O espaço como potência das forças moleculares

O calçadão da Av. São João

Autores

Palavras-chave:

Metrópoles, Rizoma, Espaço público, Urbanismo, Cartografia

Resumo

Este artigo busca explorar outros modos de se pensar as metrópoles, o espaço público, a partir do pensamento rizomático da experiência e prática da deriva e cartografia. Identificando e reconhecendo as singularidades locais e as territorialidades que habitam os espaços da cidade contemporânea. Através de um processo de apreensão e cognição do lugar na escala da rua e do usuário, questionando os processos funcionalistas de produção do espaço de um urbanismo que segue as regras do sistema capitalista estandardizado. O recorte espacial da avenida São João, no Vale do Anhangabaú em São Paulo, entra nessa pesquisa como um laboratório experimental, simbólico, que será conduzido pelo movimento rizomático e expresso por cartografias de forças e afetos que atravessam os corpos, considerando as microrresistências, as questões ambientais, sócio-políticas e de produção de subjetividades.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Hélio Hirao, Unesp

Doutor em Geografia Urbana pela FCT-UNESP. Professor Assistente Doutor do Departamento de Planejamento, Urbanismo e Ambiente da FCT-UNESP.

Camila Komakome, Unesp

Graduada em Arquitetura e Urbanismo pela Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" (UNESP) e membro do grupo de pesquisa: Projeto, Arquitetura e Cidade - Núcleo de Pesquisa em Patrimônio e Projeto (NePP).

Referências

CARERI, Francesco. Walkscapes: o caminhar como prática estética. São Paulo: ed. GG, 2013.

CERTEAU, Michel de. A invenção do cotidiano: Artes de fazer. 3 ed. Petrópolis: Vozes, 1998.

DELEUZE, G. e GUATTARI, F.Rizoma. Mil Platôs. Volume 1. Rio de Janeiro: ed. 34, 1995. FOUCAULT, Michel. De outros espaços. In: conferência proferida por Michel Foucault no Cercle d’Études Architecturales, 1967.

GUATTARI, Félix. A restauração da paisagem urbana. Revista Patrimônio HAN (24). São Paulo, 1996, p. 293-300.

JACQUES, Paola B. Apologia da deriva. Escritos situacionistas sobre a cidade. Rio de Janeiro: Casa da Palavra, 2003, p.13-39.

KOOLHAAS, Rem. A cidade genérica. Três textos sobre a cidade. Barcelona: ed. Gustavo Gili, 2010, p.29-66.

PASSOS, E; KASTRUP V. e da ESCÓSSIA L. Pistas do método da cartografia: Pesquisa- intervenção e produção de subjetividade. Porto Alegre: Sulina, ed. Meridional, 2015.

RAGO, Margareth. Inventar outros espaços, criar subjetividades libertárias. São Paulo, ed. Escola da Cidade, 2015.

ROLNIK, Raquel. Leituras Brasileiras. Cidades: Ação e Reflexão. Direção: Rodolfo Pelegrin. São Paulo: Panama Filmes, 2019. Português. 22 min. Disponível em: < https://www.youtube.com/watch?v=CJGw3f91LEc >. Acesso em: 26 out. 2019.

SOMEKH, Nadia; CAMPOS FILHO, Cândido Malta. A cidade não pode parar: planos urbanísticos de São Paulo no século XX. São Paulo: Mackpesquisa. Ed. Mackenzie, 2002.

Downloads

Publicado

2021-09-20

Como Citar

HIRAO, H.; KOMAKOME, C. O espaço como potência das forças moleculares: O calçadão da Av. São João. RUA, Campinas, SP, v. 27, n. 2, 2021. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rua/article/view/8666744. Acesso em: 30 nov. 2021.

Edição

Seção

Estudos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)