Compras governamentais para inovação aumentam o esforço inovador? Evidências ao caso brasileiro

Autores

  • Frederico Rocha Universidade Federal do Rio de Janeiro

DOI:

https://doi.org/10.20396/rbi.v18i1.8653575

Palavras-chave:

Política de compras para a inovação, Avaliação de política, Políticas de inovação de demanda, Brasil.

Resumo

Este  artigo  usa  microdados  da  Pintec  para  aferir  o  efeito  da  política  de compras  governa-mentais para inovação no Brasil sobre os gastos em P&D. A Pintec 2014 inclui uma nova pergunta sobre o uso pela empresa das compras governamentais para inovar. O artigo define que empresas que responderam “sim” a essa pergunta participaram de programas de com-pras para a inovação. A seguir, é construída uma amostra de controle usando uma técnica de pareamento exato por estratos e testado o efeito dessas ações sobre a razão entre gastos privados em P&D e vendas (intensidade de P&D). Os resultados sugerem um efeito positivo da política de compras para a inovação sobre a intensidade de P&D. Ele é particularmente importante  quando  se  percebe  que  as  empresas  envolvidas  nesse  tipo  de instrumento  de  política são menores e atuam em setores de menor intensidade tecnológica quando comparadas com as empresas que usam outros instrumentos de inovação, sugerindo um papel especial do instrumento na política de inovação. O artigo então sugere um importante atributo da política de compras: alcançar pequenas empresas e contribuir para o desenvolvimento local.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Frederico Rocha, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Mestrado e doutorado em Economia da Industria e da Tecnologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Professor associado da Universidade Federal do Rio de Janeiro. 

Referências

ABDI. (2013). Mensuração e efetividade dos instrumentos de apoio à inovação no Brasil. Fonte: http://www.abdi.com.br/Estudo/Volume4.pdf.

Arrow, K. (1962). Economic Welfare and the Allocation of Resources for Invention. Em NBER, The Rate and Direction of Inventive Activity: Economic and Social Factors (pp. 609-626). Princeton: Princeton University Press. Fonte: http://www.nber.org/chapters/c2144

Block, F. (2008). Swimming against the current: The rise of a hidden developmental state in the United States. Politics and Society, 36(2), pp. 169-206. doi:10.1177/0032329208318731

Cassiolato, J. E., Lastres, H., & Maciel, M. (2003). Systems of Innovation and Development Evidence from Brazil. Cheltenham: Edward Elgar.

Cunningham, P., Gök, A., & Laredo, P. (2012). The Impact of Direct Support to R&D and Innovation in Firms. Compendium of Evidence on the Effectiveness of Innovation Policy Intervention. Fonte: http://www.innovation-policy.org.uk/

de Sousa, R. A., & Oliveira, J. M. (2010). Compras Governamentais: Análise de Aspectos da Demanda Pública por Equipamentos de Telecomunicações. Radar, 10. IPEA.

Edler, J., & Georghiou, L. (2007). Public procurement and innovation—Resurrecting the demand side. Research Policy, 36, pp. 949-973. doi:10.1016/j.respol.2007.03.003

Edler, J., Georghiou, L., Blind, K., & Uyarra, E. (2013). Evaluating the demand side: New challenges for evaluating. Research Evaluation, 21, pp. 33-47. doi:10. lÓ93/reseval/rvr002

Edquist, C., & Zabala-Iturriagagoitia, J. M. (2012). Public Procurement for Innovation as mission-oriented innovation policy. Research Policy, 41, pp. 1757-1769. doi:10.1016/j.respol.2012.04.022

Edquist, C., Hommen, L., & Tsipouri, L. (2000). Public Technology Procurement and Innovation. New York: Springer.

Edquist, C., Vonortas, N., & Zabala-Iturriagagoitia, J. M. (2015). Introduction. Em C. Edquist, N. Vonortas, J. Zabala-Iturriagagoitia, & J. Edler, Public Procurement for Innovation (pp. 1-34). Cheltenham: Edward Elgar.

Guerzoni, M., & Raitieri, E. (2015). Demand-side vs.supply-side technology policies: Hidden treatment and new empirical evidence in the product mix. Research Policy, 44, pp. 726-747. doi:10.1016/j.respol.2014.10.009

Iacus, S., King, G., & Porro, G. (2012). Causal inference without balance checking: Coarsened exact matching. Political Analysis, 20(1), pp. 1-24. doi:10.1093/pan/mpr013

King, G., & Nielsen, R. (2016). Why Propensity Scores Should not Be Used for Matching. Fonte: https://gking.harvard.edu/publications/why-propensity-scores-should-not-be-used-formatching

Malerba, F., & Nelson, R. (2011). “Learning and Catching Up in Different Sectoral Systems: Evidence from Six Industries. Industrial and Corporate Change, 20(6), pp. 1645-1675. doi:10.1093/icc/dtr062

Mazzucato, M. (2011). The Entrepreneurial State. London: Demos.

Pinto, A. (1970). Naturaleza e Implicaciones de la "Heterogeneidad Estructural" en America Latina. El Trimestre Económico, 37, pp. 83-100. Fonte: http://www.jstor.org/stable/20856116

Rauen, A. (2015). Compras públicas de P&D no Brasil: o uso do artigo 20 da Lei da Inovação. Radar, 40. Brasília: IPEA.

Rauen, C. (2017). As Contratações de P&D para a Nova Fonte de Luz Sincroton Brasileira. Radar, 52. Fonte: http://www.ipea.gov.br/portal/index.php?option=com_content&view=article&id=30601

Ribeiro, C. G. (11-14 de 52 de 2017). Encomendas Tecnológicas Realizadas pela FAB: O Programa KC-390. Radar. Brasília: IPEA. Fonte: http://www.ipea.gov.br/portal/index.php?option=com_content&view=article&id=30601

Rocha, F. (2017). Procurement as innovation policy and its distinguishing effects on innovative efforts of the Brazilian oil and gas suppliers. Economics of Innovation and New Technology. doi:10.1080/10438599.2017.1408199

Rothwell. (1984). Technology-based small firms and regional innovation potential: the role of public procurement. Journal of Public Policy, 4(4), pp. 307-332. doi:10.1017/S0143814X00002774

Soares, R. P. (2005). Compras governamentais: características das firmas industriais e participação. Em J. A. DE NEGRI, & M. S. SALERNO, Inovações, padrões tecnológicos e desempenho das empresas brasileiras (pp. 299-234.). Brasília: IPEA.

Squeff, F. d. (2014). O Poder de Compras Governamental como Instrumento de Desenvolvimento Tecnológico: O Caso Brasileiro. Textos para discussão do IPEA, 1922. IPEA. Fonte: http://www.ipea.gov.br/portal/index.php?option=com_content&view=article&id=21116

Stuart, E. (2010). Matching Methods for Causal Inference: A Review and a Look Forward. Statistical Science, 25(1), pp. 1-21. doi:10.1214/09-STS313

Uyarra, E. (2012). Review of Measures in Support of Public Procurement of Innovation. Compendium of Evidence on the Effectiveness of Innovation. Fonte: http://www.innovation-policy.org.uk/share/16_Review%20of%20Measures%20in%20Support%20of%20Public%20Procurement%20of%20Innovation.pdf

Uyarra, E., & Flanagan , K. (s.d.). Understanding the Innovation Impacts of Public Procurement. European Planning Studies, 18(1), pp. 123-143. doi:10.1080/09654310903343567

Downloads

Publicado

2019-06-05

Como Citar

ROCHA, F. Compras governamentais para inovação aumentam o esforço inovador? Evidências ao caso brasileiro. Revista Brasileira de Inovação, Campinas, SP, v. 18, n. 1, p. 37–62, 2019. DOI: 10.20396/rbi.v18i1.8653575. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rbi/article/view/8653575. Acesso em: 16 set. 2021.

Edição

Seção

Artigos