O Império Britânico e a redescoberta do Antigo Egito: a coleção de antiguidades

Autores

  • Natascha de Andrade Eggers

DOI:

https://doi.org/10.20396/rap.v9i3.8641285

Resumo

Por meio da análise do diário de viagem do antiquarista Giovanni Belzoni, temos como principal objetivo compreender como o estudo da civilização egípcia antiga e de sua cultura material foi essencial para a construção de uma memória nacional britânica durante o século XIX. Com base nesse documento, iremos nos ater a três eixos temáticos: como o Antigo Egito e sua cultura material estão sendo representados por essa fonte; de que forma a presença britânica no Egito é justificada pelo mesmo documento; como seu discurso estabelece uma ideia de herança cultural com o passado antigo, influenciando a formação de museus nacionais e, também, na gênese da Egiptologia e da Arqueologia enquanto ciências e atividades profissionais. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2015-10-23

Como Citar

EGGERS, N. de A. O Império Britânico e a redescoberta do Antigo Egito: a coleção de antiguidades. Revista Arqueologia Pública, Campinas, SP, v. 9, n. 3[13], p. 85–92, 2015. DOI: 10.20396/rap.v9i3.8641285. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rap/article/view/8641285. Acesso em: 6 dez. 2021.