A atividade teatral paulistana no século XXI e o conceito de “forma de produção”

  • Luiz Eduardo Frin Universidade Estadual Paulista
  • Alexandre Mate Universidade Estadual Paulista
Palavras-chave: Forma de produção. Teatro de grupo. Criação colaborativa.

Resumo

A partir da apreciação do trabalho de duas companhias teatrais da cidade de São Paulo: a Cia. Livre e a Cia. Teatro Balagan, propõe-se o conceito de “forma de produção”, contextualizado historicamente e determinante na atividade do chamado Movimento de Teatro Grupo Paulistano.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luiz Eduardo Frin, Universidade Estadual Paulista

Mestre e doutorando pelo Instituto de Artes da Unesp. Orientado pelo Prof. Dr. Alexandre Mate.

Alexandre Mate, Universidade Estadual Paulista
Professor Doutor do Instituto de Artes da Unesp.

Referências

ARAÚJO, Antônio; AZEVEDO, José Fernando Peixoto de; TENDLAU, Maria (orgs.). Próximo ato: teatro de grupo. São Paulo: Itaú Cultural: 2011. Disponível em http://issuu.com/itaucultural/docs/proximoato Acesso: 28 de novembro de 2015.

CIA. TEATRO BALAGAN. Cabras - cabeças que voam, cabeças que rolam. Programa de espetáculo em construção. São Paulo: Cia. Teatro Balagan, 2015.

CIA. TEATRO BALAGAN. Do inumano ao mais-humano. Cia. Teatro Balagan (site oficial). São Paulo: Cia. Teatro Balagan, [20--?]a. Disponível em http://www.ciateatrobalagan.com.br/pesquisas/do-inumano-ao-mais-humano/ Acesso: 25 de novembro de 2015.

CIA. TEATRO BALAGAN. Prometheus – a tragédia do fogo. Cia. Teatro Balagan (site oficial). São Paulo: Cia. Teatro Balagan, [20--?]b. Disponível em http://www.ciateatrobalagan.com.br/espetaculos/prometheus-a-tragedia-do-fogo/ Acesso: 25 de novembro de 2015.

COSTA, Iná Camargo; CARVALHO, Dorberto. A luta dos grupos teatrais de São Paulo por políticas públicas para a cultura: os cinco primeiros anos da Lei de Fomento. São Paulo: Cooperativa Paulista de Teatro, 2008.

COHEN, Renato. Performance como linguagem: criação de um tempo-espaço de representação. São Paulo: Perspectiva; Editora da Universidade de São Paulo, 1989.

FERNANDES, Sílvia. Grupos de teatro nos anos 1970. In: ARAÚJO, Antônio; AZEVEDO, José Fernando; TENDLAU, Maria (orgs.). Próximo ato: teatro de grupo. São Paulo: Itaú Cultural, 2011. p. 66-69. Disponível em https://issuu.com/itaucultural/docs/proximoato/69 Acesso em 28 de novembro de 2015.

FERNANDES, Sílvia. Grupos teatrais – anos 70. Campinas: Editora da Unicamp, 2000.

GARCIA, Silvana. Teatro da militância: a intenção do popular no engajamento político. 2a ed. São Paulo: Editora Perspectiva, 2004.

GASPARI, Elio. A ditatura derrotada. 2a ed. Rio de Janeiro: Intrínseca, 2014a.

GASPARI, Elio. A ditadura encurralada. 2a ed. Rio de Janeiro: Intrínseca, 2014b.

GOMES, Carlos Antonio Moreira; MELLO, Marisabel Lessi de (orgs.). Fomento ao teatro: 12 anos. São Paulo: Secretaria Municipal de Cultura, 2014.

HOBSBAWM, Eric. Sobre História. São Paulo: Companhia da Letras, 2013.

LEHMANN, Hans-Thies. Teatro pós-dramático. São Paulo: Cosac Naify, 2007.

MACHADO, Álvaro. A primaveral teatral de São Paulo. Carta Capital, São Paulo, 01-03-2015. Disponível em http://www.cartacapital.com.br/revista/838/a-primavera-teatral-de-sao-paulo-9759.html Acesso: 29 de novembro de 2015.

MATE, Alexandre. A produção teatral paulistana dos anos 1980 – r(ab)iscando com faca o chão da história: tempo de contar os (pré)juízos em percursos de andança. São Paulo, 2008. 561 p. Tese de doutorado em História. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2008.

MATE, Alexandre. Trinta anos da Cooperativa Paulista de Teatro – uma história de tantos (ou mais quantos, sempre juntos) trabalhadores fazedores de teatro. São Paulo: Cooperativa Paulista de Teatro, 2009.

MONTAIGNE, Michel Eyquem de. Ensaios. Brasília: UnB; Hucitec, 1987.

OSTROWER, Fayga. Criatividade e processos de criação. 29a ed. Petrópolis: Vozes, 2013.

PERRUSO, Marco Antonio. Em busca do “novo”: intelectuais brasileiros e movimentos populares nos anos 1970/80. São Paulo: Annablume, 2009.

PICON-VALLIN, Béatrice. Meierhold. São Paulo: Perspectiva, 2013.

REIS, Daniel Aarão; RIDENTI, Marcelo; MOTTA, Rodrigo Patto Sá (orgs.). A ditadura que mudou o Brasil: 50 anos do golpe de 1964. Rio de Janeiro: Zahar, 2014.

RIDENTI, Marcelo. As oposições à ditatura: resistência e integração. In: REIS, Daniel Aarão; RIDENTI, Marcelo; MOTTA, Rodrigo Patto Sá (orgs.). A ditadura que mudou o Brasil: 50 anos do golpe de 1964. Rio de Janeiro: Zahar, 2014. p. 30-47.

RIDENTI, Marcelo. Em busca do povo brasileiro: artistas da revolução, do CPC à era da TV. 2a ed. São Paulo: Editora Unesp, 2014.

ROMANO, Lúcia (org.). Maria que virou Jonas ou a força da imaginação. São Paulo: Cia. Livre da Cooperativa Paulista de Teatro, 2015.

ROUBINI, Jean-Jacques. A linguagem da encenação teatral. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 1998.

THAIS, Maria. Na cena do Dr. Dapertutto: poética e pedagogia em V. E. Meierhold: 1911 a 1916. São Paulo: Perspectiva; Fapesp, 2009.

Publicado
2015-12-31
Como Citar
Frin, L. E., & Mate, A. (2015). A atividade teatral paulistana no século XXI e o conceito de “forma de produção”. Pitágoras 500, 5(2), 112-134. https://doi.org/10.20396/pita.v5i2.8647194
Seção
Dossiê Coletivos de Criação