Passiva em Mundurukú (Tupí): uma interseção entre reflexivas/recíprocas e causativas de transitivo

Autores

  • Dioney Moreira Gomes Universidade de Brasília

DOI:

https://doi.org/10.20396/liames.v5i1.1438

Palavras-chave:

Língua munduruku. Construções passivas. Reflexivos. Recíprocos. Causativização de transitivas.

Resumo

A língua Mundurukú (tronco Tupí) apresenta uma construção passiva em que um verbo transitivo é intransitivizado, o sujeito lógico (agente) é demovido para uma função oblíqua, e o objeto direto (paciente) passa a ocupar a função de sujeito da oração. Para tanto, utilizam-se dois afixos no verbo: um intransitivizador, je-, e um demovedor de sujeito lógico, -at. O primeiro é o mesmo utilizado na intransitivização de construções reflexivas/recíprocas e o segundo é o mesmo encontrado em construções causativas de verbos transitivos. É justamente nessa interseção entre passiva, reflexiva/recíproca e causativa de transitivo que reside o foco principal de interesse do estudo da passiva em Mundurukú, tanto do ponto de vista do entendimento do funcionamento da própria língua, quanto do ponto de vista da teorização lingüística.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Dioney Moreira Gomes, Universidade de Brasília

Departamento de Linguística, Laboratório de Línguas Indígenas.

Referências

ACKERMAN, F. (1992). Complex predicates and morpholexical relatedness: Locative inversion in Hungarian. In I. A. Sag and A. Szabolcsi (eds.) Lexical Matters, pp. 55-83. Stanford: CSLI.

ANGOTTI, M.L.O. (1998). Causativização em Mundurukú: aspectos morfo-sintáticos. Dissertação de Mestrado: UnB.

BLEVINS, J.P. (2003). Passives and impersonals. Journal of Linguistics 39(3): 473-520.

COLE, Peter & SADOCK, M. (eds.). (1977). Grammatical Relations. Syntax and Semantics 8. New York: Academic Press.

COMRIE, B. (1977). In defense of spontaneous demotion: The impersonal passive. In Cole & Sadock, pp. 47-68.

COMRIE, B. (1975). Causatives and universal grammar. Transactions of the Philological Society 1974 (Oxford: Basil Blackwell): pp.1-32.

COMRIE, B. (1988).Passive and voice. In SHIBATANI, M. (ed.). Passive and voice, pp.9-23. Amsterdam: John Benjamins.

CROFTS, M. (1973). Gramática Mundurukú. Brasília: SIL.

CROFTS, M. (1985). Aspectos da Língua Mundurukú. Brasília: SIL.

DIXON, R.M.W. (2000). A typology of causatives: form, syntax and meaning. In DIXON, R.M.W. & AIKHENVALD, A.Y. (eds.). Changing Valency – Case studies in transitivity, pp. 30-83. Cambridge: Cambridge University Press.

GIVÓN, T. (1979). On understanding grammar. New York: Academic Press.

GOMES, Dioney M. (2000). Predicados Verbais da Língua Mundurukú e Modelos Lexicográficos. Dissertação de Mestrado. Brasília: UnB.

GOMES, Dioney M. (2001). Identificando a flexão relacional em Mundurukú. Boletim da ABRALIN 26, vol. 1: 263-284. Fortaleza: Imprensa Universitária / UFC.

GOMES, Dioney M. (2002a). Paralelismos morfossintáticos entre Mundurukú e Tupi-Guaraní. In Cabral, A.S.A.C. & A. D. Rodrigues (orgs.). Línguas indígenas brasileiras: fonologia, gramática e história, pp. 234-242. Belém: EDUFPA.

GOMES, Dioney M. (2002b). A natureza clítica dos marcadores de pessoa em Mundurukú. Revista Planalto: Lingüística 1: 55-73. Brasília.

GOMES, Dioney M. (2003). Cisão na classe de intransitivos em Mundurukú. In II Encontro Nacional do Grupo de Estudos da Linguagem do Centro-Oeste. Gioiânia: Goiás.

HOPPER, P.J. & THOMPSON, S.A. (1980). Transitivity in Grammar and Discourse. Language 56: 251-99.

JESPERSEN, O. (1924). The philosophy of grammar. London: Allen & Unwin.

MARANTZ, A. (1984). On the nature of grammatical relations. MIT Press: Cambridge.

MEILLET, A. (1948). Linguistique historique et linguistique générale. Paris: Champion.

PERLMUTTER, D. & POSTAL, P. (1977). Toward a universal characterization of passivization. Berkeley Linguistic Studies 3: 394-417.

SADLER, L. & SPENCER, A. (1998). Morphology and argument structure. In A. Spencer and A. M. Zwicky, (eds). Handbook of Morphology, pp. 206-236. Blackwell Publishers Ltd.

SHIBATANI, M. (1985). Passives and related constructions: a prototype analysis. Language 61(4): 821-848.

Downloads

Publicado

2012-03-13

Como Citar

GOMES, D. M. Passiva em Mundurukú (Tupí): uma interseção entre reflexivas/recíprocas e causativas de transitivo. LIAMES: Línguas Indígenas Americanas, Campinas, SP, v. 5, n. 1, p. 43–53, 2012. DOI: 10.20396/liames.v5i1.1438. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/liames/article/view/1438. Acesso em: 30 jun. 2022.

Edição

Seção

Artigos