Arqueologia, público e comodificação da herança cultural: o caso da cultura marajoara

Autores

  • Denise Pahl Schaan Universidade Federal do Pará

DOI:

https://doi.org/10.20396/rap.v1i1.8635819

Palavras-chave:

Arqueologia pública. Cultura Marajoara. Tradições culturais. Divulgação científica

Resumo

Este artigo centra-se na análise da apropriação pública da herança cultural arqueológica marajoara, cuja reavivação, em um contexto capitalista, assume novos significados. O texto chama a atenção para as expectativas do público sobre o passado e os entendimentos incorretos causados pela difusão do jargão arqueológico. Propõe-se que é necessário refletir sobre o papel do arqueólogo, historiador e educador na criação de tradições culturais, assim como de nossas próprias construções epistemológicas sobre o “outro” (o passado), entendendo os contextos sociais, políticos e econômicos nos quais essa atividade acontece.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Denise Pahl Schaan, Universidade Federal do Pará

Licenciada em Historia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1987), Mestre em História/Arqueologia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (1996) e Ph.D. em Antropologia Social (Arqueologia) pela Universidade de Pittsburgh (2004). Atualmente realiza estágio pós-doutoral junto ao PPGAS-Museu Nacional do Rio de Janeiro, sob a supervisão de Antonio Carlos de Souza Lima. É Professor Associado I da Universidade Federal do Pará (Instituto de Filosofia e Ciências Humanas), e professora do Programa de Pós-Graduação em Antropologia (com áreas de concentração em Arqueologia, Antropologia Socio-Cultural e Bioantropologia). Leciona cursos também na Graduação em Museologia, CIências Sociais, e outras faculdades. Dedica-se à pesquisa arqueológica na Amazônia, atuando principalmente nas seguintes áreas: sociedades complexas, ecologia histórica, arqueologia da paisagem, gênero, simbolismo, cultura material, patrimônio cultural e arqueologia pública. Desenvolve projetos de pesquisa na região oriental do estado do Acre, Baixo Amazonas (Santarém, Belterra) e Serra dos Carajás. Editora de Amazônica, Revista de Antropologia (juntamente com Jane Beltrão) e membro do Comitê Gestor do Portal de Periódicos da UFPA. Foi Presidente da Sociedade de Arqueologia Brasileira-SAB (2007-2009). 

Referências

BALÉE, W. 1993 Biodiversidade e os Índios Amazônicos. In: Amazônia: Etnologia e História Indígena, editado por E. Viveiros de Castro e M. C. Cunha, pp. 385-393. São Paulo: NHII-USP-FAPESP.

BARRETO, C. & MACHADO, J. S. 2001 Exploring the Amazon, Explaining the Unknown: Views from the Past. In: Unknown Amazon: Nature and Culture in Ancient Brazil, editado por C. McEwan, C. Barreto & E. Neves, pp. 232-51. London: British Museum Press.

BARRETO, M. 1992 História da Pesquisa Arqueológica no Museu Paraense Emílio Goeldi. In: Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi. Série Antropologia 8: 203-94.

CARMAN, J. 1995 Interpretation, Writing and Presenting the Past. In: Interperting Archaeology. Finding Meaning in the Past, editado por I. Hodder, M. Shanks, A. Alexandri, V. Buchli, J. Carman, J. Last & G. Lucas, pp. 95-99. London & New York: Routledge.

CARNEIRO, R. L. 1961 Slash-and-Burn Cultivation among the Kuikuro and its Implications for Cultural Development in the Amazon Basin. In: The Evolution of Horticultural Systems in Native South America: Causes and Consequences, a Symposium, editado por J. Wilbert, pp.47-67. Caracas: Sociedade de Ciencias Naturales La Salla.

DERBY, O. 1879 The Artificial Mounds of the Island of Marajo. In: American Naturalist 13: 224-229.

FARABEE, W. C. 1921 Explorations at the Mouth of the Amazon. In: Museum Journal 12: 142-161.

FERREIRA PENNA, D. S. 1877 Apontamentos sobre os Cerâmios do Pará. Archivos do Museu Nacional do Rio de Janeiro 2: 47-67.

FERREIRA PENNA, D. S. 1885 Índios de Marajó. In: Archivos do Museu Nacional do Rio de Janeiro 6: 108-115.

HOBSBAWM, E. 1983 Introduction: Inventing Tradition. In The Invention of Tradition, editado por E. Hobsbawm & T. Ranger, pp. 1-14. Cambridge: Cambridge University Press.

HOLTORF, C. J. 1998 Monumental Past. The Life-Histories of Megalithic Monuments in Mecklenburg-Vorpommern (Germany). In: https://tspace.library.utoronto.ca/citd/holtorf/0.1.html.

LAGE, S. 1944 Quadros da Amazônia. Rio de Janeiro.

LANGE, A. 1914 The Lower Amazon. New York: G.P. Putnam’s Sons, The Knickerbocker Press.

LATHRAP, D. W. 1970 The Upper Amazon. New York: Praeger.

MARAJÓ, B. DE 1895 As Regiões Amazônicas – Estudos Corográficos dos Estados do Grão-Pará e Amazonas. Lisboa: Libâneo da Silva.

MEGGERS, B. J. 1985 Advances in Brazilian Archaeology, 1935-1985. In: American Antiquity 50 (2): 364-373.

MEGGERS, B. J. & EVANS, C. 1954 Uma Interpretação das Culturas da Ilha de Marajó. In: Instituto de Antropologia e Etnologia do Pará 7.

MEGGERS, B. J. 1957 Archeological Investigations at the Mouth of the Amazon Bulletin 167. U.S. Govt. Print. Off., Washington, D.C., Smithsonian Institution Bureau of American Ethnology.

MOORE, H. 1995 The Problems of Origins. Poststructuralism and Beyond. In: Interperting Archaeology. Finding Meaning in the Past, editado por I. Hodder, M. Shanks, A. Alexandri, V. Buchli, J. Carman, J. Last e G. Lucas, pp. 51-53. London & New York: Routledge.

MORDINI, A. 1936 Contributo Allo Studio dell’Archeologia dell’Isola di Marajo. In: Il Nazionale, Revista di Studi Americani Ano XIV (479).

MORDINI, A. 1947 L’ile de Marajó (bas Amazon): un Probleme Archeologique à Resoudre. Actes du 28e Congrés International des Américanistes. Paris.

NETTO, L. 1885 Investigações sobre a Arqueologia Brasileira. In: Archivos do Museu Nacional do Rio de Janeiro 6: 257-554.

NORDENSKIÖLD, E. 1930 L’Archaeologie du Basin de L’Amazone. Paris: G. van Oest.

PALMATARY, H. C. 1950 The Pottery of Marajo Island, Brazil. In: Transactions of the American Philosophical Society 39 (3).

POSEY, D. A. 1985 Indigenous Management of Tropical Forest Ecosystems: the Case of the Kayapó Indians of the Brazilian Amazon. In: Agroforestry Systems 3: 139-58.

ROOSEVELT, A. C. 1980 Parmana: Prehistoric Maize and Manioc Subsistence along the Amazon and Orinoco. New York: Academic Press.

ROOSEVELT, A. C. 1987 Chiefdoms in the Amazon and Orinoco. In Chiefdoms in the Americas, editado por R. D. Drennan & C. A. Uribe. Washington D.C.:University Press of Americas.

ROOSEVELT, A. C. 1991 Moundbuilders of the Amazon: Geophysical Archaeology on Marajo Island, Brazil. San Diego: Academic Press,.

ROOSEVELT, A. C. 1995 Early Pottery in the Amazon. Twenty Years of Scholarly Obscurity. In The Emergence of Pottery, editado por W. K. Barnett & J. W. Hoopes, pp. 115-31. Washington and London: Smithsonian Institution Press.

ROOSEVELT, A.C., R.A. HOUSLEY, M. IMAZIO DA SILVEIRA, S. MARANCA E R. JOHNSON 1991 Eighth Millenium Pottery from a Prehistoric Shell Midden in the Brazilian Amazon. In: Science 254: 1557-1696.

SCHAAN, D. P. 1996 A Linguagem Iconográfica da Cerâmica Marajoara. Dissertação de Mestrado, PUC/RS.

SCHAAN, D. P. 1997 A Linguagem Iconográfica da Cerâmica Marajoara. Um Estudo da Arte Pré-histórica na Ilha de Marajó, Brasil (400-1300AD). Coleção Arqueologia n. 3. Porto Alegre: Edipucrs.

SCHAAN, D. P. 1999 Cultura Marajoara: História e Iconografia. In Resgate da Cultura Material e Iconográfica do Pará, vol. I - Arte Rupestre e Cerâmica. Belém: Sebrae/MPEG.

SCHAAN, D. P. 2004 The Camutins Chiefdom: Rise and Development of Complex Societies on Marajó Island, Brazilian Amazon. Tese de Doutorado, Universidade de Pittsburgh.

SCHAAN, D. P. 2005 Origens e Significados da Cultura Marajoara. In: Gallo, G. Motivos Ornamentais da Cerâmica Marajoara. Modelos para o Artesanato de Hoje. Belém, Edições O Museu do Marajó.

SIMÕES, M. F. 1977 Programa Nacional de Pesquisas Arqueológicas da Bacia Amazônica. Acta Amazônica 7: 297-300.

SMITH, N. 1980 Anthrosols and human carrying capacity in Amazonia. Annals of the American Association of Geographers 70 (4): 553-566.

STEWARD, J. H. 1948a The Circum-Caribbean tribes. In Handbook of South American Indians, editado por J. Steward. vol. 4. Washington D.C.: Smithsonian Institution. Bureau of American Ethnology. Bulletin 143.

STEWARD, J. H. 1948b The tropical Forest Tribes. In Handbook of South American Indians, editado por J. Steward. vol. 3. Washington D.C.: Smithsonian Institution. Bureau of American Ethnology. Bulletin 143.

TORRES, H. A. 1940 A Arte Indígena da Amazônia. Publicações do SPHAN n. 6. Imprensa Nacional, Rio de Janeiro.

Downloads

Publicado

2015-06-12

Como Citar

SCHAAN, D. P. Arqueologia, público e comodificação da herança cultural: o caso da cultura marajoara. Revista Arqueologia Pública, Campinas, SP, v. 1, n. 1[1], p. 19–30, 2015. DOI: 10.20396/rap.v1i1.8635819. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rap/article/view/8635819. Acesso em: 26 nov. 2022.

Edição

Seção

Artigos