China: padrão de especialização comercial, tecnologia e comércio intraindustrial

  • Samantha Ferreira e Cunha Universidade Federal de Uberlândia
  • Clésio Lourenço Xavier Universidade Federal de Uberlândia
Palavras-chave: Comércio exterior. Investimento direto estrangeiro. Tecnologia.

Resumo

A China ampliou sua participação nos fluxos de comércio mundial, desde as reformas de abertura econômica em 1979. Ao mesmo tempo, verificou-se uma mudança na estrutura setorial de suas exportações em direção aos setores mais intensivos em capital e tecnologia, em detrimento daqueles primários e intensivos em trabalho. O objetivo do artigo é analisar a evolução do padrão de especialização comercial da China no período recente, a partir da classificação dos setores de exportação e importação segundo a intensidade tecnológica e abordar os fluxos bilaterais de comércio da China com seus principais parceiros comerciais, captando a importância da integração chinesa às redes de produção globais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Samantha Ferreira e Cunha, Universidade Federal de Uberlândia
Graduada em Economia pela Universidade Federal de Uberlândia (2005). Mestre em Economia pela Universidade Federal de Uberlândia (2008). Doutora em Teoria Econômica pela Universidade Estadual de Campinas (2014). Foi aluna visitante da Université Paris Dauphine, França (2012). Pesquisadora do Núcleo de Economia Industrial e da Tecnologia do Instituto de Economia da Unicamp entre 2009 e 2013. Atualmente é especialista em Políticas e Indústria na Gerência de Pesquisa e Competitividade da Confederação Nacional da Indústria - CNI.
Clésio Lourenço Xavier, Universidade Federal de Uberlândia
Concluiu o Doutorado em Economia pelo Instituto de Economia da UNICAMP em 2000. É Pesquisador Produtividade em Pesquisa-PQ do CNPq. Professor Associado da Universidade Federal de Uberlândia, onde foi Coordenador de Curso de Graduação em Economia no período 2004-2006 e Diretor do Instituto de Economia da UFU no período 2007-2015. Publicou 32 (trinta e dois) artigos em periódicos especializados e 24 trabalhos em Anais de Eventos. 

Referências

AQUINO, A. Intra-industry and inter-industry specialization as concurrent sources of interna-

tional trade in manufactures. Weltwirtschaftliches Archiv Bd. CXIV, 1978.

BALASSA, B. Trade liberalization and “revealed” comparative advantage. The Manchester School, v. XXXIII, n. 2, p. 99-123, 1965.

BAUMANN, R.; NEVES, L. F. C. Abertura, barreiras comerciais externas e desempenho exportador brasileiro. Cepal-Brasil, 1998.

BRANSLETTER, L.; LARDY, N. China’s embrace of globalization. NBER, Jul. 2006 (Working Paper, 12373).

CUNHA, A. M.; BIANCARELI, A. M.; PRATES, D. M. A Diplomacia do yuan fraco. Revista de Economia Contemporânea, Rio de Janeiro, v. 11, n. 3, set./dez. 2007.

CUNHA, S.; XAVIER, C.; AVELLAR, A. P. Desempenho das exportações da indústria intensiva em P&D: comparação entre o Brasil e países selecionados no período 1994-2004. In: Encontro Nacional de Economia. Anais... Recife: Anpec, 2007 (Disponível em CD-ROM).

EICHENGREEN, B.; RHEE, Y. TONG, H. The impact of China on the exports of other asian countries. Cambridge, NBER, set. 2004 (Working Paper 10768).

ERNST, D.; GUERRIERI, P. International production networks and changing trade patterns in east Asia: the case of the electronics industry. DRUID, May 1997 (Working Paper n. ° 97-7).

GUERRIERI, P. International trade pattern, structural change and technology in major Latin America countries. Giornali Degli Economisti e Annali di Economia, v. LIII n.o 4-6, Apr.-Jun. 1994.

HOLLAND, M.; XAVIER, C. L. Dinâmica e competitividade das exportações brasileiras: uma análise de painel para o período recente. In: Encontro Nacional de Economia. Anais... João Pessoas-PB, Anpec, 2004 (Disponível em CD-ROM).

IANCHOVICHINA, E.; WALMSLEY, T. The impact of China ́s WTO accession on east Asia. The World Bank, Aug. 2003 (Policy Research Working Paper, 3109).

IDB – INTER-AMERICAN DEVELOPMENT BANK. The emergence of China: opportunities and challenges for Latin America and the Caribbean. 2005.

KRUGMAN, P. Intraindustry specialization and the gains from trade. Journal of Political Economy, The Univerisity of Chicago, v. 89, n. 51, 1981.

LAFAY, G. La mesure des avantages comparatifs révélés: exposé de la méthodologie du CEPII. Économie Prospective Internacionale, p. 27-43, 1990.

LALL, S. Export performance, technological upgrading and foreign direct investment strategies in the Asian newly industrializing economies. Santiago, Chile: Cepal, Out. 2000.

LAPLANE, M. F.; SARTI, F.; HIRATUKA, C.; SABBATINI, R. C. O caso brasileiro. In: CHUDNOVSKY, D. (Coord.). El boom de las inversiones extranjeras directas en el Mercosur. Buenos Aires: Siglo XXI, 2001.

LEMOINE, F. ÜNAL-KESENCI, D. China in the international segmentation of production processes. CEPII, mar. 2002 (Working Paper, 2002-02).

LUNDVALL, B.; GU, S. China’s innovation system and the move towards harmonious growth and endogenous innovation. DRUID, 2006 (Working Paper, 06-7).

MARTINS, M. A. O comércio exterior brasileiro nos anos 1980 e 1990: estrutura e evolução do padrão de especialização. Tese (Doutorado em Economia). Campinas, Unicamp, nov. 2004.

MEDEIROS, C. A. de. A China como um duplo pólo na economia mundial e a recentralização da economia asiática. Revista de Economia Política, São Paulo, v. 26, n. 3, jul./set. 2006.

MEDEIROS, C. A. de. Globalização e inserção diferenciada da Ásia e da América Latina. In: FIORI, J. L.; TAVARES, M. C. (Orgs.). Poder e dinheiro: uma economia política da globalização. Rio de Janeiro: Ed. Vozes, 1997.

OMC – ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DO COMÉRCIO. World Trade Policy Review. China, 2006.

PALMA, G. Gansos voadores e patos vulneráveis: a diferença da liderança do Japão e dos Estados Unidos, no desenvolvimento do Sudeste Asiático e da América Latina. In: FIORI, J. L. (Org.). Poder americano. Rio de Janeiro: Ed. Vozes, 2003.

PAVITT, K. Sectoral patterns of technical change: towards a taxonomy and a theory. Research Policy, v. 13, 1984.

RODRIK, D. What’s so special about China’s exports? Cambridge, NBER, Jan. 2006 (Working Paper, 11947).

RUMBAUGH, T.; BLANCHER, N. China: international trade and WTO accession. IMF, Mar. 2004 (Working Paper).

UNCTAD – UNITED NATIONS CONFERENCE ON TRADE AND DEVELOPMENT. Trade and development report. Part II, 2002.

XAVIER, C. L. Padrões de especialização e competitividade no exterior brasileiro. Tese (Doutorado em Economia). Campinas, Unicamp, 2000.

Publicado
2010-12-22
Como Citar
Cunha, S. F. e, & Xavier, C. L. (2010). China: padrão de especialização comercial, tecnologia e comércio intraindustrial. Revista Brasileira De Inovação, 9(2), 257-290. https://doi.org/10.20396/rbi.v9i2.8649002
Seção
Artigos