.; Vega, M., “Patterns of internationalisation of corporate technology: location vs. home country advantages”, Research Policy, v.28. p.145-155, 1999.

Patel, P.; Pavitt, K., “Technological competencies in the world’s largest firms: characteristics, constraints and scope for managerial choice”, STEEP Discussion Paper, nº 13, SRPU, University of Sussex, 1993.

Perez, C.; Soete, L., “Catching up in technology”, en: Dosi, G. et al (eds.) Technical Change and Economic Theory, London: Pinter Publishers, p.458-479, 1988.

Pianta, M.; Meliciani, V., “Technological specialization and economic performance in OECD countries”, Technology Analysis & Strategic Management, v.8, n.2, p.157-174, 1996.

Rocha, C.F.; Urraca, A., “Internacionalização da P&D das empresas transnacionais. Especialização produtiva nacional e competências tecnológicas”, Economia e Sociedade, v.11, n.1, p.165-183, 2002.

Urraca, A., “Empresas multinacionales, especialización tecnológica y convergência en países catching-up: América Latina”, Economia e Sociedade, v.14, n.1, p.1-23, 2005.

Wortmann, M., “Multinationals and the internationalization of R&D: New developments in German companies”, Research Policy, v.19, p.175-183, 1990.

Zander, I., “The evolution of technological capabilities in the multinational corporation – dispersion, duplication and potential advantages from multinationality”, Research Policy, v.27, p.17-35, 1998.

Zander, I., “How Do You Mean ‘Global’? An Empirical Investigation of Innovation Networks in the Multinational Corporation”. Research Policy, v.28, p.195-213, 1999.

Publicado

2009-08-18

Como Citar

RUIZ, A. U. Patrones de Inserción de las Empresas Multinacionales en la Formación de Competencias Tecnológicas de Paises Seguidores. Revista Brasileira de Inovação, Campinas, SP, v. 6, n. 2, p. 405–432, 2009. DOI: 10.20396/rbi.v6i2.8648953. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rbi/article/view/8648953. Acesso em: 30 nov. 2022.

Edição

Seção

Artigos