Setor comercial sul de Brasília

a vida cotidiana como possibilidade para o planejamento

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/rua.v28i1.8670053

Palavras-chave:

Vida cotidiana, Política patrimonial, Planejamento urbano, Modernismo, Setor comercial sul (Brasília)

Resumo

Alinhando três abordagens – a produção social do espaço e a forma urbana em Lefebvre, a experiência empírica do corpo no espaço em Debord e De Certeau e a ação coletiva em Tilly – o trabalho busca analisar as formas de apropriação cotidiana dos espaços do Setor Comercial Sul (SCS) de Brasília, Distrito Federal, pela população, como possibilidade para um planejamento como práxis transformadora e uma política patrimonial que considere o modo de vida como aspecto vital e interligado ao conjunto tombado da capital. O mapeamento, fotografias e entrevistas conduzidos mostram as possibilidades para uma revolução urbana a partir do cotidiano valorizando as práticas ordinárias e criativas de apropriação dos espaços para um planejamento e política patrimonial não-técnicos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Patrícia Silva Gomes, Universidade de Brasília

Professora da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de Brasília – FAU-UnB.

Mariana Vieira de Mello, Universidade de Brasília

Graduação em andamento em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade de Brasília – FAU-UnB. 

Referências

CARLOS, A.F.A. Espaço-tempo da vida cotidiana na metrópole. São Paulo: Labur Edições, 2017, 2ª edição revisada, 317p.

CASTRIOTA, L. B. História da arquitetura e preservação do patrimônio: diálogos. In: XXIV Colóquio do Comitê Brasileiro de História da Arte. Anais [...]. Belo Horizonte, 2007. p.1-7.

CODEPLAN. Pesquisa Distrital por amostra de domicílios. 2018. Disponível em: https://www.codeplan.df.gov.br/wp-content/uploads/2019/03/PDAD_DF-Grupo-de-Renda-compactado.pdf. Acesso em: 23 de novembro de 2021.

COSTA, L. Brasília revisitada, 1985-1987: complementação, preservação, adensamento e expansão urbana. In: LEITÃO, F. (org.). Brasília 1960-2010: passado, presente e futuro. Brasília: SEDUMA, 2009. p. 69-78.

COSTA, M.E; LIMA, A.V. de. Brasília 57-85: do plano piloto ao Plano Piloto. In: LEITÃO, F. (Org.). Brasília 1960-2010: passado, presente e futuro. Brasília: SEDUMA, 2009. p. 45-68.

DE CERTEAU, M. A invenção do cotidiano: 1. Artes de fazer. Petrópolis, RJ: Vozes, 2003. DOI: https://doi.org/10.5565/rev/athenead/v1n4.103

DEBORD, G. A sociedade do espetáculo. Rio de Janeiro: Contraponto, 1997.

GOTTMANN, J. The Significance of Territory. The Rector and Visitors of the University of Virginia. Virginia: University of Virginia, 1973.

GOULART, M.; LEITÃO, F. Escala gregária. In: LEITÃO, F. (Org.). Brasília 1960-2010: passado, presente e futuro. Brasília: SEDUMA, 2009. p. 45-68.

HARVEY, D. Rebel cities. From the right to the city to the urban revolution. Londres/Nova York: Verso, 2012.

INSTITUTO DOS ARQUITETOS DO BRASIL DEPARTAMENTO DISTRITO FEDERAL. 2020. O Centro do Plano Piloto precisa ser devolvido às pessoas de Brasília. Disponível em: http://www.iabdf.org.br/noticias. Acesso em: 23 de novembro de 2021.

IPHAN. Superintendência no Distrito Federal. Parecer Técnico nº 07/2021/COTEC/IPHAN-DF/IPHAN-DF. Programa de Revitalização do Setor Comercial Sul, denominado “Viva Centro!”. 2021. Disponível em: https://pt.scribd.com/document/522915986/Iphan-SCS. Acesso em: 23 de novembro de 2021.

JACQUES, P. B. (Org.). Apologia da Deriva – escritos situacionistas sobre a cidade / Internacional Situacionista. Rio de Janeiro: Casa da Palavra, 2003.

LACOMBE, M. S. M. Os fundamentos marxistas de uma sociologia do cotidiano. In: Revista Outubro, ed. 17. São Paulo, 2008. p. 145-172.

LEFEBVRE, H. A revolução urbana. (Trad. Sérgio Martins). B. Horizonte, Ed.UFMG, 1991c.

LEFEBVRE, H. A vida cotidiana no mundo moderno. (Trad. João de Barros). São Paulo: Editora Ática, 2009.

LEFEBVRE, H. Contribution a l´estetique. Paris, Éditions Sociales, 1953. 43p.

LEFEBVRE, H. Critique of Everyday Life. V1. Introduction (Trad. John Moore). London; New York: Verso, 1991b.

LEFEBVRE, H. Critique of Everyday Life. V2. Foundations for a sociology of the everyday (Trad. John Moore). London; New York: Verso, 2002.

LEFEBVRE, H. Critique of Everyday Life. V3. The one-volume edition (Trad. John Moore). London; New York: Verso, 2014.

LEFEBVRE, H. La presencia y la ausencia. México: Fondo de Cultura Económica, 1983.

LEFEBVRE, H. O direito à cidade. São Paulo: Editora Centauro, 2011.

LEFEBVRE, H. The production of space. 1ª ed. Oxford: Blackwell, 1991a.

MADSON, C. R. Preservação do conjunto urbanístico de Brasília: alguma coisa está fora da ordem. In: LEITÃO, F. (Org.). Brasília 1960-2010: passado, presente e futuro. Brasília: SEDUMA, 2009. p. 219-238.

MCADAM, D.; TARROW, S.; TILLY, C. Para mapear o confronto político. In: Lua Nova, São Paulo, 76: 11-48, 2009. DOI: https://doi.org/10.1590/S0102-64452009000100002

MILLER, B. Geography and social movements. Minneapolis: Minnesota University, 2000.

NAGLE, C. B. ; MEDRANO, L. Retorno à cidade. Habitação social e o centro urbano consolidado da cidade de São Paulo. In: I Congresso Internacional de Vivienda Colectiva Sostenible. 2014. v. 1. Anais [...]. Barcelona: UPC, 2014. p. 316-323.

NOBRE, E. A. C. Políticas urbanas para o centro de São Paulo: renovação ou reabilitação? Avaliação das propostas da prefeitura do município de São Paulo de 1970 a 2004. Pós. Revista Do Programa De Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo da FAUUSP, (25), 2009. São Paulo: FAUUSP, 2009, p. 214-231. DOI: https://doi.org/10.11606/issn.2317-2762.v0i25p214-231

POULANTZAS, N. O estado, o poder, o socialismo. Rio de Janeiro: GRAAL, 1980.

SCHIMID, C. Teoria da produção do espaço de Henri Lefebvre: em direção a uma dialética tridimencional. (Trad. Marta Inez Medeiros Marques; Marcelo Barreto). In: GEOUSP – espaço e tempo, N°32. São Paulo, 2012. p. 89-109. DOI: https://doi.org/10.11606/issn.2179-0892.geousp.2012.74284

SEDUH. Governo propõe residências no Setor Comercial Sul. 2020. Disponível em: https://www.seduh.df.gov.br/governo-propoe-residencias-no-setor-comercial-sul/. Acesso em: 23 de novembro de 2021.

SEDUH. Projeto de Lei Viva Centro! Disponível em: http://www.seduh.df.gov.br/projeto-de-lei-complementar-viva-centro/. Acesso em: 23 de novembro de 2021.

SNOW, A.; BENFORD, D. Master frames and cycles of protest. In: MORRIS, A.; MUELLER, C. M. (Eds.). Frontiers in social movement theory. New Haven: Yale University Press, 1992.

SNOW, D. A.; 1986. “Frame alignment processes, micromobilization, and movement participation”. American Sociological Review, nº 51, pp. 464-481. DOI: https://doi.org/10.2307/2095581

TILLY, C. From Mobilization to Revolution. Nova York: Random House, 1978.

Downloads

Publicado

2022-06-08

Como Citar

GOMES, P. S. .; MELLO, M. V. de . Setor comercial sul de Brasília: a vida cotidiana como possibilidade para o planejamento. RUA, Campinas, SP, v. 28, n. 1, p. 187–218, 2022. DOI: 10.20396/rua.v28i1.8670053. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rua/article/view/8670053. Acesso em: 2 dez. 2022.

Edição

Seção

Estudos