Banner Portal
Sítio Arqueológico Tenda Pai Joaquim de Aruanda: Inserção na paisagem cultural e relações com os saberes tradicionais quilombolas do espinhaço meridional
PDF

Palavras-chave

Paisagem cultural. Espinhaço meridional. Arqueologia colaborativa. conhecimentos tradicionais. Umbanda. Campesinato negro rural

Como Citar

COSTA, Júlio Jader. Sítio Arqueológico Tenda Pai Joaquim de Aruanda: Inserção na paisagem cultural e relações com os saberes tradicionais quilombolas do espinhaço meridional. Revista Arqueologia Pública, Campinas, SP, v. 9, n. 3[13], p. 63–71, 2015. DOI: 10.20396/rap.v9i3.8641283. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rap/article/view/8641283. Acesso em: 13 jun. 2024.

Resumo

O sítio arqueológico localiza-se há mais de mil metros de altitude, no município de Conceição do Mato Dentro, em área circunscrita pelo distrito de Ouro Fino. Trata-se de um sítio ritual de Umbanda que permaneceu ativo entre meados e o fim do século XX, quando encerrou suas atividades devido ao falecimento de seu chefe de trabalhos: o curandeiro e médium de Umbanda Abel Matias de Souza. Sua posição espacial, encravada em encosta íngreme e de difícil acesso, contrasta com as teses antropológicas centradas na visibilidade urbana da Umbanda e com a suspensão de proibições/maior permissividade do culto no período em que esteve ativa. Tais questões conduzem ao objetivo geral da pesquisa: estudo sobre os processos de inserção da Tenda Pai Joaquim de Aruanda na Paisagem Cultural e suas relações com os conhecimentos tradicionais de quilombolas e do campesinato negro rural em terras altas do espinhaço meridional. 

https://doi.org/10.20396/rap.v9i3.8641283
PDF

Revista Arqueologia Pública utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.