O Aglomerado de Empresas Atuantes no Segmento Off-Shore de Macaé: impactos da política de subcontratação da Petrobras na bacia de Campos

  • Roberto Cezar Rosendo Saraiva da Silva Universidade Estadual do Norte Fluminense
  • Jorge Britto Universidade Federal Fluminense
Palavras-chave: Aglomerado petrolífero de Macaé. Política de subcontratação da Petrobras. Bacia de Campos.

Resumo

A bacia de Campos (BC) é responsável pela produção de 84% do petróleo e de 45% do gás natural brasileiros. Nas últimas décadas, o município de Macaé – base operacional da BC – presenciou o desenvolvimento de um aglomerado de empresas especializadas em atividades off-shore. O artigo busca caracterizar esse aglomerado, destacando sua organização industrial, as relações interfirmas e a infraestrutura de ciência e tecnologia. Particular importância é atribuída à evolução recente da política de subcontratação da Petrobras, implementada a partir de 2003, enfatizando-se como essa política tem redefinido, de forma substancial, os vínculos produtivos no arranjo, especialmente com respeito às pequenas e médias empresas (PMEs), provocando impactos relevantes na dinâmica produtiva e tecnológica do aglomerado. A pesquisa realizada sugere que as mudanças recentes na política de subcontratação da Petrobras têm induzido o aumento da cooperação técnico-produtiva no aglomerado, ao mesmo tempo em que reforçam uma tendência à aceleração do processo de concentração industrial, gerando impactos em termos da ameaça de exclusão de PMEs que integram o aglomerado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Roberto Cezar Rosendo Saraiva da Silva, Universidade Estadual do Norte Fluminense
Pós-doutorado no Instituto de Estudos Estratégicos e Relações Internacionais INEST/UFF (2016); Doutor em Economia pela Universidade Federal Fluminense-UFF (2008); Doutor em Engenharia de Produção pela Universidade Estadual do Norte Fluminense-UENF (2004); Mestre em Economia pela UFF (1998) e Bacharel em Economia pela UFF (1990). Atualmente, exerce o cargo de Professor Adjunto IV no Departamento de Economia da UFF-Campos. 
Jorge Britto, Universidade Federal Fluminense
Possui graduação em Economia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1985), mestrado em Economia da Indústria e da Tecnologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1988) e doutorado em Economia da Indústria e da Tecnologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1998), com Doutorado-sanduiche no SPRU (Scicene Policy Research Unit) da Universidade de Sussex (Inglaterra). Atualmente é professor associado da Universidade Federal Fluminense e pesquisador colaborador da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Referências

Agência Nacional do Petróleo – ANP. Anuário estatístico de 2006, 2007. Disponível em http://www.ANP.gov.br/conheca/anuario_2006.asp>. Acesso em 21 de agosto de 2007.

Albagli, S.; Britto J. Glossário de arranjos e sistemas produtivos e inovativos locais. Arranjos produtivos locais – Uma nova estratégia de ação para o SEBRAE – Rede de Pesquisa em Sistemas Produtivos e Inovativos Locais. Instituto de Economia da Universidade Federal do Rio de Janeiro, out. 2003. Disponível em www.ie.UFRJ.br/redesist. Acesso em 4 de março de 2007.

Alveal, C.; Pinto Jr., H. “A cooperação inter-firmas na indústria petrolífera mundial”, in Anais 24ª Reunião da ANPEC, Campinas, 1996.

ANP – Agência Nacional do Petróleo. “Avaliação da competitividade do fornecedor nacional com relação aos principais bens e serviços”, mimeo., maio, 1999. Disponível em http://www.ANP.gov.br/brasil-rounds/round1/Docs/compet.pdf Acesso em agosto de 2006.

Anuário estatístico do estado do Rio de Janeiro. Centro de Informações e Dados do Estado do Rio de Janeiro – CIDE, 2000, 2001, 2002, 2003, 2004.

Azevedo, J.S.G “Petrobras no Rio de Janeiro”, palestra proferida na Associação Comercial do Rio de Janeiro, 31/10/2006.

Bell, R.M.; Oldham, C.H.G. “Oil companies and the implementation of technical change in off shore operations: experience in development drilling and the design and operation of production facilities in the North sea”, SPRU – Sussex University: Report, n.2, abr., 1988.

Borges, M.; Campolina, C.; Borges, F.; Crocco, M.A.; Camargo, F. “O arranjo produtivo da rede Fiat de fornecedores. Estudos empíricos”, Nota Técnica, BNDES, FINEP, n.15, 2003.

Britto, J. “Características estruturais e modus operandi das redes de firmas em condições de diversidade tecnológica”, Tese de Doutorado em Economia, IE–UFRJ, 1999.

Castro, A. (coord.) “Impactos sociais do desenvolvimento da atividade de exploração e produção de petróleo nas regiões das baixadas litorâneas e do norte fluminense. Projeto CTPETRO: tendências tecnológicas”, Nota Técnica, Rio de Janeiro, n.13, 2003.

Cooke, P. “Origins of the concept”, in Braczyk, H.; Cooke, P.; Heidenreich, M. (org.), Regional innovation systems, Londres: UCL Press, p.2-25, 1998.

Dantas, A. “Capacitação tecnológica de fornecedores em redes de firmas: o caso da indústria do petróleo off-shore no Brasil”, Tese de Doutorado, IE–UFRJ, 1999

Dantas, E.; Bell, M. “Latecomer firms and the development of knowledge networks: the case of Petrobras in Brazil”. Paper to be presented at the SPRU 40th Anniversary Conference on The Future of Science, Technology and Innovation Policy, Brighton, 11-13 set., 2006.

Etzkowitz, H.; Leydesdorff, L. “The dynamics of innovation: from national systems and ‘mode 2’ to a triple helix of university-industry-government relations”, Research Policy, 29, p.109-123, 2000.

Florida, R. “Calibrating the learning regions”, in Mothe, J.; Paquet, J. (org.), Local and regional systems of innovation, economics of science, technology and innovation, Massachusetts: Kluwer Academic Publisher, v.14, 1998.

Freeman, C. “Network of innovators: a synthesis of research issues”, Research Policy, 20, p.499-514, 1991.

Furtado, A. (coord.) “Política de compras da indústria do petróleo e gás natural e a capacitação de fornecedores no Brasil: o mercado de equipamentos para o desenvolvimento dos campos marítimos. Projeto CTPETRO: tendências tecnológicas”, Nota Técnica, Campinas: IG–UNICAMP, n.5, 2003.

Hatakenaka, S.; Westnes, P.; Gjelsvik, M.; Lester, R. “From ‘black gold’ to ‘human gold’: a comparative case study of the transition from a resource-based to a knowledge economy in Stavanger and Aberdeen”, MIT Local Innovation Systems Working Paper, 06-002, 15 jul., 2006.

Lastres, M.H.; Cassiolato, J.E. Novas políticas na era do conhecimento: o foco em arranjos produtivos e inovativos locais. RedeSist: IE–UFRJ, 2003a. Disponível em www.ie.UFRJ.br/redesist. Acesso em julho de 2003.

Lastres, M.H. System of Innovation and development From a South American Perspective: A Contribution to Globelics. RedeSist: IE–UFRJ, 2003b. Disponível em www.ie.UFRJ.br/redesist. Acesso em julho de 2003.

Lastres, M.H. Políticas para promoção de arranjos produtivos e inovativos locais de micro e pequenas empresas: conceitos, vantagens e restrições e equívocos usuais. RedeSist: IE–UFRJ, 2003c. Disponível em www.ie.UFRJ.br/redesist. Acesso em julho de 2003.

Lemos, M.; Diniz, C.; Santos, F.; Afonso, M.; Camargo, O. “O arranjo produtivo da rede Fiat de fornecedores. Projeto de Pesquisa Arranjos e Sistemas Produtivos e Inovativos Locais e as Novas Políticas de Desenvolvimento Industrial e Tecnológico. Estudos empíricos”, Nota Técnica, IE–UFRJ, RedeSist, IE–UFRJ, n.15, 2000. Disponível em www.ie.UFRJ.br/redesist. Acesso em julho de 2003.

Macedo, R. “Reforma tributária pode definir rumos de investimentos nas atividades petrolíferas no litoral fluminense”, Revista Macaé Offshore, Macaé, ano 3, p.152, nov.-dez., 2003.

Markusen, A. “Four structures for second tier citie”, in Markusem, A.; Lee, Y.; Digiovanna, S. (eds.), Second teir cities: rapid growth beyond the metropolis, Minneapolis: University of Minnesota Press, 1999.

Mothe, J.; Paquet, G. “Local and regional systems of innovation as learning socio-economies”, in Mothe, J.; Paquet, G. (eds.), Local and regional systems of innovation, Boston: Kluwer Academic Publishers USA, 1998.

Nadiv, K. Industrial clusters and networks: case studies of SME growth and innovation – Small enterprises medium programme. Vienna: The United Nations Industrial Organization – UNIDO, 1995. Disponível em http://www.unido.org/index.php?id=o51261. Acesso em 20 de junho de 2006.

Nelson, R. National innovation systems: a comparative analysis, Nova York: Oxford University Press, 1993.

Organização Nacional da Indústria de Petróleo – ONIP. Disponível em http://www.onip.org.br/index.asp. Acesso em julho de 2003.

Petrobras. A evolução da produção na bacia de Campos. Minisite Águas Profundas, PROCAP 3000, 2006. Disponível em http://www2.petrobras.com.br/portal/Petrobras.htm. Acesso em 2 de setembro de 2003 e 2 de novembro de 2006.

Ramos, J. “Una estrategia de desarrollo a partir de complejos productivos en torno a los recursos narurales”, Revista de la CEPAL, n.66, dez., 1999.

REDEPETRO–BC. Relatório preliminar sobre a rede de empresas off-shore que atende à bacia de Campos, Macaé: SEBRAE, 2003.

Relatório Anual de Informações Sociais – RAIS 2005. Ministério do Trabalho e Emprego. Disponível em http://www.rais.gov.br/. Acesso em janeiro de 2007.

Saxenian, A. “Regional systems of innovation and the blurred firm”, in Mothe, J.; Paquet, G. (orgs.), Local and regional systems of innovation, Kluwer Academic Publishers USA, 1998.

Secretaria de Fazenda de Macaé. Caderno Cidadão, segundo semestre, 2003.

Silva, R.C.R. “A indústria petrolífera em Macaé: caracterização e potencialidades do sistema produtivo local”, Tese de Doutorado em Engenharia de Produção, Laboratório de Engenharia de Produção – CCT, Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro, mimeo., 2004.

Suzigan, W., Furtado, J.; Garcia, R.; Sampaio, S. “Aglomerados industriais no estado de São Paulo”, texto apresentado no Seminário do Curso de Pós-Graduação em Economia do CEDEPLAR, UFMG, 2001. Disponível em http://www.cedeplar.ufmg.br/economia/seminarios.htm. Acesso em 25 de janeiro de 2003.

Terra, D. “A formação de um cluster petrolífero nos municípios da bacia de Campos”, in Piquet, R. (org.), Petróleo royalties e região, Rio de Janeiro: Garamond, p.287-307, 2003.

T N Petróleo. “Facilidades e logística no setor de óleo e gás no Brasil”, T N Petróleo, Rio de Janeiro, Benício Biz Editores Associados, n.18, encarte, 2001.

Vasconcelos, F. “Boa saúde financeira”, Revista Macaé Offshore, Macaé, n.2, jul., 2002a.

Vasconcelos, F. “Desempenho a toda prova: nova política de contratação da Petrobras mexe com as economias local e nacional”, Revista Macaé Offshore, Macaé, ano II, n.9, nov.-dez., 2002b.

Vasconcelos, F. “Maior suporte à bacia de Campos”, Revista Macaé Offshore, Macaé, ano III, n.14, set.-out., 2003.

Publicado
2009-10-30
Como Citar
Silva, R. C. R. S. da, & Britto, J. (2009). O Aglomerado de Empresas Atuantes no Segmento Off-Shore de Macaé: impactos da política de subcontratação da Petrobras na bacia de Campos. Revista Brasileira De Inovação, 8(1), 121-166. https://doi.org/10.20396/rbi.v8i1.8648977
Seção
Artigos