Banner Portal
Mudanças climáticas e a tarefa dos ecossocialistas
PDF

Palavras-chave

Mudanças climáticas, Ecossocialismo, Reformas

Como Citar

SÁ BARRETO, Eduardo. Mudanças climáticas e a tarefa dos ecossocialistas: pelo abandono do voluntarismo geológico. Economia e Sociedade, Campinas, SP, v. 30, n. 1, p. 211–234, 2021. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/ecos/article/view/8665615. Acesso em: 17 abr. 2024.

Resumo

O artigo se lança à difícil tarefa de realizar uma dura crítica interna. Diante do conhecimento disponível sobre as mudanças
climáticas, o campo marxista tem demonstrado profunda reticência em soar o alarme do risco existencial. Essa paralisia
traduz-se na reprodução de uma práxis pulverizada, enrijecida, pouco ambiciosa e que se satisfaz com sucessos parciais e
pequenos avanços. Argumenta-se ao longo do texto que mesmo essa concepção modesta de “sucesso parcial” ou “pequenos
avanços” é insustentável no quadro geral dos desafios climáticos diante da humanidade. Para construir o raciocínio,
estabeleço três pontos de diálogo com os posicionamentos dos ecossocialistas: (i) a vocação espontaneamente emancipatória
e ecológica das lutas populares, (ii) o potencial transformador do acúmulo sistemático de pequenos avanços e reformas e
(iii) a possibilidade de “ganhar tempo” via pequenos avanços e reformas. Por fim, a última seção aborda o perigo do efeito
desmobilizador diante do reconhecimento explícito das transformações climáticas que afetarão dramaticamente a
humanidade nas próximas décadas.

PDF

Referências

ARISTÓTELES. Metafísica. São Paulo: Edições Loyola, 2002.

BERKELEY EARTH. Summary of findings. Retrieved from berkeleyearth.org:

http://berkeleyearth.org/summary-of-findings/. 2019.

BROOKES, L. Energy efficiency fallacies revisited. Energy Policy, v. 28, n. 6-7, 2000.

BURKETT, P. Marx and nature: a red and green perspective. New York: St. Martin’s Press, 1999.

BURKETT, P. Two stages of ecosocialism? International Journal of Political Economy, v. 35, n. 3,

ENGELS, F. A dialética da natureza. São Paulo: Paz e Terra, 1979.

FOSTER, J. B. A ecologia de Marx. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2005.

GRAMSCI, A. Cadernos do cárcere. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2014. v. 3.

GUTERRES, A. Remarks on climate change (ONU, Ed.) Retrieved from United Nations Secretarygeneral’s

speeches: https://www.un.org/sg/en/content/sg/speeches/2018-09-10/remarks-climatechange.

set. 2018.

HANSEN, J. Scientific reticence and sea level rise. Environmental Research Letters, 2, 2007.

IPCC. Climate change 2007: synthesis report. Genebra, 2007.

IPCC. Climate change 2014: synthesis report. Genebra, 2014.

IPCC. Global warming of 1.5 C: an IPCC special report on the impacts of global warming of 1.5 °C

above pre-industrial levels. Genebra, 2018.

LOVELOCK, J. The anishing face of Gaia: a final warning. London: Penguin Books, 2009.

LÖWY, M. What is ecosocialism? Capitalism, Nature, Socialism, v. 16, n. 2, 2005.

LÖWY, M. Mensagem ecológica ao camarada Marx. Cadernos Cemarx, 11, 2018.

LUKÁCS, G. Para uma ontologia do ser social I. São Paulo: Boitempo, 2012.

LUKÁCS, G. Para um ontologia do ser social II. São Paulo: Boitempo, 2013.

MARX, K. Grundrisse. São Paulo: Boitempo, 2011.

MARX, K. O Capital. São Paulo: Boitempo, 2013. v. I.

MARX, K. O Capital. São Paulo: Boitempo, 2017. v. III.

MARX, K.; ENGELS, F. Collected works. New York: International Publishers, 1976. v. 6.

MARX, K.; ENGELS, F. A ideologia alemã. São Paulo: Boitempo, 2007.

MEDEIROS, J. L. A economia diante do horror econômico. Niterói: Eduff, 2013.

MEDEIROS, J. L.; LEITE, L. Em busca do elo perdido: sobre a gênese dialética da categoria capital.

In: ENCONTRO NACIONAL DE ECONOMIA POLÍTICA, 21, São Bernardo do Campo: SEP.

MEDEIROS, J. L.; SÁ BARRETO, E. Lukáscs e Marx contra o “ecologismo acrítico”: por uma ética

ambiental materialista. Economia e Sociedade, Campinas, v. 22, n. 2 (48), p. 317-333, ago. 2013.

NASA. Global climate change: vital signs of the planet. Retrieved from:

https://climate.nasa.gov/vital-signs/global-temperature/. 2019.

POSTONE, M. Time, labor, and social domination. Cambridge: Cambridge University Press, 2003.

RAHMSTORF, et al. Recent climate observations compared to projections. Science, v. 316, n. 5825,

SÁ BARRETO, E. Marxs contra o otimismo tecnológico: economia “imaterial” desmistificada e

desdobramentos para as questões ambientais. Nova Economia, v. 26, n. 1, 2014a.

SÁ BARRETO, E. As múltiplas dimensões da exigência imposta à esfera do consumo pela dinâmica

do capital: elementos para o debate ambiental. Revista da Sociedade Brasileira de Economia Política,

, 2014b.

SÁ BARRETO, E. O capital na estufa: para a crítica da economia das mudanças climáticas. Rio de

Janeiro: Consequência, 2018.

SABADINI, M. D. S. Especulação financeira e capitalismo contemporâneo: uma proposição teórica

a partir de Marx. Economia e Sociedade, Campinas, v. 22, n. 3 (49), 2013.

SPRATT, D.; DUNLOP, I. What lies Beneath: the understatement of existential climate risk.

Melbourne: Breakthrough, 2018.

STEFFEN, et al. Trajectories of the Earth System in the Anthropocene. PNAS, v. 115, n. 33, 2018.

STERN, N. The economics of climate change: the Stern review. Cambridge: Cambridge University

Press, 2007.

USGCRP. Impacts, risks, and adaptation in the United States: Fourth National Climate Assessment,

Volume II: Report-in-Brief. Washington, 2018.

WILLIAMS, C. Ecology and socialism. Chicago: Haymarket Books, 2010.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License.

Copyright (c) 2021 Economia e Sociedade

Downloads

Não há dados estatísticos.