Cooperação e desenvolvimento econômico local

ações proativas nas aglomerações de TIC de Curitiba e Coimbra, Portugal

Palavras-chave: Aglomeração, Políticas públicas, Inovação, Interação, Cooperação, Tecnologia da informação e Comunicação (TIC), Universidade-empresa.

Resumo

Este trabalho tem como objetivo geral analisar o papel do Estado, das políticas públicas e das universidades frente ao processo inovativo que ocorre nos polos de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) de Coimbra (IPN) e de Curitiba (APL de Software). A partir da análise da teoria e das entrevistas realizadas, pretende-se verificar como os dois polos potenciam a transferência de conhecimento e aprendizado entre os agentes bem como a atuação das universidades e do governo. O referencial teórico adotado refere-se as aglomerações de empresas segundo a abordagem neoschumpeteriana.A técnica de pesquisa empregada pautou-se em entrevistas orientadas por questionário, que foram realizadas nos anos de 2015 (Coimbra) e 2016 (Curitiba). Defende-se que o ambiente institucional, as políticas públicas e os diversos atores vão impactar decisivamente nos processos de cooperação, de transferência de conhecimento e aprendizado, tanto formal quanto informal. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Pollyanna Rodrigues Gondin, Universidade Federal do Paraná

Pós-doutoranda em Políticas Públicas pela Universidade Federal do Paraná (UFPR).

Walter Tadahiro Shima, Universidade Federal do Paraná

Professor no Instituto de Economia da Universidade Federal do Paraná (UFPR).

Referências

ASHEIM, B. T.; EJERMO, O. E.; RICKNE, A. When is regional “beautiful”? Implications for knowledge flows, entrepreneurship and innovation. London: Routledge Taylor & Francis Group, 2011.

CAMPOS, R. R.; CÁRIO, S.; NICOLAU, J. A.; VARGAS, G. Aprendizagem por interação: pequenas empresas em sistemas produtivos e inovativos locais. In: LASTRES, H. M. M.; CASSIOLATO, J. E.; MACIEL, M. L. Pequena empresa: cooperação e desenvolvimento local. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2004. p. 51-65.

CASSIOLATO, J. E.; SZAPIRO, M. Uma caracterização de arranjos produtivos locais de micro e pequenas empresas. In: LASTRES, H. M. M.; CASSIOLATO, J. E.; MACIEL, M. L. Pequena empresa: cooperação e desenvolvimento local. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2004. p. 35-50.

CASSIOLATO, J. E.; LASTRES, H. M. M. O foco em arranjos produtivos e inovativos locais de micro e pequenas empresas. In: LASTRES, H. M. M.; CASSIOLATO, J. E.; MACIEL, M. L. Pequena empresa: cooperação e desenvolvimento local. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2004. p. 21-33.

CASSIOLATO, J. E.; LASTRES, H. M. M.; STALLIVIERI, F. Introdução: políticas estaduais e mobilização de atores políticos em arranjos produtivos e inovativos locais. In: CASSIOLATO, J. E.; LASTRES, H. M.M.; STALLIVIERI, F. Arranjos Produtivos Locais: uma alternativa para o desenvolvimento. Experiências de políticas. Rio de Janeiro: E-Papers, 2009. v. 2, p. 11-38.

CHIARINI, T.; VIEIRA, K. P. Universidades nos sistemas de inovação: produção de pesquisa científica nas universidades federais do nordeste do Brasil. Revista Economia e Tecnologia, v. 8, n. 1, p. 137-160, 2012. Disponível em: http://revistas.ufpr.br/ret/article/view/27602. Acesso em: 13 jun. 2016.

COHEN, W. M.; LEVINTHAL, D. A. Absorptive capacity: a new perspective on learning and innovation. Administrative Science Quarterly, v. 35, n. 1, p. 128-152, mar. 1990.

COMELI, L. G. Entrevista concedida a Pollyanna Rodrigues Gondin. Consultor Sebrae – gestor do projeto APL de Software de Curitiba e Região, 2017.

GARCIA, R.; RAPINI, M.; CÁRIO, S. (Org.). Estudos de caso da interação universidadeempresa no Brasil. Belo Horizonte: Face/UFMG, 2018.

LASTRES, H. M. M.; FERRAZ, J. C. Economia da informação do conhecimento e do aprendizado. In: LASTRES, H.; ALBAGI, S. Informação e globalização na era do conhecimento. Rio de Janeiro: Campus, 1999. p. 27-57. Disponível em: http://www.uff.br/ppgci/editais/saritalivro.pdf. Acesso em: 10 ago. 2015.

LUNDVALL, B. A.; JOHNSON, B. The learning economy. Journal of Industry Studies, v. 1, n. 2, December 1994. p. 23-42.

LUNDVALL, B. A. Product innovation and user-producer interaction. In: LUNDVALL, B. A. The learning economy and the economics of hope. London; New York, NY: Anthem Press, 2016.

MARQUES, R. A.; FREITAS, I. M. B.; SILVA, E. M. de P. Colaboração com universidade e as atividades para inovação de empresas brasileiras. Engevista, v. 9, n. 2, p. 112-128, 2007. Disponível em: http://www.uff.br/engevista/2_9Engevista3.pdf. Acesso em: 13 jun. 2016.

MAZZUCATO, M. The entrepreneural State: debunking public vs. private sector myths. London; New York: Anthem Press, 2013.

PINTO, H.; AMARO, J. A inovação, o papel das universidades e os organismos de interface: uma visão do Algarve. CanalBQ, n. 5, p. 12-17, 2008. Disponível em: http://www.empreender.aip.pt. Acesso em: 10 mar. 2016.

RAPINI, M. S.; SUZIGAN, W.; FERNANDES, A. C. A.; DOMINGUES, E.; CARVALHO, S. S. M.; CHAVES, C. V. A contribuição das universidades e institutos de pesquisa para o sistema de inovação brasileira. In: XXXVII ENCONTRO NACIONAL DE ECONOMIA. Anais [...]. Foz do Iguaçu: Anpec, 2009. Disponível em: https://core.ac.uk/download/pdf/6228503.pdf. Acesso em: 13 jun. 2016.

ROSENBERG, N. Por dentro da caixa preta: tecnologia e economia. Campinas: Editora Unicamp, 2006 (Coleção Clássicos da Inovação). SEBRAE – Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas. Sobrevivência das empresas no Brasil. Brasília: Sebrae, 2013 (Coleção Estudos e Pesquisas). Disponível em: http://www.sebrae.com.br/Sebrae/Portal%20Sebrae/Anexos/Sobrevivencia_das_empresas_no_Brasil=2013.pdf. Acesso em: 26 ago. 2016.

SUZIGAN, W.; ALBUQUERQUE, E. M. A interação entre universidades e empresas em perspectiva histórica no Brasil. Belo Horizonte: Cedeplar/UFMG, 2008 (Texto para discussão, 329).

Publicado
2019-09-20
Como Citar
Gondin, P. R., & Shima, W. T. (2019). Cooperação e desenvolvimento econômico local. Revista Brasileira De Inovação, 18(2), 271-298. https://doi.org/10.20396/rbi.v18i2.8653014
Seção
Artigos