O peso das questões sociais na noção de scientific literacy no Brasil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/rua.v28i1.8670299

Palavras-chave:

Linguagem, Letramento, Educação científica, Ensino de ciências, Letramento científico

Resumo

A emergência do termo literacy, no final do século XIX, e da expressão derivada scientific literacy, no final da década de 1950, está diretamente ligada aos processos de urbanização e industrialização. Duas expressões são usadas, por brasileiros, como sinônimo de scientific literacy: a maioria dos estudos publicados em português adota o termo “alfabetização científica”, mas o número de artigos sobre “letramento científico” vem crescendo. Este artigo apresenta uma análise qualitativa de cinco pesquisas de pós-graduação sobre “letramento científico” e cinco sobre “alfabetização científica” e conclui que, embora tenham aspectos em comum, o primeiro grupo é predominantemente voltado para questões sociais relacionadas a ciência e tecnologia e o último focado na natureza da ciência.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rodrigo Bastos Cunha, Universidade Estadual de Campinas

Doutor em Linguística Aplicada e docente do Programa de Pós-Graduação em Divulgação Científica e Cultural da Universidade Estadual de Campinas.

Referências

ALMEIDA, S. A. Interações e práticas de letramento mediadas pela revista Ciência Hoje das Crianças em sala de aula. 2011. 270f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade de São Paulo, São Paulo.

AYALA, F. J. Introductory essay: the case for scientific literacy. In: UNESCO. World Science Report 1996. Paris: Unesco, 1996, p. 1-5). DOI: https://doi.org/10.18356/9789210059091c003

BAND. Macacos da Serra da Capivara surpreendem cientistas. In: BAND. Jornal da Band. São Paulo, SP: Band, 19 jul. 2017. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=k2RxeIs5bNU. Acesso em: 23 jul. 2021.

BROSSARD, D.; LEWENSTEIN, B. V. A critical appraisal of models of public understanding of science: using practice to inform theory. In: KAHLOR, L. N.; STOUT, P. (Eds.). Communicating science: new agendas in communication. New York, NY: Routledge, 2010, p. 11-39.

BUENO, W. C. Jornalismo científico no Brasil: os compromissos de uma prática dependente. 1984. 172f. Tese (Doutorado em Ciências da Comunicação). Universidade de São Paulo, São Paulo.

CUNHA, R. B. Alfabetização científica ou letramento científico? Interesses envolvidos nas interpretações de scientific literacy. Revista Brasileira de Educação, v. 22, n. 68, jan./mar. 2017, p. 169-186. DOI: https://doi.org/10.1590/s1413-24782017226809

CUNHA, R. Pesquisa e exploração dos aromas amazônicos. Revista ComCiência, n. 91, julho de 2007. Disponível em: https://www.comciencia.br/comciencia/index.php?section=8&edicao=28&id=321. Acesso em: 27 jul. 2021.

FOUREZ, G. Alphabétisation scientifique et technique et îlots de rationalité. In: GIORDAN, A.; MARTINAND, J. L.; RAICHVAG, D. (Eds.) Actes des XIV Journées Internationales sur la Communicationn, l’Éducation et la Culture Scientifiques et Industrielles. Cachan: École Normale Superiére, Avril, 1992, p. 45-56.

FRAIHA-MARTINS, F. Significação do ensino de ciências e matemática em processos de letramento científico-digital. 2014. 190f. Tese (Doutorado em Educação em Ciências e Matemática). Universidade Federal do Pará, Belém, PA.

HURD, P. Science literacy: its meaning for American schools. Educational Leadership, n. 16, p. 13-16 (continua na página 52).

KLEIMAN, A. B. Modelos de letramento e as práticas de alfabetização na escola. In: KLEIMAN, A. B. (Org.). Os significados do letramento: uma nova perspectiva sobre a prática social da escrita. Campinas, SP: Mercado de Letras, 1995, p. 15-61.

LAUGKSCH, R. C. Scientific literacy: a conceptual overview. Science Education, v. 84, n. 1, p. 71-94, 2000. DOI: https://doi.org/10.1002/(SICI)1098-237X(200001)84:1<71::AID-SCE6>3.0.CO;2-C

LEMKE, J. L. Aprender a hablar ciencia – Lenguaje, aprendizaje y valores. 1ª ed. Tradução de Ana Garcia, Benilde Garcia, Frida Díaz Barriga, Irene Muriá, Marco Antonio Rigo e Geraldo Hernández. Barcelona, Buenos Aires e México: Paidós, 1997.

LORENZETTI, L. Alfabetização científica no contexto das séries iniciais. 2000, 143f. Dissertação (Mestrado em Educação). Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC.

NORRIS, S. P.; PHILLIPS, L. M. How literacy in its fundamental sense is central to scientific literacy. Science Education, v. 87, n. 2, p. 224-240, jan 2003. DOI: https://doi.org/10.1002/sce.10066

NUNES, P. S. Alfabetização científica-tecnológica-digital e Plataforma Lattes: quais possibilidades? 2006, 164f. Dissertação (Mestrado em Educação). Universidade do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo, RS.

RICHETTI, G. P. A automedicação como tema social no ensino de química para o desenvolvimento da alfabetização científica e tecnológica. 2008, 190f. Dissertação (Mestrado em Educação Científica e Tecnológica). Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC.

ROBERTS, D. A. Scientific literacy/Science literacy. In: ABELL, S. K.; LEDERMAN, N. G. (Eds.). Handbook of Research on Science Education. New York, NY: Routledge, 2007, p. 729-780.

RODRIGUES, C. Abordagem CTS e possibilidades de letramento científico no projeto Água em Foco: tipos textuais e linguagem científica. 2010, 99f. Dissertação (Mestrado em Educação). Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, MG.

SANTOS, W. L. P. Aspectos sócio-científicos em aulas de química. 2002, 336f. Tese (Doutorado em Educação). Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, MG.

SANTOS, W. L. P. Educação científica na perspectiva de letramento como prática social: funções, princípios e desafios. Revista Brasileira de Educação, v. 12, n. 36, p. 474-495, 2007. DOI: https://doi.org/10.1590/S1413-24782007000300007

SASSERON, L. H. Alfabetização científica no ensino fundamental: estrutura e indicadores deste processo em sala de aula. 2008, 265f. Tese (Doutorado em Educação). Universidade de São Paulo, São Paulo, SP.

SHEN, B. S. P. Science literacy. American Scientist, v. 63, n. 3, p. 265-268, 1975.

SILVA, E. T. Uma reflexão sobre o ato de ler. 1979. Tese (Doutorado em Psicologia da Educação). Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, SP.

SILVA, E. T. Unidades de leitura – trilogia pedagógica. Campinas, SP: Autores Associados, 2003.

SOARES, A. G. A produção de sentido em biologia: a contribuição de uma atividade de leitura, discussão e produção de texto. 2008, 98f. Dissertação (Mestrado em Ensino de Ciências e Matemática). Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, Belo Horizonte, MG.

SOARES, M. Letramento: um tema em três gêneros. 1ª ed. Belo Horizonte, MG: Autêntica, 1998.

SOUZA, V. F. M. A importância da pergunta na promoção da alfabetização científica dos alunos em aulas investigativas de física. 2012, 151f. Dissertação (Mestrado em Ensino de Ciências). Universidade de São Paulo, São Paulo, SP.

Downloads

Publicado

2022-06-30

Como Citar

CUNHA, R. B. O peso das questões sociais na noção de scientific literacy no Brasil. RUA, Campinas, SP, v. 28, n. 1, p. 295–319, 2022. DOI: 10.20396/rua.v28i1.8670299. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rua/article/view/8670299. Acesso em: 1 dez. 2022.

Edição

Seção

Estudos

Dados de financiamento