Som tridimensional para deficientes visuais

interação na arte e no videogame

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/rua.v25i1.8655724

Palavras-chave:

Deficientes visuais, Som tridimensional, Arte sonora, Interatividade, Mobilidade.

Resumo

Neste artigo são apresentadas algumas discussões teóricas que embasam uma das pesquisas em desenvolvimento no designlab/UFSC. O objetivo principal é investigar a construção, de um dispositivo sonoro que facilite na localização e locomoção de deficientes visuais. Parte-se da tridimensionalidade sonora e de seus princípios históricos nas vanguardas artísticas, bem como, alguns seus desdobramentos na arte contemporânea. Na pesquisa são relacionados estudos a respeito do desenvolvimento social e multissensorial do público alvo, com Vygostsky (1997) e (2002) e experiências da arte sonora, a partir de Luigi Russolo (1992) e (1996), John Cage (1985) e (2007) e R. Murray Schafer (1991) e (2001). Por fim, são introduzidos procedimentos técnicos necessários para a construção do protótipo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Adriane Cristine Kirst Andere de Mello, Universidade do Estado de Santa Catarina

Metrado e Doutorado em Artes Visuais pela Universidade do Estado de Santa Catarina.

Milton Luiz Horn Vieira, Universidade Federal de Santa Catarina

Doutor em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de Santa Catarina, Professor Associado da
Universidade Federal de Santa Catarina.

Victor Nassar, Universidade Federal de Santa Catarina

Doutor em Design pela Universidade Federal de Santa Catarina.

Referências

AGAMBEN, G. O que é um dispositivo? Revista Outra travessia, Florianópolis, n. 5, 2005. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/Outra/article/view/12576. Acesso em: 10 jan. 2015.

BAZZICHELLI, T. Networking: The net as Artwork. Milan: Digital Aesthetics Research Center, 2008.

BRASIL. Lei nº 13.146, de 6 de Julho de 2015. Institui a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência). Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2015/lei/l13146.html. Acesso em: 05 out, 2018.

BRAXTON, Boren. History of 3D sound. In: ROGINSKA, Agnieszka e GELUSO, Paul (Orgs.) Immersive sound: the art and science of binaural and multi-channel audio. New York: Routledge, 2017.

CAGE, J. De segunda a um ano. São Paulo: Hucitec, 1985. (publicado orig. 1967).

CAGE, J. Silencio. Madrid: Árdora Ediciones, 2007. (publicado orig. 1961).

DUCHAMP, M. O ato criador. p.71-74 In: BATTCOCK, G. A nova arte. São Paulo: Perspectiva, 2013.

FERREIRA, G.; COTRIM, C. Dick Higgins. p.139-140. In: FERREIRA, G.; COTRIM, C. (Org.). Escritos de artistas, anos 60/70. Rio de Janeiro: Ed. Zacarias, 2006.

ITURBIDE, M. R. La instalación sonora. n. 4. Coenca: Universidad de Castilla La Mancha, Revista Ólodo Jan, 2003. Disponível em: https://previa.uclm.es/artesonoro/Olobo4/html/rocha.html. Acesso em: 20 jun, 2018.

LABELLE, B. Background noise - perspectivas sobre arte sonora. 2. ed. London: Boomsbury Publishing, 2015.

LADLY, M. Portáteis e lúdicos: aparelhos afetivos e ambientes reponsivos. In: BEIGUELMAN, G.; LAFERLA, J. (Org.). Nomadismos tecnológicos. São Paulo: Ed. Senac, 2011. p. 91-98.

RUSSOLO, L. The art of noises. New York: Pendragon Press, 1986.

RUSSOLO, L. A arte dos ruídos: manifesto futurista (1913). In: MENEZES, F. (Org.). Música eletroacústica. São Paulo: Ed. da Universidade de São Paulo, 1996. p. 51-55.

RUSSOLO, L. Consoantes: os ruídos da língua. In: MENEZES, P. (Org.). Poesia sonora: poéticas experimentais da voz no século XX. São Paulo: EDUC, 1992. (publicado orig. 1916) .p.23-29.

SCHAFER, R. M. O ouvido pensante. São Paulo: Editora Unesp, 1991.

SCHAFER, R. M. A afinação do mundo: uma exploração pioneira pela história passada e pelo atual estado do mais negligenciado aspecto de nosso ambiente: a paisagem sonora. São Paulo: Editora Unesp, 2001.

SIAULYS, M. O.; ORMELEZI, E. M.; BRIANT, M. E. (org). A deficiência visual associada à deficiência múltipla e o atendimento educacional especializado: encarando desafios e construindo possibilidades. São Paulo: Laramara, Associação Brasileira de Deficiência Visual, 2011.

VYGOTSKY, L. S. Obras escogidas V: juntamentos de defectologia. Madri: Visor, 1997.

VYGOTSKY, L. S. A formação social da mente. São Paulo: Martins Fontes, 2002.

Downloads

Publicado

2019-06-26

Como Citar

MELLO, A. C. K. A. de .; VIEIRA, M. L. H. .; NASSAR, V. Som tridimensional para deficientes visuais: interação na arte e no videogame. RUA, Campinas, SP, v. 25, n. 1, 2019. DOI: 10.20396/rua.v25i1.8655724. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rua/article/view/8655724. Acesso em: 26 nov. 2022.

Edição

Seção

Estudos