Banner Portal
Reflexões sobre o ensino de língua portuguesa na educação de jovens e adultos
PDF

Palavras-chave

Educação de jovens e adultos
Ensino/aprendizagem
Ambiente escolar.

Como Citar

LOIOLA, R. L. . Reflexões sobre o ensino de língua portuguesa na educação de jovens e adultos. Línguas e Instrumentos Linguísticos, Campinas, SP, n. 43, p. 99–114, 2019. DOI: 10.20396/lil.v0i43.8658327. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/lil/article/view/8658327. Acesso em: 23 fev. 2024.

Resumo

Este trabalho apresenta os dados de uma experiência com o ensino de língua portuguesa na Educação de Jovens e Adultos em escolas públicas. O objetivo central é mostrar as condições de ensinoaprendizagem em que estão inseridos os alunos, a fim de que se possa pensar em estratégias para modificar a situação destes. Um outro objetivo é identificar as causas da falta de interesse desses alunos pelas atividades desenvolvidas nas escolas. O método empregado é de natureza empírica, e consiste na observação não apenas de aulas ministradas por estagiários, mas também do comportamento dos alunos durante as aulas. Osresultados mostram que nessas aulas ainda são empregados métodos ultrapassados de ensino, inclusive de gramática normativa a partir de frases inventadas, nas quais se analisa, principalmente, os termos da oração, como sujeito, predicado e objetos.

https://doi.org/10.20396/lil.v0i43.8658327
PDF

Referências

ARCE, A. (2008). O Mobral e a educação de crianças menores de seis anos durante o regime militar: em defesa do trabalho voluntário. Cad. Cedes, Campinas, vol. 28, n. 76, p. 379-403, set./dez.

BAGNO, M. (2007). Nada na língua é por acaso: por uma pedagogia da variação linguística. São Paulo: Parábola Editorial.

BAKHTIN, M. M. (1992). Os gêneros do discurso. In: Estética da criação verbal. São Paulo: Martins Fontes.

BARREYRO, G. B. (2010). O "Programa Alfabetização Solidária": terceirização no contexto da reforma do Estado Educ. ver. Nº 38, Curitiba, set./dez. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0104- 40602010000300012. Acesso em 10 de junho de 2018.

BENTES, A. C. Gênero e ensino: algumas reflexões sobre a produção de materiais didáticos para a educação de jovens e adultos. In. KARWOSKI, A. M.; GAYDECZKA, B.; BRITO, K. S. (Orgs.) (2008). Gêneros textuais: reflexões e ensino. Rio de Janeiro: Nova Fronteira.

BEZERRA, M. A.; REINALDO, M. A. Análise linguística: afinal a que se refere? São Paulo: Cortez, 2013.

BORTONI-RICARDO, S. M. (2004). Educação em língua materna: a Sociolinguística na sala de aula. São Paulo: Parábola Editorial.

BRASIL. Ministério da Educação. (2002). Proposta Curricular para a educação de jovens e adultos: segundo segmento do ensino fundamental, 5a a 8a série. Brasília: Secretaria de Educação Fundamental.

BRASIL. Senado Federal. (2005). Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília: Secretaria Especial de Editoração e Publicações. Subsecretaria de Edições Técnicas.

BRASIL. Ministério da Educação. (2006). Trabalhando com a educação de jovens e adultos: alunas e alunos da EJA. Brasília: Departamento de Educação de Jovens e Adultos.

BYBEE, J. Language, usage and cognition. (2010). Cambridge: Cambridge University Press.

CASTILHO, A. T. de. (1998). A língua falada no ensino de português. São Paulo: Contexto.

COELHO, I. L. et ali. (2015). Para conhecer sociolinguística. São Paulo: Contexto.

FREIRE, P. (2015). Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 51ª Ed.

GIVÓN, T. (1995). Functionalism and Grammar. John Benjamins Amsterdam/Philadelphia.

LAKOFF, G. (1987). Women, Fire and Dangerous Things. What categories reveal about the mind. Chicago: University of Chicago Press.

LAKOFF, G. The contemporary theory of metaphor. In: ORTONY, A. (1993). Metaphor and thought. Cambridge University Press, pp. 202-251.

LAKOFF, G.; JOHNSON, M. (1980). Metaphors we live by. Chicago: University of Chicago Press.

MOLLICA, M. C.; BRAGA, M. L. (Orgs.). (2004). Introdução à Sociolinguística: o tratamento da variação. São Paulo: Contexto.

MONTEIRO. J. L. (2000). Para compreender Labov. Petrópolis: Vozes.

PEREIRA, M. T. G. (2013). O Ensino da Língua Portuguesa na Educação de Jovens e Adultos (EJA). Anais do SILEL. Volume 3, Número 1. Uberlândia: EDUFU. Disponível em: http://www.ileel.ufu.br/anaisdosilel/. Acesso em 26 de setembro de 2018.

RIBEIRO, V. M. M. (2001). Educação para jovens e adultos: ensino fundamental: proposta curricular - 1º segmento. São Paulo: Ação Educativa.

SANTOS, L. W.; RICHE, R. C.; TEIXEIRA, C. S. Análise e produção de textos. São Paulo: Contexto, 2013.

STRELHOW, T. B. (2010). Breve história sobre a educação de jovens e adultos no Brasil. Revista HISTEDBR On-line, Caminas, n.38, p. 49-59. Disponível em: www.histedbr.fe.unicamp.br/revista/edicoes/38/art05_38.pdf. Acesso em 10 de junho de 2018.

TRAVAGLIA, L. C. (2001). Gramática e interação: uma proposta para o ensino de gramática no 1º e 2º graus. São Paulo, Cortez, 7ª Ed.

A revista Línguas e Instrumentos Linguísticos utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

 

 

Downloads

Não há dados estatísticos.