Banner Portal
Os Kaingáng e Xokléng no panorama dos Povos Jê
PDF

Palavras-chave

Jê meridionais. Língua kaingáng. Língua Xokléng. Organização social.

Como Citar

VEIGA, Juracilda. Os Kaingáng e Xokléng no panorama dos Povos Jê. LIAMES: Línguas Indígenas Americanas, Campinas, SP, v. 4, n. 1, p. 59–70, 2012. DOI: 10.20396/liames.v4i1.1424. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/liames/article/view/1424. Acesso em: 20 maio. 2024.

Resumo

Esse trabalho chama a atenção para a importância de se incorporar o conhecimento e a pesquisa acerca dos Jê Meridionais, Kaingáng e Xokléng, ao panorama das discussões e análises sobre as sociedades Jê, do qual têm ficado de fora, seja por desinformação, seja por falta de maiores pesquisas, no passado, a respeito de sua organização social.
https://doi.org/10.20396/liames.v4i1.1424
PDF

Referências

HELM, Cecília. (1974). A integração do índio na estrutura agrária do Paraná: o caso Kaingáng. Curitiba: Universidade do Paraná. Tese de Livre-Docência.

HELM, Cecília. (1977). O índio camponês assalariado em Londrina: relações de trabalho e identidade. Curitiba: Universidade do Paraná. Tese ao concurso de Professor Titular. Mimeo.

HENRY, Jules. (1964). Jungle People: a Kaingáng tribe of the highlands of Brazil. (2ª.ed.) New York, Vintage Books. [1a

ed.: 1941]

HÉRITIER, Françoise. (1981). L’exercice de la parenté. Paris: Gallimard/le Seuil

HÉRITIER, Françoise. (1989). Masculino/feminino. In Enciclopédia Einaudi. Vol 20. Lisboa, Imprensa Nacional/ Casa da Moeda. pp 27-80.

HÉRITIER, Françoise. (1989). Parentesco. Enciclopédia Einaudi. Vol 20. Lisboa, Imprensa Nacional/ Casa da Moeda. pp 11-26

HICKS, David. (1966). The Kaingáng and the Aweikoma: a cultural contrast. Anthropos 61:839-846

LADEIRA, Maria Elisa. (1982). A troca de nomes e a troca de cônjuges: uma contribuição ao estudo do parentesco Timbira. São Paulo, FFLCH-USP. Tese de Mestrado.

LEA, Vanessa. (1986). Nomes e Nekrets Kayapó: uma concepção de riqueza. Tese Doutorado. Rio de Janeiro: Museu Nacional / UFRJ.

LEA, Vanessa. (1992). M?bengokre (Kayapó) personal names - total social facts in Central Brazil. Man. Londres, vol 27(NS), no 1, páginas 129-153.

LEA, Vanessa. (1993). Casas e Casas M?bengokre. In E.V. de Castro e M.M.C. da Cunha (orgs). Amazônia: Etnologia e História Indígena. São Paulo: NHII-USP/FAPESP, pg 265-282.

MAYBURY-LEWIS, David. (1984). A sociedade Xavante. Trad. Aracy lopes da Silva. Rio de Janeiro, Francisco Alves.

MAYBURY-LEWIS, David (Org.) (1979). Dialectical Societies: The Gê and Bororo of Central Brazil. Cambridge/MA and London, Harvard University Press.

MAYBURY-LEWIS, David (1984). A sociedade Xavante. Trad. Aracy lopes da Silva. Rio de Janeiro: Francisco Alves.

NIMUENDAJU, Curt. (1946). The Eastern Timbira. Translated and edited by Robert Lowie. Berkeley / Los Angeles: University of California.

NIMUENDAJU, Curt. (1993). Etnografia e indigenismo. Sobre os Kaingáng, os Ofaié-Xavante e os Índios do Pará. Campinas: Editora da Unicamp

SANTOS, Sílvio Coelho dos. (1970). A integração do índio na Sociedade Regional: o papel dos postos indígenas em Santa Catarina. Florianópolis Imprensa Universitária UFSC.

SANTOS, Sílvio Coelho dos. (1993). Índios e Brancos no Sul do Brasil, a dramática experiência dos Xokléng. Florianópolis: EDEME.

LOPES DA SILVA, Aracy. (1986). Nomes e amigos da prática Xavante a uma reflexão sobre os Jê. São Paulo, FFLCH- USP.

STEWARD, Julian H. & FARON, Louis C. (1959). Native Peoples South America. New York: Mcgraw-Hill Book Company

URBAN, Greg. (1978). A model of Shokleng social reality. Chicago: University of Chicago. Doctoral thesis.

VEIGA, Juracilda. (1994). Organização Social e Cosmovisão Kaingáng: uma introdução ao parentesco casamento e nominação em uma sociedade Jê Meridional. Campinas: IFCH-Unicamp. Dissertação de Mestrado.

VEIGA, Juracilda. (2000). Cosmologia e Práticas Rituais Kaingáng. Campinas: IFCH- Unicamp. Tese de Doutorado.

WAGLEY, Charles. (1979). Foreword. In D. Maybury-Lewis (org), Dialectical Societies: The Gê and Bororo of Central Brazil. Cambridge/MA: Harvard University Press.

A LIAMES: Línguas Indígenas Americanas utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Os artigos e demais trabalhos publicados na LIAMES: Línguas Indígenas Americanas, publicação de acesso aberto, passa a seguir os princípios da licença do Creative Commons. Uma nova publicação do mesmo texto, de iniciativa de seu autor ou de terceiros, fica sujeita à expressa menção da precedência de sua publicação neste periódico, citando-se a edição e a data desta publicação.

Downloads

Não há dados estatísticos.