Revisitando os apontamentos para a bibliografia da língua botocudo/borum

Autores

  • Lucy Seki Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.20396/liames.v8i1.1475

Palavras-chave:

Tronco makro-jê. Língua botocudo. Língua borum. Bibliografia. Historiografia linguística.

Resumo

A família lingüística botocudo (borum), do tronco macro-jê (Rodrigues, 1972), é uma das menos conhecidas do Brasil. Embora tenha ocupado uma enorme área geográfica que se estendia desde o rio Pardo, na Bahia, até o rio Doce, em Minas Gerais e no Espírito Santo, e embora seus povos tenham estado em contacto com os colonizadores desde o século XVI, nenhuma de suas línguas ou dialetos foi documentada de modo satisfatório.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lucy Seki, Universidade Estadual de Campinas

Departamento de Linguística, Área de Línguas Ameríndias

Referências

BALDUS, Herbert. (1954) Bibliografia Crítica de Etnologia Brasileira. São Paulo: Comissão do IV Centenário.

BALDUS, Herbert. (1968) Bibliografia crítica de etnologia brasileira — Vol. II (Völkerkundliche Abhandlungen, Band IV, herausgegeben von Hans Becher). Hannover: Komissionsverlag Münstermann — Druck GmbH.

BORBA DE MORAES, Rubens. (1983) Bibliographia Brasiliana, rare books about Brazil published from 1500 to 1900 and works by Brazilian authors of the colonial period. UCLA Latin American Center Publications, Reference Series no 10. Rio de Janeiro, Kosmos.

CAMARA JR., Joaquim Mattoso. (1959) A obra lingüística de Curt Nimuendaju. Publicações Avulsas, no 29. Rio de Janeiro: Museu Nacional.

CAMARA JR. (1965) Introdução as línguas brasileiras. Rio de Janeiro: Livraria Acadêmica.

FERRAZ, Luiz Pedreira do Couto. (1906) Apontamento sobre a vida do índio Guido Pokrane e sobre o francês Guido Marlière. R.A.P.M., vol. XI, pp. 410 e ss. Belo Horizonte.

HARTMANN, Thekla. (1984) Bibliografia crítica da etnologia brasileira — Vol. III (Völkerkundliche Abhandlungen, Band IX, herausgegeben von Hans Becher). Berlin: Dietrich Reimer Verlag.

HARTT, Charles Frederick. (1870) Geology and physical geography of Brazil. Boston: Fields, Osgood, pp. 577-606.

KOMISSAROV, Boris Nikolalaevitch. (1970) Materialy Ekspeditsii G.I. Langsdorfa v Brasiliju (1821-1829) kak istoritcheskij istotchinik. Leningrado.

LEITE, Yonne. (1960) A obra lingüística de inédita de Curt Nimuendaju. Revista de Antropologia, vol. 8, no 2. São Paulo.

MANIZER, Henri Henrikhovitch. (1948) Ekspeditsija Akademika G.I. Langsdorfa v Brasiliju. Moscou: OGIZ-GEOGRAFGIZ.

MANSUR GUÉRIOS, Rosário Ferani. (1972) Recordações dos índios botocudos I, II, III. O Estado do Paraná. Curitiba, 23/4, 30/4 a 7/5.

MARCATO, Sonia de Almeida. (1979) A repressão contra os Botocudos de Minas Gerais. Boletim do Museu do Índio. Etno-História, no1. Rio de Janeiro.

MARCATO, Sonia de Almeida. (1980) Remanescentes indígenas do Leste brasileiro (dat.). FUNAI, Setor de Documentação. Brasília.

MÉTRAUX, Alfred. (1964) The Botocudo. Handbook of the South American indians, t. I, pp. 531-540. Washington.

MONTEIRO DO AMARAL, padre Claro. (1900) Memória sobre usos e costumes dos índios guaranis, caiuas e botocudos. R.I.H.G. Brasileiro, t. 63, vol. II, pp. 263-273. Rio de Janeiro.

OTTONI, Theophilo Benedito. (1858) Notícia sobre os selvagens do Mucury. R.I.H.G. Brasileiro, t. 21, pp. 190-238.

PALAZZOLO, frei Jacinto de. (1945) Nas selvas do Mucuri e do rio Doce. Petrópolis.

RIBEIRO, Darcy. (1957) Línguas e culturas indígenas do Brasil. Rio de Janeiro: Centro Brasileiro de Pesquisas Educacionais.

RODRIGUES, Aryon Dall’Gna. (1972) Línguas ameríndias. Verbete “língua”. Grande enciclopédia delta-Larrousse, t. IX. Rio de Janeiro.

SCHPRINTSIN, Noemi Grigorjevna. (1947) Materialy russkikh ekspeditsii v Ju•nuju Ameriku, khranjashiesja v Arkhive A.N. SSSR i v Institute Etnografii. Sovietskaja Etnografija, n° 2, pp. 187-194.

SCHPRINTSIN, Noemi Grigorjevna.(1948) Introdução ao livro de H. H. Manizer, Ekspeditsija Akademika G.I. Langsdorfav Brasiliju. Moscou.

SCHPRINTSIN, Noemi Grigorjevna.(1964) Iz arhivnykh materialov po jazykam indeitsev Brasilii. Sovietsakaja Etnografija, n° 3. Moscou.

SEKI, Lucy. (1981) Botocudos (Borum) — Resultados de um levantamento genealógico. Manuscrito inédito.

SEKI, Lucy. (1983) Estado atual do povo e da língua krenak (botocudo). Manuscrito não-publicado. Apresentado em colóquios lingüísticos. IEL, UNICAMP. Campinas.

SEKI, Lucy. (1984a) Botocudos — Notas para a história de uma sobrevivência. Manuscrito não-publicado. Apresentado em colóquios lingüísticos. IEL, UNICAMP. Campinas.

SEKI, Lucy. (1992) Notas para a história dos Botocudos (Borum). Boletim do Museu do Índio, Série Documentação, n° 4. Rio de Janeiro: Museu do Índio. (O texto foi anteriormente apresentado na IX Reunião da ANPOCS. Curitiba, 23-26/3/1986.)

VASSILIEVA-SCHVEDE, Olga Konstantivna. (1947) Lingvistitcheskie Materialy russoj Ekspeditssi Brasiliju 1821-1829 g.g. Nautchnyj Bjuleten L.G.U., nos 14-15. Leningrado.

Downloads

Publicado

2010-04-29

Como Citar

SEKI, L. Revisitando os apontamentos para a bibliografia da língua botocudo/borum. LIAMES: Línguas Indígenas Americanas, Campinas, SP, v. 8, n. 1, p. 121–140, 2010. DOI: 10.20396/liames.v8i1.1475. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/liames/article/view/1475. Acesso em: 6 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigos