A indústria brasileira no período 2007-2014

perdas e ganhos num ambiente de baixo crescimento

  • Flávio Benevett Fligenspan Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Palavras-chave: Indústria, Produtividade, Despesas com pessoal, Rentabilidade, Investimento.

Resumo

Este artigo exibe um panorama geral das transformações ocorridas na Indústria brasileira no período 2007-2014 e faz a análise de tais mudanças. A base de dados utilizada é a Pesquisa Industrial Anual - Empresa, do IBGE. No período investigado, verificou-se um avanço importante da Indústria extrativa na estrutura industrial brasileira, seja de acordo com as variáveis Valor da produção e Valor da transformação industrial, seja pelo Investimento. Destacou-se o crescimento da atividade de Extração de petróleo e gás natural, em função da exploração das novas reservas brasileiras em águas profundas. Algumas atividades da Indústria de transformação ligadas aos bens que atendem às necessidades da base da pirâmide social aproveitaram bem os estímulos da política econômica da época e também avançaram. O balanço entre a produtividade do trabalho em baixa e as despesas com pessoal em alta gerou uma queda quase generalizada na rentabilidade, o que ajuda a explicar o pequeno crescimento dos investimentos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Flávio Benevett Fligenspan, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Professor do Departamento de Economia e Relações Internacionais da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Doutorado em Economia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Referências

ALMEIDA, Júlio Sérgio Gomes de; NOVAIS, Luis Fernando. Indústria e política industrial no contexto pós-crise. In: NOVAIS, Luis Fernando et al. (Org.). A economia brasileira no contexto da crise global. São Paulo: Fundap, 2014.

AMATO NETO, João. “Desverticalização”/”terceirização” e as relações de subcontratação no complexo automobilístico brasileiro. Gestão & Produção, São Carlos, Univ. Fed. São Carlos, v. 1, n. 1, abr. 1994.

ARAUJO, A.; FERRARI FILHO, F.; BUENO, E. Existe uma bolha imobiliária no Brasil? Uma análise teórica e empírica. Análise Econômica, Porto Alegre, FCE/UFRGS, ano 34, n. 66, set. 2016.

AVERBUG, André; GIAMBIAGI, Fabio. A crise brasileira de 1998/1999 – origens e conseqüências. Rio de Janeiro: BNDES, 2000. (Texto para Discussão, n. 77).

BACHA, Edmar; BOLLE, Monica Baumgarten (Org.). O futuro da indústria no Brasil: desindustrialização em debate. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2013.

BELLUZZO, Luiz Gonzaga de Mello; ALMEIDA, Júlio Sérgio Gomes de. Depois da queda: a economia brasileira da crise da dívida aos impasses do Real. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2002.

BONELLI, Regis. Ganhos de produtividade na economia brasileira na década de 90: um retrato de corpo inteiro. Rio de Janeiro: Ipea, 2000. Mimeo.

BONELLI, Regis; FONSECA, Renato. Ganhos de produtividade e de eficiência: novos resultados para a economia brasileira. Pesquisa e Planejamento Econômico, Rio de Janeiro, v. 28, n. 2, ago. 1998.

BRESSER-PEREIRA, Luiz Carlos (Org.). Doença holandesa e indústria. Rio de Janeiro: FGV, 2010.

CALIXTRE, André Bojikian; BIANCARELLI, André Martins; CINTRA, Marcos Antônio M. (Org.). Presente e futuro do desenvolvimento brasileiro. Brasília: Ipea, 2014.

CARNEIRO, Ricardo. Navegando a contravento. Campinas: IE/Unicamp, mar. 2017. (Texto para Discussão, n. 289).

CASTRO, Antônio Barros de. A reestruturação industrial brasileira nos anos 90. Uma interpretação. Revista de Economia Política, São Paulo: Brasiliense, v. 21, n. 3, jul./set. 2001.

CONTRI, André L. O desempenho industrial brasileiro e as conjunturas nacional e internacional. Indicadores Econômicos FEE, Porto Alegre, v. 43, n. 1, 2015.

COUTINHO, Luciano; FERRAZ, João Calos. Estudo da competitividade da indústria brasileira. 3. ed. Campinas: Editora Papirus-Unicamp, 1995.

FALEIROS, João P. M.; SILVA, José C. D.; NAKAGUMA, Marcos Y. Evaluating the effect of exchange rate and labor productivity on import penetration of Brazilian manufacturing sectors. EconomiA, v. 17, n. 1, jan./abr. 2016.

FERRAZ, João Carlos; KUPFER, David; HAGUENAUER, Lia. Made in Brazil. Desafios competitivos para a indústria. Rio de Janeiro: Campus, 1995.

FLIGENSPAN, Flávio et al. As exportações do Brasil nos anos 2000: evolução, market share e padrões de especialização a partir de distintas agregações setoriais. Indicadores Econômicos FEE, Porto Alegre, v. 42, n. 4, 2015.

FUNCEX Data. Disponível em: http://www.funcexdata.com.br/. Acesso em: 17 mar. 2017.

FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS. Índice de Confiança do Consumidor. Disponível em: http://www14.fgv.br/novo_fgvdados/NaoIdentificado.aspx. Acesso em: 19 set. 2017.

GALEANO, Edileuza; FEIJÓ, Carmen. A estagnação da produtividade do trabalho na indústria brasileira nos anos 1996-2007: análise nacional, regional e setorial. Nova Economia, Belo Horizonte, v. 23, n. 1, jan./abr. 2013.

GUIMARÃES, Eduardo Augusto. Acumulação e crescimento de firma: um estudo de Organização Industrial. Rio de Janeiro: Ed. Guanabara, 1987.

HIRATUKA, Célio; SARTI, Fernando. Transformações na estrutura produtiva global, desindustrialização e desenvolvimento industrial no Brasil. Revista de Economia Política, São Paulo, v. 37, n. 1, jan./mar. 2017.

IBGE. Pesquisa Industrial. Empresa. Rio de Janeiro, v. 33, n. 1, 2014. IBGE. Pesquisa Industrial Anual. Disponível em: http://www.sidra.ibge.gov.br/. Acesso em: 15 mar. 2017.

IBGE. Pesquisa Industrial Mensal. Disponível em: http://www.sidra.ibge.gov.br/. Acesso em 19 set. 2017.

IBGE. Pesquisa Mensal do Comércio. Disponível em: http://www.sidra.ibge.gov.br/. Acesso em 15 mar. 2017.

IPEADATA. Disponível em: http://www.ipeadata.gov.br/. Acesso em: 19 set. 2017.

IEDI. A evolução da estrutura industrial. São Paulo, 2008.

IEDI. Indústria, mudança estrutural e desenvolvimento. Carta IEDI, São Paulo, n. 759, nov. 2016.

IMF Data. Access to Macroeconomic & Financial Data. Disponível em: http://data.imf.org/?sk=388DFA60-1D26-4ADE-B505-A05A558D9A42&sid=1393552803658&ss=1479331931186. Acesso em: 16 mar. 2017.

IPEAdata. Disponível em: http://www.ipeadata.gov.br/. Acesso em: 15 mar. 2017.

MARCONI, Nelson; ROCHA, Marcos. Taxa de câmbio, comércio exterior e desindustrialização precoce – o caso brasileiro. Economia e Sociedade, Campinas, v. 21, número especial, dez. 2012.

MARCONI, Nelson; ROCHA, Igor L.; MAGACHO, Guilherme R. Sectoral capabilities and productive structure: an input-output analysis of the key sectors of the Brazilian economy. Revista de Economia Política, São Paulo, v. 36, n. 3, jul./set. 2016.

MOREIRA, Maurício Mesquita. A indústria brasileira nos anos 90. O que já se pode dizer? In: GIAMBIAGI, Fabio; MOREIRA, Maurício Mesquita (Org.). A economia brasileira nos anos 90. Rio de Janeiro: BNDES, 1999.

NASSIF, Luiza; TEIXEIRA, Lucas; ROCHA, Frederico. Houve redução do impacto da indústria na economia brasileira no período 1996-2009? Uma análise das matrizes insumo-produto. Economia e Sociedade, Campinas, v. 24, n. 2, 2015.

OREIRO, José Luis; FEIJÓ, Carmem. Desindustrialização: conceituação, causas, efeitos e o caso brasileiro. Revista de Economia Política, São Paulo, v. 30, n. 2, abr./jun. 2010.

SALM, Claudio; SABOIA, João; CARVALHO, Paulo Gonzaga M. Produtividade na indústria brasileira: questões metodológicas e novas evidências empíricas. Pesquisa e Planejamento Econômico, Rio de Janeiro, v. 27, n. 2, ago. 1997.

TAVARES, Maria da Conceição. Auge e declínio do processo de substituição de importações no Brasil. In: TAVARES, M. C. Da substituição de importações ao capitalismo financeiro. 7. ed. Rio de Janeiro: Zahar, 1978.

TORRES, Ricardo L.; CAVALIERI, Henrique. Uma crítica aos indicadores usuais de desindustrialização no Brasil. Revista de Economia Política, São Paulo, v. 35, n. 4, out./dez. 2015.

VERÍSSIMO, Michele P.; XAVIER, Clésio L. Tipos de commodities, taxa de câmbio e crescimento econômico: evidências da maldição dos recursos naturais para o Brasil. Revista de Economia Contemporânea, Rio de Janeiro, v. 18, n. 2, maio/ago. 2014.
Publicado
2019-10-08
Como Citar
Fligenspan, F. B. (2019). A indústria brasileira no período 2007-2014. Economia E Sociedade, 28(2), 421-448. Recuperado de https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/ecos/article/view/8656994
Seção
Artigos