Banner Portal
Feminismo estilo magazine
PDF

Palavras-chave

Feminismo
Revista de moda
Interseccionalidades
Teorias do jornalismo
Redes sociais

Como Citar

BORGES, Juliano; COPPI, Milena. Feminismo estilo magazine: um estudo sobre a Revista Elle Brasil. Cadernos Pagu, Campinas, SP, n. 58, p. e205810, 2021. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cadpagu/article/view/8664343. Acesso em: 15 abr. 2024.

Resumo

O trabalho analisa duas edições da revista Elle Brasil que abordaram temáticas feministas em 2015. Destinada ao público feminino consumidor de moda, o feminismo foi incorporado à revista em aparente contradição com os conteúdos convencionais e valores afirmados em sua linha editorial. Porém, essa incorporação do feminismo não configura uma novidade, mas uma experiência de continuidade na história da imprensa feminina brasileira, a que chamamos de ‘feminismo estilo magazine’, pautada agora, porém, pela influência das redes sociais. Para compreender as ambiguidades e potencialidades políticas dessa dicotomia mobilizamos abordagens construcionistas em uma análise da revista como formadora de opinião.

 

PDF

Referências

BANDEIRA, Ana Paula Bornhausen da Silva. Jornalismo feminino e jornalismo feminista: aproximações e distanciamentos. Vozes e Diálogos, Itajaí, v.14, n.2, julho-dezembro, 2015.

BUITONI, Dulcília Schroeder. Imprensa feminina. São Paulo: Ática, 1986.

BUITONI, Dulcília Schroeder. Revistas femininas: ainda somos as mesmas, como nossas mães. Revista Communicare – Dossiê Feminismo, v.14, n.1, 1º semestre, 2014.

BRAH, Avtar. Diferença, diversidade, diferenciação. Cadernos pagu, São Paulo, v.26, janeiro-junho, 2006. CAHILL, Ann J. Overcoming objectification. New York, Routledge, 2012.

DUARTE, Constância Lima. Imprensa feminina e feminista no Brasil: século XIX – Dicionário ilustrado. Belo Horizonte: Autêntica, 2016.

FEDERICI, Silvia. Calibã e a bruxa: mulheres, corpo e acumulação primitiva.São Paulo: Elefante, 2017.

GOLDMAN, Robert; HEATH, Deborah; SMITH, Sharon L. Commodity Feminism. Critical Studies in Mass Communication.Londres: Routledge (8), 1991.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade.Rio de Janeiro: Lamparina, 2014.

KARHWAI, Issaaf. Influenciadores digitais: o Eu como mercadoria. In: SAAD, Elizabeth; SILVEIRA, Stefanie Carlan da (Org). Tendências em Comunicação Digital. São Paulo: ECA-USP, 2016.

KELLNER, Douglas. A cultura da mídia. Bauru: Edusc, 2001.

LIMA, Samanta Petersen da Rocha; SAID, Gustavo Fortes. Revistas para mulheres e os modelos identitários femininos em uma sociedade em midiatização. In: Seminário Internacional De Pesquisas Em Midiatização E Processos Sociais. 2, 2018, São Leopoldo. Anais... São Leopoldo, Unisinos, 2018.

MORIN, Edgar. As estrelas: mito e sedução no cinema. Rio de Janeiro: José Olympio, 1989. MORIN, Edgar. Cultura de Massa no século XX: neurose. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1997.

OROZCO, Guilhermo G. Comunicação social e mudança tecnológica: um cenário de múltiplos desordenamentos. In: MORAES, Dênis de (Org.). A Sociedade midiatizada. Rio de Janeiro: Mauad, 2006.

PENA, Felipe. Teoria do jornalismo. São Paulo: Contexto, 2013.

PISCITELLI, Adriana. Interseccionalidades, categorias de articulação e experiências de migrantes brasileiras. Sociedade e Cultura, v.11, n.2, jul/dez., 2008.

REED, David. 'Rise and shine!': the birth of the glossy magazine. The British Library Journal, v. 24, n. 2, 1998.

ROWLAND, Robyn; KLEIN, Renate. Radical feminism: History, politics, action. In: BELL, Diane;KLEIN, Renate (ed.) Radically Speaking. Melbourne: Spinifex, 1996, pp.9-36.

SCALZO, Marília. Jornalismo de revista. São Paulo: Contexto, 2014.

SILVA, Ana Beatriz Rangel Pessanha da. Comunicação e Gênero: as narrativas dos movimentos feministas contemporâneos. 2017, 98 f. Dissertação de Mestrado, Comunicação Social, UFRJ, 2017.

SILVA, Ana Beatriz Rangel Pessanha da. Da revista feminina à revista feminista: entre o correio sentimental e a militância terapêutica. Entremeios, v.13(1), 2016.

SWAIN, Tania Navarro. Feminismo e recortes do tempo presente: mulheres em revistas ‘femininas’. São Paulo em Perspectiva, 15(3), 2001.

TOMAZETTI, Tainan Pauli. O feminismo na era digital e a (re)configuração de um contexto comunicativo para políticas de gênero. Razón y Palabra. México: Editorial Razón y Palabra, n. 90, 2015.

TRAQUINA, Nelson. Teorias do Jornalismo. Porque as notícias são como são. Florianópolis: Insular, 2005. TUCHMAN, Guye. La producción de la noticia: estudio sobre la construcción de la realidade. Barcelona: Bosch, 1993.

WOLF, Mauro. Teorias da comunicação de massa. Rio de Janeiro: Martins Fontes, 2005.

WOLF, Naomi. O mito da beleza. Rio de Janeiro: Rocco, 1992.

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2020 Cadernos Pagu

Downloads

Não há dados estatísticos.