O procedimento de reescrituração em textos redacionais do ENEM/2016

  • Amilton Flávio Coleta Leal Universidade do Estado de Mato Grosso
  • Neuza Zattar Universidade do Estado de Mato Grosso
Palavras-chave: ENEM, Reescrituração, Semântica do acontecimento.

Resumo

Este trabalho, resultado da qualificação fora de área do Programa de Pós-Graduação em Linguística da UNEMAT, tem por objetivo, sob a ótica da Semântica do Acontecimento, analisar enunciativamente o procedimento de reescrituração em recortes de textos redacionais produzidos por candidatos do ENEM/2016, cuja temática era “Caminhos para combater a intolerância religiosa no Brasil”. A partir de Guimarães (2002, 2004 e 2005), analisamos o modo como esse procedimento constrói sentidos para o texto, produzindo uma nova temporalização, e projetando, a partir dos argumentos, os possíveis caminhos e intervenções para combater a intolerância religiosa no país. Tudo isso nos fez observar que, ao enunciar, cada locutor-candidato fala de um lugar social que o autoriza a dizer de um modo e não de outro, afetado pelo memorável que o seu dizer convoca; esse é o efeito da reescrituração incessante da linguagem.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Amilton Flávio Coleta Leal, Universidade do Estado de Mato Grosso

Doutorando do PPGL/Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT).

Neuza Zattar, Universidade do Estado de Mato Grosso

Docente do Programa de Pós-Graduação em Linguística da Universidade do Estado de Mato Grosso.

Referências

BENVENISTE, E. (1989). “O aparelho formal da enunciação”. In: Problemas de linguística geral II. São Paulo: Pontes, p.81-90.

DIAS, L. F. (2013a). “Enunciação e forma linguística”. In: Revista de Estudos da Linguagem. Belo Horizonte, v.21, n.1, p.223-238.

DUCROT, O. (1972). Princípios de semântica linguística. São Paulo: Cultrix.

GUIMARÃES, E. (2005a). Os limites do sentido: um estudo histórico e enunciativo da linguagem. Campinas: Pontes.

GUIMARÃES, E. (1999). “Textualidade e enunciação”. In: Escritos, 2. Campinas, Labeurb/ Unicamp. Disponível em: http://www.labeurb.unicamp.br/portal/pages/pdf/escritos/Escritos2.pdf. Acesso em: 17 de fevereiro de 2018.

GUIMARÃES, E. (2008). História e sentido na linguagem. Campinas: Editora RG. 2ª ed.

GUIMARÃES, E. (2004). História da semântica: Sujeito, sentido e gramática no Brasil. Campinas: Pontes.

GUIMARÃES, E. (2005b). Semântica do acontecimento: um estudo enunciativo da designação. Campinas: Pontes. 2ª ed.

GUIMARÃES, E. (2012). Análise de texto: procedimentos, análises, ensino. São Paulo: Hucitec. 2ª ed.

GUIMARÃES, E. (2007). “Domínio semântico de determinação”. In: GUIMARÃES, E.; MOLLICA, M. C. (Orgs.). A palavra: forma e sentido. Campinas: Pontes Editores, RG Editores.

GUIMARÃES, E. (2010). “Quando o eu se diz ele: análise enunciativa de um texto de publicidade”. In: Revista da Anpoll. Vol.1, n.29.

ORLANDI, E. (2007). Análise de discurso: princípios e procedimentos. Campinas: Pontes. 7ª ed.

ORLANDI, E. (1998). “Paráfrase e polissemia: a fluidez nos limites do simbólico”. In: Revista Rua. Campinas, p.9-19.

SILVA GUIMARÃES, J. R. (2013). Os procedimentos de reescrituração e articulação na construção dos sentidos de textos de redação do ENEM/2013. Dissertação. Mestrado em Linguística. PPGL/UNEMAT.

SOUSA, R. G. (2017). “Democracia Racial”. In: Brasil Escola. Disponível em: http://brasilescola.uol.com.br/historia/democracia-racial.htm. Acesso em: 17 de agosto de 2018

ZATTAR, N. (2000). Os sentidos de liberdade dos escravos na constituição do sujeito de enunciação sustentada pelo instrumento da alforria. Dissertação. Mestrado em Linguística. Campinas: Universidade Estadual de Campinas.

ZATTAR, N. (2012). “O agenciamento enunciativo nas cartas de alforria”. In: Entrepalavras. Fortaleza, ano 2, v.2, n. esp., p.21-38. Disponível em: http://www.entrepalavras.ufc.br/revista/index.php/Revista/article/viewFile/95/121. Acesso em: 15 de agosto de 2018.

Publicado
2019-06-30
Como Citar
Leal, A. F. C., & Zattar, N. (2019). O procedimento de reescrituração em textos redacionais do ENEM/2016. Línguas E Instrumentos Línguísticos, (43), 58-75. https://doi.org/10.20396/lil.v0i43.8658324
Seção
Artigo