Editorial

  • Aline Carvalho Universidade Estadual de Campinas
  • Pedro Paulo Abreu Funari Universidade Estadual de Campinas
Palavras-chave: Editorial

Resumo

É com grande prazer que lançamos o sexto volume da Revista Arqueologia Pública! Optamos por abrir esta edição com um texto sobre Educação Patrimonial. O conceito Educação Patrimonial é bastante plural e as relações entre os arqueólogos e esse campo são diversificadas. Poderíamos afirmar, sem muita hesitação, que este campo de ação traz como desafio as singularidades das comunidades com as quais os arqueólogos, ou o os educadores, interagem. Conscientes da inexistência de fórmulas mágicas para os trabalhos junto às comunidades, escolhemos trazer algumas experiências que vão do agreste pernambucano (“O Patrimônio Arqueológico Rupestre no Agreste Pernambucano: a comunidade em foco”, por Claristella Santos, Viviane Maria Cavalcanti de Castro e Marinete Neves Leita), passando por uma escola municipal em Londrina (“Algumas considerações sobre as ideias prévias dos alunos em relação à temática arqueológica e indígena: um estudo de caso em Londrina-PR”, por Leilane Patricia de Lima), adentrando as reflexões produzidas nos estudos da arqueologia subaquática (“Arqueologia Subaquática, arqueologia pública e o Brasil”, por Marina Fontolan), chegando à Argentina (“Estrechando vinculos entre ‘comunidades’ en torno al patrimonio arqueológico”, por Mariela E. Zabala e Mariana Fabra; e “Aqui não é ruínas quilmes, é a cidade sagrada quilmes” – disputas patrimoniais em torno de um sítio arqueológico no noroeste argentino, por Frederic Pouget). Extrapolando os limites dos Estados Nacionais atuais, almejamos fornecer novos subsídios para pensarmos as nossas práticas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Aline Carvalho, Universidade Estadual de Campinas
Pesquisadora no Núcleo de Estudos e Pesquisas Ambientais da Unicamp (NEPAM), onde desenvolvo investigações na área do Patrimônio, Memória, História Ambiental e Arqueologia Pública. Atuo como co-responsável pelo Laboratório Interdisciplinar do Patrimônio, Comunidades e Ambiente (LIPAC/Nepam - Unicamp). Desenvolvo atividades como professora plena dos programas de pós-graduação em História (IFCH/Unicamp) e em Ambiente e Sociedade (Nepam/Unicamp). E, participo de grupos de pesquisa do CNPq, nas áreas do Patrimônio e da Arqueologia. Possuo o título de doutorado pelo Núcleo de Estudos e Pesquisas Ambientais (Nepam/ IFCH/Unicamp: 2005- 2009) e mestrado em História Cultural (História/IFCH/ Unicamp: 2003/2005). Sou associada ao ICOM, WAC, SAB e ANPUH.
Pedro Paulo Abreu Funari, Universidade Estadual de Campinas

Bacharel em História (1981), mestre em Antropologia Social (1986) e doutor em Arqueologia (1990), sempre pela Universidade de S. Paulo, livre-docente em História (1996) e Professor Titular (2004) da Unicamp, coordenador do NEPAM (05/2014). Professor de programas de pós da UNICAMP e USP, Distinguished Lecturer University of Stanford, Research Associate - Illinois State University, Universidad de Barcelona, Université Laval (Canadá), líder de grupo de pesquisa do CNPq, assessor científico da FAPESP, orientador em Stanford e Binghamton, foi colaborador da UFPR, UFPel, docente da UNESP (1986-1992) e professor de pós-graduação das Universidades do Algarve (Portugal), Nacional de Catamarca, del Centro de la Provincia de Buenos Aires e UFRJ. 

Publicado
2015-06-09
Como Citar
Carvalho, A., & Funari, P. P. A. (2015). Editorial. Revista Arqueologia Pública, 6(1[6]), 5-5. https://doi.org/10.20396/rap.v6i1.8635729
Seção
Editorial