O legado do pe. João Alfredo Rohr S. J.: reflexões sobre sua trajetória na arqueologia brasileira

Autores

  • Fabiana Comerlato Universidade Federal do Recôncavo da Bahia

DOI:

https://doi.org/10.20396/rap.v8i2.8635633

Palavras-chave:

Arqueologia brasileira. Patrimônio cultural. Museu. João Alfredo Rohr

Resumo

No cômputo de arqueólogos que se destacaram na década de 60 do século XX na pesquisa e na luta pela preservação dos sítios arqueológicos brasileiros, surge à figura de João Alfredo Rohr que exerceu papel fundamental na consolidação da arqueologia catarinense, deixando um importante legado científico para as futuras gerações. O objetivo deste artigo é fazer um retrospecto da trajetória profissional do arqueólogo Rohr e avaliar o seu contributo para a arqueologia brasileira, em especial do Estado de Santa Catarina.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fabiana Comerlato, Universidade Federal do Recôncavo da Bahia

Possui graduação em História pela Universidade Federal de Santa Catarina (1995), mestrado e doutorado em História, área de concentração Arqueologia, pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (1998 e 2005) e pós-doutorado em Ciências Sociais pela Universidade Federal da Bahia (2006). Atualmente é professora adjunta do Centro de Artes, Humanidades e Letras da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia. Líder do grupo de pesquisas Recôncavo Arqueológico. Vice-presidente da Associação Brasileira de Arte Rupestre (biênio 2012-2014). Tem experiência na área de Arqueologia, com ênfase em arte rupestre, arqueologia histórica e projetos de educação patrimonial.

Referências

BASTOS, Rossano. Relação das informações contidas sobre material arqueológico em relatórios do Pe. João Alfredo Rohr. 11ª Federal. 29/01/1996.

Orçamento e Quadro de Informações Básicas sobre o cadastramento e Proteção aos Sítios Arqueológicos de Santa Catarina, do Pe. João Alfredo Rohr ao MEC-SPHAN. (sem data- datilografado)

ROHR, João Alfredo. Relatório da Viagem de Prospeção de Sítios Arqueológicos no Município de Itapiranga, Oeste Catarinense (Fronteira com a Argentina). De 27/04/1966 a 01/06/1966.

ROHR, João Alfredo. Prospecção de Sítios Arqueológicos nos Municípios de Petrolândia, Atalanta, Imbúia, Alfredo Wagner, Rancho Queimado e Angelina. 23 de novembro de 1966.

ROHR, João Alfredo. O Sítio Arqueológico da Praia das Laranjeiras - Balneário de Camboriú - SC II. (sem data - datilografado).

ROHR, João Alfredo. Caçada de Onça 1972. Novo Inquilino nas Casas Subterrâneas Pré-Históricas de Urubici. (sem data- datilografado). Relatório do arqueólogo Pe. João Alfredo Rohr do dia 1° de janeiro a 30 de junho de 1974.

Entrevista feita pelo prof. Osmar Pisani ao arqueólogo João Alfredo Rohr. c. 1982.

AMARAL, Maria Madalena Velho do. As Oficinas Líticas da Ilha de Santa Catarina. 1995. Dissertação. Programa de Pós-Graduação em História, área de concentração Arqueologia, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 1995.

ARGENTA, Denise. O ideal de museu e o museu real: uma análise dos museus do Oeste Catarinense. 2011. Dissertação. Programa de Pós-Graduação Mestrado Profissionalizante em Patrimônio Cultural, Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2011.

BARRETO, Cristina. “A construção de um passado pré-colonial: uma breve história da arqueologia no Brasil”. Revista USP, São Paulo, n.44, p. 32-51, dezembro/fevereiro 1999-2000.

BECK, Anamaria. “Pesquisas de Antropologia em andamento em Santa Catarina (Período: 1965/72)”. Anais do Museu de Antropologia da UFSC, ano V. Florianópolis, 1972. 131-153 pp.

CARBONERA, Miriam. “As pesquisas arqueológicas entre o final do século XIX e o início do século XXI”. In: CARBONERA, Miriam; SCHMITZ, Pedro Ignacio (Orgs.). Antes do oeste catarinense: arqueologia dos povos indígenas. Chapecó: Argos, 2011. 17-45 pp.

CARBONERA, Miriam. “Assim se fazia arqueologia: entrevista com o arqueólogo Pedro Ignacio Schmitz”. Cadernos do CEOM-Chapecó: Argos, vol. 19, no24, p. 369-393, 2006.

CARMINATI, Celso João. “Intelectuais e políticos na expansão do ensino superior catarinense na década de 1950”. ANPUH – XXV Simpósio Nacional de História, Fortaleza, 2009.

CHMYZ, Igor. Anais do Seminário Comemorativo do centenário de nascimento do prof. Dr. José Loureiro Ascenção Fernandes (1903-2003). v. 3. Curitiba: CEPA, 2005

CRUZ, Alfredo Bronzato da Costa. “O cotidiano e a prática arqueológica do Pe. João Alfredo Rohr em um conjunto de cartas com o antropólogo Luiz de Castro Faria”. Revista Mosaico, v. 5, n. 2, p. 137-157, jul./dez. 2012.

CRUZ, Alfredo Bronzato da Costa. Concha sobre concha: o estudo e a conservação dos sambaquis na correspondência entre Luiz de Castro Faria e Pe. João Alfredo Rohr (1960-1971). 2013. Dissertação. Programa de Pós-Graduação em História, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2013.

DALLABRIDA, Norberto. “Os incluídos do exterior: trajetórias sociais de ex-alunos bolsistas de um colégio de elite (1952-1961)”. In: LOPES, Sonia de Castro; CHAVES, Miriam Waidenfeld (orgs.). A história da educação em debate: estudos comparados, profissão docente, infância, família e Igreja. Rio de Janeiro: Mauad X, 2012. 155-169 pp.

ESTADOS UNIDOS DO BRASIL. Projeto n.3.537-A, de 1957. Diário do Congresso Nacional, Brasília, DF, ano XIV, no189, 28 nov. 1959. Seção I, p. 8994-8998.

FILETI, Milton Knabben. A destruição do sambaqui da Carniça visto através de relatos e imagens: um estudo de caso. 2004. Trabalho de Conclusão de Curso. Departamento de História, Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal de Santa Catarina, 2004.

FUNARI, Pedro Paulo. “Paulo Duarte e o Instituto de Pré-História: documentos inéditos”. Idéias, Campinas, 1(1): 155-179, jan./jun. 1994.

IPHAN. Lista de Bens Culturais Inscritos nos Livros de Tombo (1938-2012). Rio de Janeiro: IPHAN, 2013. Disponível em http://www.iphan.gov.br/baixaFcdAnexo.do?id=3263. Acessado em 25 nov. 2013.

LOUREIRO, Maria Lucia de Niemeyer Matheus. Notas sobre a construção do objeto musealizado como documento”. Anais do Museu Histórico Nacional, Rio de Janeiro, v. 44, p. 91-106, 2012.

MARTINS, Maria Cristina Bohn; ROGGE, Jairo. “Por cerrados, matos e pantanais. As experiências de um pioneiro da arqueologia brasileira”. Entrevista com Pedro Ignácio Schmitz. História Unisinos 16(2):256-268, Maio/Agosto 2012.

NUNES, Sebastião Manoel. João Alfredo Rohr – SJ: O padre motoqueiro. Florianópolis: Papa-Livro, 2000.

O Homem nasceu no Brasil? Revista Manchete, No505, Rio de Janeiro, p. 120-121, 23 de dezembro de 1961.

PIAZZA, Walter Fernando. “As fontes primárias da história: fontes arqueológicas catarinenses”. Anais do III Simpósio dos Professores Universitários de História – ANPUH, Franca, p. 439-482, 1966.

PIOVESAN, Greyce Kely. Guia de Museus de Santa Catarina. Florianópolis: Fundação Catarinense de Cultura, 2008.

PÍTSICA, Paschoal Apostolo. P. João Alfredo Rohr S.J. Revista do Instituto Histórico e Geográfico de Santa Catarina, no5, 1984, p. 297-299.

REIS, Maria José; FOSSARI, Teresa Domitila. “Arqueologia e preservação do patrimônio cultural: a contribuição do Pe. João Alfredo Rohr”. Cadernos do CEOM – Ano 22, n. 30 – Políticas públicas: memórias e experiências, 2009, p. 265-293.

ROHR, João Alfredo. Normas para a cimentação de enterramentos arqueológicos e montagem de blocos-testemunha. Curitiba: Centro de Ensino e Pesquisas Arqueológicas, 1970. Manuais de Arqueologia, no3.

SANTA CATARINA. Secretaria de Cultura, Esporte e Turismo. Conselho Estadual de Cultura. Aspectos da Vida e da Obra de João Alfredo Rohr, S. J. Florianópolis: Conselho Estadual de Cultura; Instituto Histórico e Geográfico; Colégio Catarinense, 1984.

SANTOS, Sílvio Coelho dos Santos. “Sobre o patrimônio pré-histórico em Santa Catarina”. Anais do Museu de Antropologia da UFSC, ano V, no5, 1972, p. 117-119.

SCHMITZ, Pedro Ignácio. “A Cerâmica Guarani da Ilha de Santa Catarina”. Pesquisas, n° 3. São Leopoldo: Instituto Anchietano de Pesquisas, 1959.

SCHMITZ, Pedro Ignácio. “João Alfredo Rohr: Um jesuíta em tempos de transição”. Pesquisas, Antropologia N° 67: 09-22 São Leopoldo: Instituto Anchietano de Pesquisas, 2009.

SOUZA, Alcídio Mafra de. Guia dos Bens Tombados, Santa Catarina. Rio de Janeiro: Expressão e Cultura, 1992.

SOUZA, Flávia Cristina Antunes de. A preservação do patrimônio arqueológico em Joinville/SC: desamontoando conchas e evidenciando memórias. 2007. Dissertação. Programa de Pós-Graduação em História, Universidade Federal do Paraná. Curitiba, 2007.

TAMANINI, Elizabete. Museu Arqueológico de Sambaqui: um olhar necessário. 1994. Dissertação. Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Estadual de Campinas. Campinas, 1994.

Downloads

Publicado

2015-06-01

Como Citar

COMERLATO, F. O legado do pe. João Alfredo Rohr S. J.: reflexões sobre sua trajetória na arqueologia brasileira. Revista Arqueologia Pública, Campinas, SP, v. 8, n. 2[10], p. 9–24, 2015. DOI: 10.20396/rap.v8i2.8635633. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rap/article/view/8635633. Acesso em: 19 out. 2021.