Consumo de produtos e serviços inovadores: aplicação do índice de prontidão para tecnologia

Autores

  • Luciana Peixoto Santa Rita Universidade Federal de Alagoas
  • Alcides Carlos de Araújo Universidade Federal de Alagoas
  • Mainah Almeida de Paula Universidade Federal de Alagoas
  • Manuella de Oliveira Lima Universidade de São Paulo
  • José Carlos Viana Filho Universidade Federal de Alagoas

DOI:

https://doi.org/10.20396/rbi.v9i1.8648997

Palavras-chave:

Comportamento do consumidor. Inovação. TRI.

Resumo

Este estudo teve como objetivo mensurar o índice de prontidão para tecnologia no contexto do Estado de Alagoas. O estudo baseou-se na escala Índice de Prontidão para Tecnologia (Technology Readiness Index – TRI) de Parasuraman (2000). Foi realizada uma pesquisa descritiva de natureza quantitativa, baseada em uma amostra probabilística, com procedimentos de coleta e análise estruturados. A amostra foi composta de 326 respondentes, com margem de erro de 5,4% e nível de confiança de 95%. Os resultados mostraram que lidar com tecnologia no trabalho e ter mais pessoas em casa usando tecnologia afeta a TRI do indivíduo. Como contribuição à academia, a pesquisa descreveu uma revisão e uma aplicação prática em relação ao fenômeno dos produtos de alta tecnologia e sua ligação com o processo de adoção.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luciana Peixoto Santa Rita, Universidade Federal de Alagoas

Possui graduação em Economia pela Universidade Federal de Alagoas (1993), graduação em Direito pelo Centro de Estudos Superiores de Maceió (1994), mestrado em Administração pela Universidade Federal de Alagoas (1999) e doutorado em Administração pela Universidade de São Paulo (2004). Atualmente é Professora Associada II da Universidade Federal de Alagoas e ministra aulas no Curso de Graduação em Administração e nos Mestrados em Administração Pública (PROFIAP) e Economia Aplicada.

Alcides Carlos de Araújo, Universidade Federal de Alagoas

Doutorando na Universidade de São Paulo - USP, na área de Administração com ênfase em Métodos Quantitativos e Informática. Possui Mestrado pela Universidade de São Paulo, também na área de Administração com ênfase em Métodos Quantitativos e Informática. É pesquisador nos grupos de pesquisa Núcleo de Estudos em Big Data e Núcleo de Estudos em Modelos Econométricos. 

Mainah Almeida de Paula, Universidade Federal de Alagoas

Graduada em Administração de Empresas pela Universidade Federal de Alagoas (UFAL). Tem experiência na área de Administração, com ênfase em Administração.

Manuella de Oliveira Lima, Universidade de São Paulo

Manuella de Oliveira Lima é mestre em administração pela Universidade de São Paulo e graduada em administração pela Universidade Federal de Alagoas. Atualmente, ministra aulas na Faculdade Sumaré e trabalha como consultora autônoma em projetos ligados a empreendedorismo, marketing e inovação.

José Carlos Viana Filho, Universidade Federal de Alagoas

Tem experiência na área de Ciência da Computação.

Referências

BAGOZZI, R.; GÜRCHAN-CANLI, Z.; PRIESTER, J.R. The social psychology of consumer behavior. Buckingham, UK: Open University Press, 2002.

CARO, A. Fatores críticos do comportamento do consumidor on line: um estudo exploratório. 2005. 166 f. Dissertação (Mestrado em Administração) – Faculdade de Economia e Administração e Contabilidade, Universidade de São Paulo, 2005.

CERVO, A.L.; BERVIAN, P.A. Metodologia científica. 5. ed. São Paulo: Prentice Hall, 2002.

CHRISTENSEN, C. The innovator’s dilemma. New York: Harvard School Press, 1997.

CORTADA, J.W. Making the information society: experience, consequences, and possibilities. Upper Saddle River: Prentice Hall, 2002.

DOSI, G. et al. Technical change and economic theory. London: Printer, 1988.

ENGEL, J. F. Comportamento do consumidor. São Paulo: LTC, 2000.

FREEMAN, C.; PEREZ, C. Structural crises of adjustment: business cycles and investment behaviour. In: DOSI, G. et al. (Ed.). Technical change and economic theory. London: Pinter, 1988. p. 38-66.

GRANT, R. M. Contemporary strategy analysis. 3rd ed. Malden: Blackwell, 1998.

HAIR JUNIOR, J. F. et al. Análise multivariada de dados. 5. ed. Porto Alegre: Bookman, 2005.

HAWKINS, D.I. et al. Consumer behavior: building marketing strategy. 8th ed. Boston: Irwin/McGraw Hill, 2001.

HOYER, W.; MACINNIS, D. Consumer behavior. 2nd ed. Boston: Houghton Mifflin, 2001.

IBGE. Cidades@. 2005. Disponível em: http://www.ibge.com.br/cidadesat/default.php. Acesso em: 26 jun. 2006.

JEUNON, E. E. Valores e orientação de consumo: proposta e validação de um modelo integrativo. In: ENCONTRO ANUAL DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO, 29., 2005, Brasília, DF. Anais... Brasília, DF: ANPAD, 2005. CD-ROM.

JOERGES, B. Technology in everyday life: conceptual queries. Journal of the Theory of Social Behavior, v. 2, n. 2, p. 219-237, 1988. Published on line.

JUDGE, P.C. Are tech buyers different? Business Week, 26 Jan. 1998. Disponível em: http://www.businessweek.com/archives/1998/b3562090.arc.htm?campaign_id=search. Acesso em: 10 fev. 2007.

KOTLER, P. Administração de marketing. São Paulo: Prentice Hall, 2000.

LEECH, N.L.; BARRET, K.C.; MORGAN, G.A. SPSS for Intermediate Statistics: Use and Interpretation. Second Edition. LEA: New Jersey, 2005.

LEECH, N.L. SPSS for Introdutory Statistics: Use and Interpretation. Second Edition. LEA: New Jersey, 2004.

MALHOTRA, N.K. Pesquisa de marketing: uma orientação aplicada. São Paulo: Bookman, 2001.

MOORE, G. Crossing the chasm marketing and selling high-tech products to mainstream customers. New York: Harperbusiness, 1995.

MOWEN, I.C.; MINOR, M.S. Comportamento do consumidor. São Paulo: Prentice Hall, 2003.

NELSON, R.; WINTER, S. An evolutionary theory of economic change. Cambridge: Belknap, 1982.

PARASURAMAN, A. Technology Readiness Index (TRI): a multiple-item scale to measure readiness to embrace new technologies. Journal of Service Research, Thousand Oaks, v. 2, n. 4, p. 307-320, May 2000.

PARASURAMAN, A.; COLBY, C.L. Marketing para produtos inovadores: como e por que seus clientes adotam tecnologia. Porto Alegre: Bookman, 2002.

PARASURAMAN, A. Techno-ready marketing: how and why your customers adopt technology. New York: Free Press, 2001.

PATEL, P.; PAVITT, K. The continuing, widespread (and neglected) importance of improvements in mechanical technologies. Research Policy, v. 23, p. 533-545, 1994

PAVITT, K. What we know about the Strategic Management of Technology. California Management Review, California, v. 32, n. 4, p. 17-26, Spring, 1990.

PAVITT, K. Sectoral Patterns of Technical Change: Toward a Taxonomy and a Theory. Research Policy, v. 13, n. 6, p. 343-373, Dec. 1984.

ROBERTSON, T.S. Em prol da revitalização. In: FINANCIAL times: dominando admi-

nistração. São Paulo: Makron, 1999. p. 193-199.

ROBERTSON, T.S. Innovative behavior and communication. New York: Holt, Rinehart and Winston, 1971.

ROGERS, E.M. Diffusion of innovations. 5 ed. New York: Free Press, 2003.

ROGERS, E.M. Diffusion of innovations. 5. ed. New York: Free Press, 1995.

ROSENBERG, N. Perspectives on Technology. Cambridge UP: London, 1976.

ROTHWELL, R. Industrial innovation: success, strategy, trends. In: DODGSON, M.; ROTHWELL, R. The handbook of industrial innovation. Cheltenham: Edward Elgar, p. 33-53, 1995.

SCHIFFMAN, L.G.; KANUK, L.L. Comportamento do consumidor. 6. ed. Rio de Janeiro: LTC, 2000.

SOLOMON, M.R. Consumer behavior: buying, having and being. 4th ed. New Jersey: Prentice Hall, 1998.

SOUZA, R.V. Adoção de produtos e serviços baseados em tecnologia pelo consumidor: uma avaliação da aplicabilidade da technology readiness index no contexto brasileiro. 2002. 114 f. Dissertação (Mestrado em Administração) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2002.

TSIKRIKTSIS, N. A technology readiness–based taxonomy of customers: a replication and extension. Journal of Service Research, v. 7, n. 1, p. 42-52, 2004. Published on line. Disponível em: http://jsr.sagepub.com/cgi/content/abstract/7/1/42. Acesso em: 20 out. 2006.

TUSHMAN, M.; NADLER, D. Organizando-se para a inovação. In: STARKEY, K. Como as organizações aprendem: relatos do sucesso das grandes empresas. São Paulo: Futura, 1997. p. 166-189.

Downloads

Publicado

2010-07-05

Como Citar

RITA, L. P. S.; ARAÚJO, A. C. de; PAULA, M. A. de; LIMA, M. de O.; VIANA FILHO, J. C. Consumo de produtos e serviços inovadores: aplicação do índice de prontidão para tecnologia. Revista Brasileira de Inovação, Campinas, SP, v. 9, n. 1, p. 167–196, 2010. DOI: 10.20396/rbi.v9i1.8648997. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rbi/article/view/8648997. Acesso em: 26 set. 2022.

Edição

Seção

Artigos