Banner Portal
Pensar com o corpo: uma experiência sensorial da linguagem de Shakespeare
PDF

Palavras-chave

Ator. Corpo. Texto.

Como Citar

HOLEGROVE, Thomas. Pensar com o corpo: uma experiência sensorial da linguagem de Shakespeare. Pitágoras 500, Campinas, SP, v. 4, n. 2, p. 64–83, 2014. DOI: 10.20396/pita.v4i2.8634702. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/pit500/article/view/8634702. Acesso em: 18 maio. 2024.

Resumo

O artigo discute a relação entre o ator e a obra de Shakespeare. Propõe-se que, em cena, não haja diferenciação entre o ator e o texto, que a linguagem de Shakespeare se torne parte do corpo cênico, inseparável dos processos físicos, emotivos e pensantes que se mobilizam pela enunciação das falas do personagem. Ilustra-se esse argumento, discutindo-se a inter-relação entre a respiração, o pensamento e as estruturas semânticas do texto.


https://doi.org/10.20396/pita.v4i2.8634702
PDF

Referências

BAKHTIN, Mikhail. Estética da Criação Verbal. São Paulo, Martins Fontes, 2006.

BARTON, John. Playing Shakespeare. London, Methuen Drama Ltd., 1984.

BERRY, Cicely. The Actor and the Text. New York, Aplause Theatre Books, 1992.

CANDIDO, Antônio. O Estudo Analítico do Poema. 4. ed. São Paulo, Associação Editorial Humanitas, 2004.

LINKLATER, Kristin. Freeing Shakespeare’s Voice: the actors guide to talking the text. New York, Theatre Communications Group Inc., 1992.

LINKLATER, Kristin. Freeing the Natural Voice. New York, Drama Book Specialists (Publishers), 1976.

RODENBURG, Patsy. Speaking Shakespeare. New York, Palgrave Macmillan, 2004.

STANISLAVSKI, Constantine. A Construção da Personagem. 8. ed. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 1996.

A revista Pitágoras 500 utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.