Banner Portal
Deu no Financial Times
PDF

Palavras-chave

Discurso
Processo tradutório
Variança

Como Citar

COSTA, Débora Pereira Lucas; MITTMANN, Solange. Deu no Financial Times: um Mato Grosso dito pela mídia em traduções e versões. Línguas e Instrumentos Linguísticos, Campinas, SP, v. 25, n. 50, p. 3–24, 2022. DOI: 10.20396/lil.v25i50.8670808. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/lil/article/view/8670808. Acesso em: 25 jun. 2024.

Resumo

O presente artigo objetiva compreender a variança no processo tradutório, considerando a formulação e a circulação de discursos em versões de uma reportagem publicada pelo Financial Times sobre o Estado de Mato Grosso. O corpus de análise é construído a partir de sequências discursivas de títulos, linhas-finas (subtítulos) e chapéus (termos-chave antecedentes dos títulos) de quatro publicações em sites jornalísticos. No trabalho teórico-analítico, pela Análise de Discurso, aborda-se aspectos como a função-autor e o posicionamento da imprensa como sujeito-autor, as possibilidades de leitura, o trabalho da interpretação e a inscrição da subjetividade do tradutor, formulando a variança e colocando versões em circulação.

https://doi.org/10.20396/lil.v25i50.8670808
PDF

Referências

ALTHUSSER, Louis. Ideologia e Aparelhos ideológicos de Estado. In: ZIZEK, Slajov (org.). Um mapa da ideologia. Rio de Janeiro: Contraponto, 1996. p. 143-152.

AUTHIER-REVUZ, Jaqueline. Entre a transparência e a opacidade: um estudo enunciativo do sentido. Porto Alegre: Edipucrs, 2004.

COSTA, Débora Pereira Lucas. Agro - A indústria-riqueza do Brasil: a mídia e o processo de produção de sentidos para o agronegócio Brasileiro. 2019. Dissertação (mestrado) – Universidade do Estado de Mato Grosso, Sinop, Mato Grosso. Disponível em: http://portal.unemat.br/?pg=site&i=ppgletras-sinop&m=dissertacoes&c=turma-2. Acesso em: 23 maio 2022.

COURTINE, Jean-Jacques. O chapéu de Clémentis. Observações sobre a memória e o esquecimento na enunciação do discurso político. In: INDURSKI, Freda; FERREIRA, Maria Cristina Leandro. Os múltiplos territórios da Análise de Discurso. Porto Alegre: Editora Sagra Luzzatto, 1999. p.15-22.

DIAS, João Castanho. A Imprensa Rural no Brasil. São Paulo: Editora Barleus, 2011.

FOUCAULT, Michel. Que é um Autor? In: FOUCAULT, Michel. Ditos e Escritos: estética – literatura e pintura, música e cinema III. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2001. p. 264-298.

IBGE. Em fevereiro, IBGE prevê safra recorde de 261,6 milhões de toneladas para 2022. Disponível em: https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-sala-de-imprensa/2013-agencia-de-noticias/releases/33132-em-fevereiro-ibge-preve-safra-recorde-de-261-6-milhoes-de-toneladas-para-2022. Acesso em 10 mar. 2022.

LAGAZZI, Suzy. O desafio de dizer não. Campinas: Pontes, 1988.

PIMENTEL, Renata Marcelle Lara. Versões de um ritual de linguagem telejornalístico. 2008. Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Estudos da Linguagem, Campinas, São Paulo.

MITTMANN, Solange. Autoria e tradução: da dispersão às identificações. In: MITTMANN, Solange; GRIGOLETTO, Evandra; CAZARIN, Ercília Ana (org.). Práticas Discursivas e Identitárias: sujeito e língua. Porto Alegre: Nova Prova, 2008. p. 80-96.

MITTMANN, Solange. Desentendimentos sobre a noção de autoria no âmbito acadêmico. In: FLORES, Giovanna; NECKEL, Nádia; GALLO, Solange (org.). Análise de Discurso em rede: cultura e mídia. v. 2. Campinas: Pontes Editores, 2016. p. 11-24.

ORLANDI, Eni. As formas do silêncio: no movimento dos sentidos. 6. ed. Campinas: Editora Unicamp, 2007.

ORLANDI, Eni. Silêncios: presença e ausência. ComCiência, Campinas, n.101, 2008a. Disponível em: http://comciencia.br/comciencia/handler.php?section=8&edicao=38&id=456. Acesso em: 10 nov. 2021.

ORLANDI, Eni. Silêncio e implícito (produzindo a monofonia). In: GUIMARÃES, Eduardo (org.). História e sentido na linguagem. Campinas: Editora RG, 2008b. p. 39-46

ORLANDI, Eni. Discurso e texto: formulação e circulação dos sentidos. 4. ed. Campinas: Pontes Editores, 2012.

ORLANDI, Eni. Análise do Discurso: princípios e procedimentos.12. ed. Campinas: Pontes Editores, 2015.

PÊCHEUX, Michel. Análise Automática do Discurso (AAD-69). In: GADET, Françoise; HAK, Tony. Por uma análise automática do discurso: uma introdução à obra de Michel Pêcheux. 5. ed. Campinas: Editora Unicamp, 2014a. p. 59-158.

PÊCHEUX, Michel. Semântica e Discurso: uma crítica à afirmação do óbvio. 5. ed. Campinas: Editora Unicamp, 2014b.

PÊCHEUX, Michel. Ousar pensar e ousar se revoltar: ideologia, marxismo, luta de classes. Décalages, v.1, n. 4, 2014c.

PÊCHEUX, Michel. O Discurso: estrutura ou acontecimento. 7. ed. Campinas: Pontes Editores, 2015.

PÊCHEUX, Michel; LÉON, Jacqueline. Análise Sintática e Paráfrase discursiva. In: ORLANDI, Eni. Análise de Discurso: Michel Pêcheux. 4. ed. Campinas: Pontes Editores, 2015. p. 163-174.

RASIA, Gesualda. Entre a indeterminação e a determinação: o discursivo na materialidade linguística. In: MITTMANN, Solange; GRIGOLETTO, Evandra; CAZARIN, Ercília Ana (org.). Práticas Discursivas e Identitárias: sujeito e língua. Porto Alegre: Nova Prova, 2008. p. 154-173.

TOMÉ Cristinne; ROHDEN, Josiane. O discurso do progresso e a educação na história de Sinop - Mato Grosso: “Como é bom alargar fronteiras de nossa pátria!”. Revista História Da Educação. v. 21, n. 52, 2017. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/asphe/article/view/67292. Acesso em 20 maio 2022.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.

Copyright (c) 2022 Línguas e Instrumentos Línguísticos

Downloads

Não há dados estatísticos.