Um campo emergente: a arqueologia da música e suas interfaces com o patrimônio

Autores

  • Fabio Vergara Universidade Federal de Pelotas

DOI:

https://doi.org/10.20396/rap.v10i2(16).8640959

Palavras-chave:

Arqueologia da música. Arqueoorganologia. Iconografia da música. Grécia antiga. Patrimônio musical.

Resumo

A presente entrevista com o arqueólogo Fábio Vergara Cerqueira traz informações sobre um campo emergente nos estudos arqueológicos, a assim chamada Arqueologia da Música, que conta, entre suas ramificações, com a especialidade da Arqueoorganologia, que, na sua variante iconográfica, é uma área de atuação deste arqueólogo. Esta nova disciplina se desenvolve em um domínio epistemológico bastante complexo e interdisciplinar e, mais recentemente, como se observa na articulação de programas internacionais de pesquisa, apresenta intensa integração à temática patrimonial, ligada sobretudo ao patrimônio dito imaterial, com forte valorização de saberes musicais de comunidades tradicionais. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fabio Vergara, Universidade Federal de Pelotas

Licenciado em História pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul; Doutor em Antropologia Social – concentração Arqueologia Clássica - pela Universidade de São Paulo.

Downloads

Publicado

2016-07-14

Como Citar

VERGARA, F. Um campo emergente: a arqueologia da música e suas interfaces com o patrimônio. Revista Arqueologia Pública, Campinas, SP, v. 10, n. 2[16], p. 101–114, 2016. DOI: 10.20396/rap.v10i2(16).8640959. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rap/article/view/8640959. Acesso em: 30 nov. 2021.