Banner Portal
A economia política do conhecimento
PDF

Palavras-chave

Mercadoria - Conhecimento
Renda - Conhecimento
Economia política do conhecimento

Como Citar

OLIVEIRA, Elizabeth Moura; FILGUEIRAS, Luiz. A economia política do conhecimento . Economia e Sociedade, Campinas, SP, v. 29, n. 2, p. 359–383, 2020. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/ecos/article/view/8662013. Acesso em: 28 maio. 2024.

Resumo

O objetivo deste texto é o de discutir, no interior do paradigma marxista, o que se considera ser o aspecto central do debate sobre a “Economia do Conhecimento”, e que antecede todos os demais, qual seja: a natureza e o significado da mercadoria-conhecimento. Mais especificamente, o propósito é evidenciar o caráter rentista da “nova economia”, a partir da análise crítica da tese da desmedida do valor (Eleutério Prado), e da tese da ausência de valor nas mercadorias-conhecimento (Rodrigo Teixeira e Tomas Rotta). Evidenciamos a necessidade de se avançar para níveis menos abstratos de análise, particularmente, no sentido de relacionar o rentismo às reconfigurações contemporâneas do imperialismo e da dependência.

PDF

Referências

ARBACHE, J. Entrar na era da economia digital garantirá maior crescimento ao Brasil? Não. 2016. Disponível em: http://economiadeservicos.com/2016/05/26/entrar-na-era-da-economiadigital-garantira-maior-crescimento-ao-brasil-nao/. Acesso em: 26 maio 2016.

AS 10 EMPRESAS MAIS VALIOSAS DO MUNDO. Revista Exame. 2018. Disponível em: https://exame.abril.com.br/mercados/as-10-maiores-empresas-mais-valiosas-do-mundo/. Acesso em: 18 dez. 2018.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE LICENCIAMENTO. A ABRAL. 2017. Disponível em: http://abral.org.br/a-abral/. Acesso em: 10 set. 2017.

AZEVEDO, Rita; SELMI, Paula. Amazon e Google ampliam receita e lucro. Valor Econômico. 2018. Disponível em: https://www.valor.com.br/empresas/5950143/amazon-egoogle-ampliam-receita-e-lucro. Acesso em: 18 dez. 2018.

BHATTACHARYA, Rajesh; SEDA-IRIZARRY, Ian. Financialization: a critique of the “autonomization of capital” thesis. New York: John Jay College of Criminal Justice, 2014. (Working Paper, 2014-01).

BRAND FINANCE. Global 500 2018: the annual report on the world’s most valuable banking brands. London: BrandFinance, 2018. Disponível em: http://brandfinance.com/images/upload/brand_finance_global_500_report_2018_locked_1.pd f. Acesso em: 02 abr. 2018.

CARCANHOLO, Marcelo Dias; MEDEIROS, João Leonardo. Trabalho no capitalismo contemporâneo: pelo fim das teorias do fim do trabalho. Revista Outubro, n. 20, 2012.

CECEÑA, Ana E. Estrategias de dominación y planos de construcción de la hegemonía mundial. In: GAMBINA, J. La globalización económico financiera. Su impacto en América Latina. Buenos Aires: CLACSO, Consejo Latinoamericano de Ciencias Sociales, 2002. p. 159- 177.

CECEÑA, Ana E. Estratégias de construção de uma hegemonia sem limites. In: CECEÑA, A. E. (Org.). Hegemonias e emancipações no século XXI. Buenos Aires: Consejo Latinoamericano de Ciencias Sociales – CLACSO, 2005. p. 35-55. Disponível em: http://biblioteca.clacso.edu.ar/clacso/gt/20101018015333/cecena.pdf. Acesso em: 10 set. 2017.

CECEÑA, Ana E.; BARREDA, Andrés. La producción estratégica como sustento de la hegemonía mundial. Aproximación metodológica”. In: CECEÑA, Ana. E.; MARÍN, A. B. Producción estratégica y hegemonía mundial. Ciudad de México: Siglo Veintiuno Editores, 1995. p. 15-51.

COMO A MICROSOFT ESTÁ FAZENDO DINHEIRO? Veja o faturamento de cada produto. Canaltech. 2018. Disponível em: https://canaltech.com.br/resultados-financeiros/como-a-microsoft-esta-fazendo-dinheiro-veja-o-faturamento-de-cada-produto-75679/. Acesso em: 18 dez. 2018.

CORIAT, B.; ORSI, F. Establishing a new intellectual property rights regime in the United States. Origins, content and problems. Research Policy, v. 31, p. 1491-1507, 2002.

CORIAT, Benjamin; WEINSTEIN, Olivier. Patent regimes, firms and the commodification of knowledge. Socio-Economic Review, v. 10, n. 2, p. 267-292, 2012.

DARDOT, Pierre; LAVAL, Christian. A nova razão do mundo: ensaio sobre a sociedade neoliberal. São Paulo: Boitempo, 2016.

DEBORD, G. A sociedade do espetáculo. São Paulo: Coletivo Periferia, 1967.

DONA DO GOOGLE CRESCE, MAS TEM RECEITA ABAIXO DO ESPERADO PARA O TERCEIRO TRI. Estadão. 2018. Disponível em: https://link.estadao.com.br/noticias/empresas,dona-do-google-cresce-mas-tem-receita-abaixodo-esperado-para-o-terceiro-tri,70002564122. Acesso em: 18 dez. 2018.

FIORI, José Luís. História, estratégia e desenvolvimento: para uma geopolítica do capitalismo. São Paulo: Boitempo, 2015.

GORZ, André. O imaterial: conhecimento, valor e capital. São Paulo: Annablume. 2005.

GUTIERREZ, Marcelle. Lucro do Facebook cresce 31% no segundo trimestre. Valor Econômico. 2018. Disponível em: https://www.valor.com.br/empresas/5687621/lucro-dofacebook-cresce-31-no-segundo-trimestre. Acesso em: 18 dez. 2018.

HARDT, Michael; NEGRI, Antonio. Império. Rio de Janeiro: Ed. Record. 2002. HARVEY, David. O novo imperialismo. São Paulo: Edições Loyola. 2003.

KLEIN, Naomi. Sem logo. A tirania das marcas em um planeta vendido. Rio de Janeiro: Record, 2002.

LENIN, Vladimir. Imperialismo, estágio superior do capitalismo: ensaio popular. São Paulo: Expressão Popular, 2012.

MARINI, R. M. Dialética da dependência. México: Era, 1973. Disponível em: https://goo.gl/yBU4ba. Acesso em: 10 set. 2017.

MARX, Karl. O Capital – Livro I. São Paulo: Boitempo Editorial. 2013. MARX, Karl. O Capital – Livro III. São Paulo: Boitempo Editorial. 2017.

MARX, K. Grundrisse: manuscritos econômicos de 1857–1858. São Paulo: Boitempo Editorial, 2011.

MORAES NETO, Benedito. O conhecimento como propriedade capitalista: observações sobre o ‘second enclosure movement’. In: ENCONTRO NACIONAL DE ECONOMIA, 36, 2008, Salvador. Anais... Niterói: Associação Nacional dos Centros de Pós-graduação em Economia. Disponível em: http://www.anpec.org.br/encontro2008/artigos/200807161144080-.pdf. Acesso em: Mar 2015.

ORSI, Fabienne; CORIAT, Benjamin. The new role and status of intellectual property rights in contemporary capitalism. Competition and Change, v. 10, n.2, p. 162-179, 2006.

PAULANI, Leda. Acumulação e rentismo: resgatando a teoria da renda de Marx para pensar o capitalismo contemporâneo. Revista de Economia Política, v. 36, n. 3, p. 514-535, 2016.

PRADO, Eleutério. Desmedida do valor. São Paulo: Xamã. 2005a.

PRADO, Eleutério. Uma nova fase do capitalismo ou um novo modo de produção capitalista? Revista Outubro, n. 13, p. 47-57, 2005b.

PRADO, Eleutério. Do que destrói o nosso futuro humano possível. Disponível em: https://eleuterioprado.files.wordpress.com/2016/06/do-que-destroi-o-nosso-futuro-humanopossc3advel.pdf. Acesso em: jun. 2016. PRADO, Eleutério. Subsunção financeira do trabalho ao capital. Disponível em: https://eleuterioprado.blog/2018/04/17/subsuncao-financeira/. Acesso em: jun. 2018. RIFKIN, Jeremy. Sociedade com custo marginal zero. São Paulo: M. Books. 2014.

ROTTA, Tomás N. Unproductive accumulation in the USA: a new analytical framework. Cambridge Journal of Economics, v. 42, p. 1367-1392, 2018.

STOKES, Donald E. O quadrante de Pasteur: a ciência básica e a inovação tecnológica. Campinas: Editora da Unicamp, 1997. (Clássicos da Inovação).

TEIXEIRA, Rodrigo A. A produção capitalista do conhecimento e o papel do conhecimento na produção capitalista: uma análise a partir da teoria marxista do valor. Revista EconomiA, v. 10, n. 2, p. 421-456, 2009.

TEIXEIRA, Rodrigo A.; ROTTA, Tomas N. Valueless knowledge-commodities and financialization: productive and financial dimensions of capital autonomization. Review of Radical Political Economics, v. 44, n. 1, p. 448-467, 2012.

UNITED Nations Conference on Trade and Development. World investment report. New York, NY: United Nations, 2017.

ZUAZO, Natalia. Los dueños de internet. Cómo nos dominan los gigantes de la tecnología y qué hacer para cambiarlo. Buenos Aires: Debate, 2018.

ZUBOFF, Shoshana. Big other: surveillance capitalism and the prospects of an information civilization. Journal of Information Technology, v. 30, n. 1, p. 75-89, 2015.

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2020 Economia e Sociedade

Downloads

Não há dados estatísticos.