Mudança estrutural, preços relativos e distribuição funcional da renda: o caso brasileiro (1995-2009)

Palavras-chave: Parcela do trabalho, Mudança estrutural, Preços relativos, Salário médio real.

Resumo

Este trabalho analisa o papel das transformações da estrutura produtiva sobre a evolução da parcela do trabalho na renda agregada no Brasil no período 1995-2009. Foi realizada uma decomposição estrutural do crescimento da parcela do trabalho, isolando o efeito das alterações na composição setorial da renda real dos efeitos relacionados aos ajustes dos preços relativos e à trajetória do salário médio real em relação à produtividade. As mudanças na composição setorial da renda tiveram um papel relevante para a evolução da participação das rendas do trabalho. Entretanto, essas mudanças se deram principalmente pelas alterações na estrutura de preços relativos mais do que por mudanças na composição real da renda. Por fim, observou-se que estes resultados podem ser associados às mudanças institucionais ocorridas no período, em especial às privatizações na década de 1990 e à política de valorização do salário mínimo real nos anos 2000.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Bárbara Cardoso Dias, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Doutoranda em Economia da Indústria e Tecnologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Economista da Petrobras, Rio de Janeiro.

Ana Urraca-Ruiz, Universidade Federal Fluminense

Doutora em Ciências Econômicas pela Universidad de Castilla-La Mancha. Professora Associada IV no Departamento de Economia da Universidade Federal Fluminense.

Referências

ANUATTI-NETO, F.; BAROSSI-FILHO, M.; CARVALHO, A.; MACEDO, R. Costs and benefits of privatization: evidence from Brazil. New York: Inter-American Development Bank, 2009. (Research Network Working Paper R-455).

ARAÚJO, A.; CARTONI, D.; JUSTO, C. Reestruturação produtiva e negociação coletiva nos anos 90. Revista Brasileira de Ciências Sociais, v. 16, n. 45, 2001.

ARPAIA, A.; PÉREZ, E.; PICHELMANN, K. Understanding labor income share dynamics in Europe. Economic Papers, n. 379, 2009.

ARTIGE, L; VAN NEUSS, L. A new shift-share method. Growth and Change, 2014.

ATKINSON, A. Factor shares: the principal problem of political economy? Oxford Review of Economic Policy, v. 25, n. 1, 2009.

AZMAT, G., MANNING, A., VAN REENEN, J. (2011): Privatization, entry regulation and the decline of labor’s share of GDP: a cross-country analysis of the network industries. Economica, v. 79, n. 315, 2011.

BANCO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL (BNDES). Setores intensivos em mão-de-obra: uma atualização do modelo de geração de emprego do BNDES. Rio de Janeiro: BNDES, nov. 2001.

BENTOLILA, S.; SAINT-PAUL, G. Explaining movements in the labor share. Contributions to Macroeconomics, v. 3, 2003.

BLANCHARD, O. The medium run. Brookings Papers on Economic Activity, v. 28, n. 2, 1997.

DE SERRES, A.,; SCARPETTA, S.; MAISONNEUVE, C. Sectoral shifts in Europe and the United States: how they affect aggregate labor shares and the properties of wage equations. OECD Economics Department, 2002. (Working Papers, n. 326).

DEAKIN, S.; MALMBERG, J.; SARKAR, P. How do labor laws affect unemployment and the labor share of national income? The experience of six OECD countries, 1970-2010. International Labour Review, v. l, n.1, 2014.

GIOVANNONI, O. Functional distribution of income, inequality and incidence of poverty: stylized facts and the role of macroeconomic policy. UTIP, 2010. (Working Paper, n. 58).

GOBETTI, S.; ORAIR, R. Distribuição e tributação da renda no Brasil: novas evidências a partir das declarações fiscais das pessoas físicas. In: ENCONTRO NACIONAL DE ECONOMIA, 43, 2015, Florianópolis, SC. Anais... Florianópolis, SC: Anpec, 2015. Disponível em: http://www.anpec.org.br/novosite/br/encontro-2015. Acesso em: 18 dez. 2015.

GOLLIN, D. Getting income shares right. Journal of Political Economy, v. 110, n. 2, 2002.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Pesquisa Anual de Serviços: Brasil. Rio de Janeiro: IBGE, 2010, v. 12.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Sistema de contas nacionais: Tabelas de Recursos e Usos. Rio de Janeiro: IBGE.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Sistema de contas nacionais: Brasil. 3 ed. Rio de Janeiro: IBGE, 2016. (Relatórios Metodológicos, v. 24).

JAUMOTTE, F.; TYTELL, I. How has the globalization of labor affected the labor income share in advanced countries? IMF Working Paper, 2007.

KARABARBOUNIS, L.; NEIMAN, B. The global decline in labor share. The Quarterly Journal of Economics, 2013.

KRISTAL, T. Good times, bad times: post-war labor’s share of national income in capitalist democracies. American Sociological Review, v. 75, 2010.

LIN, K; TOMASKOVIC-DEVEY, D. Financialization and U.S. income inequality,1970 – 2008. American Journal of Sociology, v. 118, n. 5, 2013.

McMILLAN, M.; RODRICK, D. Globalization, structural change and productivity growth. NBER, 2011. (Working Paper, n. 17143)

MEDEIROS, C. A influência do salário mínimo sobre a taxa de salários no Brasil na última década. Economia e Sociedade, v. 24, n. 2, 2015.

PIKETTY, T. Capital in the Twenty-First Century. Harvard University Press, 2014.

PINHEIRO, A; ALMEIDA, G. Padrões setoriais da proteção da indústria brasileira. Brasília: Ipea, 1994. (Texto para Discussão, n. 355).

PINHEIRO, A.; GIABIAGI, F. Brazilian privatization in the 1990s. World Development, v. 22, n. 5, 1994.

RUGITSKY, F.; CARVALHO, L. Growth and distribution in Brazil in the 21st century: revisiting the wage-led versus profit-led debate. In: ENCONTRO NACIONAL DE ECONOMIA, 43, 2015, Florianópolis, SC. Anais... Florianópolis, SC: ANPEC, 2015. Disponível em: http://www.anpec.org.br/novosite/br/encontro-2015. Acesso em: 18 dez. 2015.

SABOIA, J. Elasticidades dos rendimentos do trabalho em relação ao salário mínimo: a experiência de um período recente de crescimento do salário mínimo. Economia e Sociedade,, v. 19, n. 2, 2010.

SANTOS, C. H. M. dos et al. A natureza da inflação de serviços no Brasil: 1999-2014. Economia e Sociedade, v. 27, n. 1, 2018.

STIRATI, A. Changes in functional income distribution in Italy and Europe: service sector prices, labour market conditions and institutional change. In: BRANCACCIO, E.; FONTANA, G. (Ed.). The global economic crisis: new perspectives and the critique of economic theory and policy. London: Routledge, 2010.

WOHLERS, M.; OLIVA, R. Investimento e privatização das telecomunicações no Brasil: dois vetores da mesma estratégia. Cepal/Ipea, 1998. Mimeo.

YOUNG, A. T. One of the things we know that ain’t so: is US labor’s share relatively stable? Journal of Macroeconomics, n. 32, 2010.
Publicado
2019-10-08
Como Citar
Dias, B. C., & Urraca-Ruiz, A. (2019). Mudança estrutural, preços relativos e distribuição funcional da renda: o caso brasileiro (1995-2009) . Economia E Sociedade, 28(2), 449-477. Recuperado de https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/ecos/article/view/8656996
Seção
Artigos