Banner Portal
Diferenças setoriais da atividade inovativa das pequenas empresas industriais brasileiras
PDF

Palavras-chave

Inovação tecnológica. Heterogeneidade setorial. Pequenas empresas.

Como Citar

MAIA, Adriano Filipe da Silva; BOTELHO, Marisa dos Reis Azevedo. Diferenças setoriais da atividade inovativa das pequenas empresas industriais brasileiras. Revista Brasileira de Inovação, Campinas, SP, v. 13, n. 2, p. 371–404, 2014. DOI: 10.20396/rbi.v13i2.8649083. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rbi/article/view/8649083. Acesso em: 14 jun. 2024.

Resumo

O artigo apresenta os resultados de uma pesquisa sobre as diferenças setoriais da atividade de inovação das pequenas empresas industriais brasileiras. A hipótese que norteou a elaboração do trabalho, desenvolvida originalmente no estudo de Pavitt (1984), assume a existência de heterogeneidade setorial no processo de geração de inovações, no que se refere tanto às fontes de conhecimento e relações de cooperação, quanto aos resultados, expressos nas taxas de inovação de produto e processo. No trabalho, foram utilizados os dados da Pesquisa de Inovação Tecnológica (Pintec) de 2008, realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Mediante a utilização de uma tabulação especial desenvolvida para o presente trabalho, apresentam-se os dados por porte de empresa e setor de atividade. Os resultados encontrados confirmam a hipótese principal e mostram que o comportamento inovativo das pequenas empresas deve ser apreendido à luz das especificidades setoriais que permeiam a atividade de inovação, o que vai ao encontro de proposições da literatura.

https://doi.org/10.20396/rbi.v13i2.8649083
PDF

Referências

ACS, Z.; AUDRETSCH, D. Innovation and small firms. Cambridge, MA: MIT Press, 1990.

AUDRETSCH, D. Small business in industrial economics: the new learning. Revue D’Économie Industriell, n. 67, p. 21-39, 1994.

BELL, M.; PAVITT, K. Technological accumulation and industrial growth: contrasts between developed and developing countries. Industrial and Corporate Change, v. 2, n. 2, 1993.

BOTELHO, M. R. A.; MAIA, A. F. S.; PIRES, L. A. V. Inovação e porte das empresas: evidências sobre a experiência nacional e estrangeira. Revista de Economia, v. 38, n. 1, p. 143-62, 2012.

CAMPOS, B.; RUIZ, A. Padrões setoriais de inovação na indústria brasileira. Revista Brasileira de Inovação, v. 8, n. 1, p. 167-210, 2009.

CASSIOLATO, J.; BRITTO, J.; VARGAS, M. Arranjos cooperativos e inovação na indústria brasileira. In: DE NEGRI, J.; SALERNO, M. (Orgs.). Inovações, padrões tecnológicos e desempenho das firmas industriais brasileiras. Ipea, 2005, p. 511-576.

DOSI, G. Sources, procedures, and microeconomics effects of innovation. Journal of Economic Literature, v. XXVI, p. 1120-1171, 1988.

JONG, J. P. J.; MARSILI, O. The fruit lies of innovation: a taxonomy of innovative small firms. Research Policy, v. 35, p. 213-229, 2006.

KANNEBLEY JÚNIOR, S.; PORTO, G. S.; PAZELLO, E. T. Inovação na indústria brasileira: uma análise exploratória a partir da PINTEC. Revista Brasileira de Inovação, v. 3, n. 1, p. 87-128, 2004.

MAIA, A. F. S. Inovação em micro e pequenas empresas: uma análise do caso brasileiro. Dissertação (Mestrado) – Instituto de Economia, Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2012.

OLIVEIRA, V. P. Cooperação e inovação no Brasil e na União Europeia: uma análise comparativa, a partir das evidências estatísticas da Pintec 2005 e do CIS 4. Leituras de Economia Política, n. 17, p. 7-36, 2010.

PAVITT, K. Sectoral patterns of technical change: towards a taxonomy and a theory. Research Policy, v. 13, p. 343-373, 1984.

Diferenças setoriais da atividade inovativa das pequenas empresas industriais brasileiras 402 Rev. Bras. Inov., Campinas (SP), 13 (2), p. 371-404, julho/dezembro 2014 Rev. Bras. Inov., Campinas (SP), 13 (2), p. 371-404, julho/dezembro 2014 403

PAVITT, K.; ROBSON, M.; TOWNSEND, J. The size distribution of innovating firms in the UK: 1945–1983. Journal of Industrial Economics, v. 35, n. 3, p. 297-316, 1987.

PINTEC. Pesquisa de Inovação Tecnológica 2008. Rio de Janeiro: Finep, IBGE, MCT e MPOG, 2008.

RIZZONI, A. Technology and organisation in small firms: an interpretative framework. Revue D’Économie Industriell, n. 67, p. 135-155, 1994.

ROTHWELL, R. Small firms, inovation and industrial change. Small Business Economics, v. 1, n. 1, 1989.

SANTARELLI, E.; PIERGIOVANNI, R. Analyzing literature-based innovation output indicators: The Italian experience. Research Policy, n. 25, 1996.

SCHERER, F. Changing perspectives on the firm size problem. In: ACS, Z. J.; AUDRETSCH, D. B. (Eds.). Innovation and technological change: an international comparison. Ann Arbor: University of Michigan Press, 1991.

TETHER, B. S. Small and large firms: sources of unequal innovation. Research Policy, n. 27, 1998.

VAONA, A.; PIANTA, M. Firm size and innovation in european manufacturing. Small Business Economics, n. 30, 2008.

O conteúdo dos artigos e resenhas publicados na RBI são de absoluta e exclusiva responsabilidade de seus autores.

Downloads

Não há dados estatísticos.