Zúñiga, Fernando (2006). Deixis and aligment. Inverse systems in indigenous languages of the Américas

Autores

  • Angel Corbera Mori Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.20396/liames.v8i1.1476

Palavras-chave:

Línguas da América do Sul. Sistemas inversos. Alinhamento sintático. Hiararquia de pessoas. Tipologia linguística.

Resumo

A grande maioria das línguas naturais induz seus falantes a representarem estados transitivos dos eventos, nesse processo determinadas entidades recebem maior atenção em detrimento de outras, tratadas como menos proeminentes. Da mesma forma, em muitas línguas os processos morfossintáticos evidenciam que as estruturas lingüísticas são sensíveis a uma hierarquia subjacente das entidades condicionadas por parâmetros de tipo semântico, referencial e/ou pragmático. Por exemplo, em línguas indígenas norte-americanas os argumentos se ordenam com base em uma hierarquia de animacidade em que a 1a e 2a pessoas ficam em um degrau mais alto da hierarquia, e os nomes inanimados em um degrau mais baixo. Nesse sentido, em uma construção sintática os marcadores no verbo podem indicar se o sintagma nominal [animado] é A (relação direta) ou se é P/O (relação inversa).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Angel Corbera Mori, Universidade Estadual de Campinas

Departamento de Linguística, Área de Línguas Ameríndias.

Referências

BICKEL, Balthasar; NICHOLS, Johanna. (2007) Inflectional morphology. In Timothy Shopen (ed.). Language typology and syntactic description, 2ª ed. Vol. III: Grammatical categories and the lexicon, pp. 169-240. Cambridge: Cambridge University Press.

COMRIE, Bernard. (1981) Languages universals and linguistic typology. Oxford: Blackwell.

CROFT, William. (2001) Radical construction grammar. Syntactic theory in typological perspective. Oxford: Oxford University Press.

DeLANCEY, Scott. (1981) An interpretation of split ergativity and related patterns. Language

(3):626-657.

DeLANCEY, Scott. (2001) Lectures on functional syntax. Notes for the Summer School held at the University of California at Santa Barbara, July 2001.

DIXON, R. M. W. (1994) Ergativity. Cambridge: Cambridge University Press.

DIXON, R.M.W.; AIKHENVALD, Alexandra. (1997) A typology of argument constructions. In Joan Bybee; John Haiman; Sandra Thompson (eds.). Essays on language function and language type. Dedicated to T. Givón, pp. 71-113. Amsterdam/Philadelphia: John Benjamins Publishing Company.

DIXON, R.M.W. (2000) Changing valency. Case studies in transitivity. Cambridge: Cambridge University Press.

FADDEN, Lorna. (2000) The inverse continuum. M.A. Thesis, Simon Fraser University.

GIVÓN, T. (1994) Voice and inversion. Amsterdam/Philadelphia: John Benjamins Publishing Company.

HARRIS, Alice; CAMPBELL, Lyle. (1995) Historical syntax in cross-linguistic perspective. Cambridge: Cambridge University Press.

KLAIMAN, M. H. (1991) Grammatical voice. Cambridge: Cambridge University Press.

NICHOLS, Johanna. (1992) Language diversity in space and time. Chicago: The University of Chicago Press.

Downloads

Publicado

2010-04-28

Como Citar

MORI, A. C. Zúñiga, Fernando (2006). Deixis and aligment. Inverse systems in indigenous languages of the Américas. LIAMES: Línguas Indígenas Americanas, Campinas, SP, v. 8, n. 1, p. 143–151, 2010. DOI: 10.20396/liames.v8i1.1476. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/liames/article/view/1476. Acesso em: 25 jun. 2022.

Edição

Seção

Resenhas

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 3 > >>