Holocausto e silêncio em (dis)curso

Autores

  • Maria Cleci Venturini UNICENTRO

DOI:

https://doi.org/10.20396/lil.v26inesp.8671211

Palavras-chave:

Silêncio, Discurso, Holocausto, Lugares, History

Resumo

O Holocausto em (dis)curso engendra movimentos de sentidos pelo silêncio em sua relação com a incompletude da linguagem. A história e a memória do Holocausto não prescindem das palavras, as quais “são atravessadas de silêncio; elas produzem silêncio; o silêncio fala por elas; elas silenciam” (ORLANDI, 2002, p. 14). Assim, dizer Holocausto ou Shoah não é indiferente aos sentidos, tendo em conta que a designação de acontecimentos convoca, reorganiza e faz trabalhar domínios de memória (PÊCHEUX, 2002). A designação instaura redes de memória a partir de sujeitos interpelados pela ideologia e atravessados pelo inconsciente. Tais redes podem silenciar/encobrir/apagar ou presentificar/destacar parte da memória e da história, enfim, dar encaminhamentos para o que é dito e para o que é silenciado. Diante disso, perguntamos: como, nesse discurso, “o calar” e “o gritar” constituem efeitos de sentidos, enquanto (dis)curso, “a palavra em movimento?” (ORLANDI, 1999).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AGAMBEM, Giorgio. O que resta de Auschwitz: o arquivo e a testemunha. São Paulo: Boitempo, 2008.

CORREIA, Margarita. Churban, Holocausto e Shoah ou da difícil nomeação. Disponível em https://www.dn.pt/opiniao/churban-holocausto-e-shoah-ou-da-dificil-nomeacao-14970076.html , acesso em 03 de set. de 2022.

GADET, Françoise, PÊCHEUX, Michel. A língua inatingível. O discurso na história da Linguística. Campinas, SP: Pontes, 2004.

GUIMARÃES, Eduardo. Terra de Vera Cruz, Brasil. Origens & identidades, n. 4, jul. a ago., 1992, ano 86, Vol. 86 (LXXXVIII). Cultura Vozes, São Paulo, 1992.

GUIMARÃES Eduardo. Semântica do Acontecimento. Campinas: Pontes, 2003.

GUIMARÃES Eduardo. Espaço de enunciação, cena enunciativa, designação. Revista Fragmentum, n. 40, jan. a mar. Santa Maria: Editora da UFSM, 2015, 49-68.

GUTERMAN, Marcos. Holocausto e memória. São Paulo: Contexto, 2020, livro digital.

INDURSKY, Freda. A memória na cena do discurso. In: INDURSKY, Freda, MITTMANN, Solange, LEANDRO FERREIRA, Maria Cristina (Org.). Memória e histórica na/da Análise do Discurso. Campinas, SP: Mercado das Letras, 2011, p. 67-89.

LEVI, Primo. Os afogados e os sobreviventes. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1990.

ORLANDI, Eni. Análise de Discurso: princípios e procedimentos. Campinas, SP: Pontes, 1999.

ORLANDI, Eni. As formas do silêncio: no movimento dos sentidos. 5 ed. Campinas. SP: Editora da UNICAMP, 2002.

ORLANDI, Eni. Diluição e indistinção de sentidos: uma política da palavras e suas consequências sujeito/história e indivíduo/sociedade. In: INDURSKY, Freda, MITTMANN, Solange, LEANDRO FERREIRA, Maria Cristina (Org.). Memória e histórica na/da Análise do Discurso. Campinas, SP: Mercado das Letras, 2011, p. 37-54.

ORLANDI, Eni. Eu, Tu, Ele: discurso e real da história. 2. ed. Campinas: Pontes, 2017.

PÊCHEUX, Michel. Semântica e Discurso: uma crítica à afirmação do óbvio. Trad. Eni Orlandi (et al.). 3. ed. Campinas, SP: Editora da UNICAMP, 1997.

PÊCHEUX, Michel. Foi “propaganda mesmo que você disse?”. In: ORLANDI, Eni. Análise de Discurso: Michel Pêcheux. Textos escolhidos por Eni Orlandi, Campinas, SP: Pontes, 2011, p. 73-92.

PÊCHEUX, M. O Discurso: estrutura ou acontecimento. 5 ed. Campinas: Pontes, 2008.

PETRI, Verli. O que pode uma palavra? Reflexões sobre a história da palavra dicionarizada produzindo efeitos de sentidos na contemporaneidade. In: PETRI, Verli (et al). Dicionários em análise: palavra, língua, discurso. Campinas, SP: Pontes, 2020, p. 37- 62.

REES, Laurence. O Holocausto: uma nova história. Trad. Luis Reyes Gil. 1 ed – São Paulo: Vestígio, 2018.

VENTURINI, Maria Cleci; TEIXEIRA, Maria Cláudia; TAFURI, Leandro. Memória e história em (dis)curso: deslizamentos, rupturas e equívocos da palavra quarentena. In: PETRI, Verli et al. (Orgs.). Ditos e não-ditos: discursos da, na e sobre a pandemia. São Paulo: Pontes, 2021, p. 191-217.

VENTURINI, Maria Cleci. Museus e Memoriais em (dis)curso para além da história e do patrimônio. Diálogos pertinentes: Revista Científica de Letras, v. 18, n° 2, pp. 9-23, 2022 (no prelo).

Downloads

Publicado

2022-11-23

Como Citar

VENTURINI, M. C. Holocausto e silêncio em (dis)curso. Línguas e Instrumentos Línguísticos, Campinas, SP, v. 25, n. n.esp, p. 201–213, 2022. DOI: 10.20396/lil.v26inesp.8671211. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/lil/article/view/8671211. Acesso em: 30 nov. 2022.