Banner Portal
Plurilinguismo e cartografia discursiva do estado do Rio de Janeiro
PDF

Palavras-chave

Política linguística
Plurilinguismo
Cartografia discursiva

Como Citar

SOUZA, Tania Conceição Clemente de; ROSA, Rodrigo Pereira da Silva. Plurilinguismo e cartografia discursiva do estado do Rio de Janeiro. RUA, Campinas, SP, v. 27, n. 2, p. 201–222, 2021. DOI: 10.20396/rua.v27i2.8667773. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rua/article/view/8667773. Acesso em: 14 abr. 2024.

Resumo

Como ponto de partida está o mapeamento das diferentes línguas faladas no Rio de Janeiro, com a proposta de uma cartografia discursiva. Enveredamos pela articulação de conceitos oferecidos pela Análise de Discurso de linha francesa e da escola europeia de Sociolinguística. Sendo o Rio de Janeiro polo que agrega povos de diferentes procedências, muitos são os entraves e problemas para acolher a todos. A principal barreira na solução para um bom acolhimento reside na diversidade de línguas que fluem com o trânsito de muitos imigrantes, de povos originários do Brasil e do fluxo constante de refugiados. A proposta de uma cartografia está, assim, na possibilidade de, ao mapear essas línguas, pensar no atravessamento do urbano pela sonoridade de tantas e diferentes línguas.

https://doi.org/10.20396/rua.v27i2.8667773
PDF

Referências

ARACIL, L. V. Sobre la situació minoritária. In: ARACIL, L. V. (Org.). Dir la realitat. Barcelona: Edicions Països Catalans, 1983. p. 171-206.

BAUMAN, Z. Amor líquido: sobre a fragilidade dos laços humanos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2004.

CASTRO, Y. P. Das línguas africanas ao português brasileiro. Ano: 1983. Disponível em: https://repositorio.ufba.br (consulta: 30/12/2019 às 15:40)

CROCI, F. A imigração no Brasil. In: MELLO, H.et al (Orgs.). Os contatos linguísticos no Brasil. – Belo Horizonte: Ed UFMG, 2011

GADET, F.; PÊCHEUX, M. A língua inatingível: o discurso na história da linguística. Campinas, SP: Pontes, 2004 [1981].

HAMEL, R. E. La política del linguaje y el conflicto interétnico: problemas de investigación sociolingüística. In: ORLANDI, Eni P. Política Lingüística na América Latina. p. 41-73 Campinas, SP: Pontes, 1988.

LESSER, Jeffrey. A negociação da identidade nacional: imigrantes, minorias e a luta pela etnicidade no Brasil, SP: Unesp, 2001.

MENEZES, L. M.. Jovens portugueses: histórias de trabalho, histórias de sucessos, histórias de fracassos. In: GOMES, A. de C.. (Org.). Histórias de imigrantes e de imigração. 1ed.Rio de Janeiro: Sete Letras, 2000, v. 1, p. 164-182.

MOURA, J. R. F. de. Da sombra às cores: análise discursiva do dicionário LGBTs e Aurélia. Tese (Doutorado) – Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2018.

OLIVEIRA. G. M de.; ALTENHOFEN, C. V. O in vitro e o in vivo na política da diversidade linguística do Brasil: Inserção e exclusão do plurilinguismo na educação e na sociedade. In: Mello, H. et al. Os contatos linguísticos no Brasil. Belo Horizonte: Ed UFMG, 2011. Págs. 187-216

ORLANDI, E. P.; SOUZA, T. C. C. de. A língua imaginária e a língua fluída: dois métodos de trabalho com a linguagem. In: ORLANDI, E. (Org.). Política Linguística na América Latina. – Campinas, SP: Pontes Editores, 1988

ORLANDI, E. P. Espaços Linguísticos e seus desafios: convergências e divergências. Revista Rua no. 18, vol. 2, 2012

ORLANDI, E. P. Ciência da língua e política: Anotação ao pé das letras. Campinas, SP: Pontes Editores, 2014

ORLANDI, E. P. Cidade dos Sentidos. Campinas, SP: Pontes Editores, 2004.

PÊCHEUX, M. O discurso: estrutura ou acontecimento. Campinas, SP: Pontes, 1990.

PETTER, M. A influência das línguas africanas no português brasileiro. In: MELLO, Heliana et. all (Org.). Os contatos linguísticos no Brasil. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2011. Págs. 255-274

PONSO, L. C. Situação minoritária, população minorizada, língua menor: uma reflexão sobre a valoração do estatuto das línguas na situação de contato linguístico. Revista Gragoatá. Vol. 22. Nº 42, p. 184-207. jan-abr. 2017.

ROSA, R. P. S.; SOUZA, T. C. C. de. Política linguística, pluringuismo e consenso. Revista Interfaces. Vol. 10 n. 2, p. 118-128. 2019

ROSA, R.P.S. Plurilinguismo e política linguística em território fluminense: proposta de uma cartografia discursiva. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Faculdade de Letras. Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2020. 96 f.

SOUZA, T. C. C. de. A análise do não verbal e os usos da imagem nos meios de comunicação. RUA, Campinas, SP, v. 7, n. 1, p. 65–94, 2001 DOI: 10.20396/rua.v7i1.8640721.

SOUZA, T. C. C., ARAUJO, J. W. P. Práticas migratórias e movimentos na história: índios urbanos. Belo Horizonte, MG: XXV encontro Nacional da ANPOLL, 2010,

SOUZA, T. C. C. de. Língua nacional e materialidade discursiva: A influência do tupi. In: MELLO, Heliana et. al (Org.). Os contatos linguísticos no Brasil. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2011. Págs. 241-254.

SOUZA, T. C. C. de. Que línguas são faladas no Rio de Janeiro? Plurilinguismo e política de línguas. Santarém, PT: VI SIMELP, 2018a.

SOUZA, T. C. C. de. Refugiados e línguas de herança: plurilinguismo e política de línguas. Santarém, PT: VI SIMELP, 2018b.

SOUZA, T. C. C. de. Política linguística, política de línguas e línguas silenciadas. In. FIGUEIREDO, A. e REIS, L. (Orgs.). Estudos linguísticos nas línguas minoritarizadas. 2021 (no prelo)

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License.

Copyright (c) 2021 RUA

Downloads

Não há dados estatísticos.