Estudo da religiosidade do sul do território actualmente português em época romana (Sécs. I a.C.- III d.C.). Aspectos de uma metodologia.

  • Sílvia Teixeira Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa
Palavras-chave: Metodologia. Divindades. Cultuantes. Epigrafia. Perspectiva comparativa

Resumo

Este artigo expõe, sucintamente, as opções metodológicas seguidas pela signatária como parte integrante da sua abordagem à religiosidade do Sul do território atualmente português em época romana, observando as suas eventuais potencialidades e problemas. O exame e descrição destas opções permitir-nos-ão perceber como poderemos, a partir dos dados epigráficos votivos, delinear um quadro caracterizador das divindades veneradas e respectivos cultuantes; bem como assimilar as informações obtidas face a outros âmbitos regionais na mesma linha cronológica, e aferir as suas eventuais variações em esferas mais restritas dentro do contexto em questão, numa perspectiva comparativa. A integração do fenômeno religioso no processo evolutivo das sociedades, particularmente na sua romanização, confere a esta questão uma certa importância para a construção e/ou consolidação do perfil identitário das regiões alentejana e algarvia desde a época romana, atentando em simultâneo nas suas especificidades territoriais e integração no âmbito global da Lusitânia romana, coincidente em boa parte com o atual território nacional.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sílvia Teixeira, Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa

Estudante de Doutoramento – Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa.

Referências

ALARCÃO, J. de. O domínio romano em Portugal. Mem-Martins: Publicações Europa-América (Colecção Forum da História, 1), 2002.

BLÁZQUEZ, J. M. La religión de los pueblos de la Hispania prerromana. Zephyrus, Salamanca, n. 43, p. 223-233, 1990.

BÚA, C. Estudio lingüístico de la teonimia lusitano-gallega. Salamanca. Dissertação de Doutoramento inédita, 2000.

CARMO, F. Religião e sociedade em análise: uma abordagem sociológica. Angra do Heroísmo: Livraria do Seminário Episcopal, 1994.

CARNEIRO, A.; ENCARNAÇÃO, J. d’.; OLIVEIRA, J.; TEIXEIRA, C. Uma inscrição votiva em língua lusitana. Palaeohispanica, Zaragoza, n. 8, p. 167-178, 2008.

DESSAU, H. Inscriptiones Latinae Selectae. Dublin/Zurique: Weidmann (reedição do original de 1892), 1974.

DUMÉZIL, G. L’idéologie tripartie des Indo-Européens. Bruxelas : Latomus (Collection Latomus, vol. XXXI), 1958.

DURKHEIM, E. As formas elementares da vida religiosa (tradução de Paulo Neves). São Paulo: Martins Fontes Editora (Colecção Tópicos), 1996.

ENCARNAÇÃO, J. d’. O conceito de divindade indígena sob o domínio romano na Península Ibérica. Separata de AAVV (Org.). Actas do II Congresso Nacional de Arqueologia. Coimbra: Ministério da Educação Nacional e Junta Nacional da Educação, p. 347-351, 1971.

ENCARNAÇÃO, J. d’. Inscrições Romanas do Conventus Pacensis: subsídios para o estudo da romanização. Coimbra: Instituto de Arqueologia da Faculdade de Letras, 2 vol., 1984. (Tese de Doutoramento em Arqueologia apresentada à Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra).

ENCARNAÇÃO, J. d’. Divindades indígenas da Lusitânia. Separata de Conimbriga. Coimbra, n. 26, p. 5-37, 1987a.

ENCARNAÇÃO, J. d’. Introdução ao estudo da epigrafia latina. Coimbra: Instituto de Arqueologia da Faculdade de Letras de Coimbra (Cadernos de Arqueologia e Arte, 1), 1987b2

ENCARNAÇÃO, J. d’. Das religiões e das divindades indígenas na Lusitânia. In RIBEIRO, J. C. (Coord.). Religiões da Lusitânia – Loquuntur Saxa. Lisboa: Museu Nacional de Arqueologia, p. 11-16, 2002.

ENCARNAÇÃO, J. d’; GUERRA, A. The current state of research on local deities in Portugal. In: ARENAS-ESTEBAN, J. (Ed.). Celtic Religion across space and time. IX Workshop Fontes Epigraphici Religionum Celticarum Antiquarum (FERCAN). Molina de Aragón e Toledo: Centro de Estudios de Molina y Alto Tajo e Junta de Comunidades de Castilla-La-Mancha, p. 94-112, 2010.

FE – Ficheiro Epigráfico. Coimbra: Instituto de Arqueologia da Faculdade de Letras de Coimbra, 1982- HEp – Hispania Epigraphica. Madrid: Universidad Complutense de Madrid, 1989-

HOZ, J. de. La religión de los pueblos prerromanos de Lusitania. In CHAPARRO, C. (Coord.). Manifestaciones religiosas en la Lusitania. Primeras Jornadas. Cáceres: Servicio de Publicaciones de la Universidad de Extremadura/Depto. de Ciencias de la Antigüedad, p. 31-49, 1986.

HÜBNER, E. Corpus Inscriptionum Latinarum (=CIL). Vol II. Berlim: Berolini, 1869.

LAMBRINO, S. Les cultes indigènes en Espagne sous Trajan et Hadrien. In PIGANIOL, A.; TERRASSE, H. (Org.). Les Empereurs Romains d'Espagne. Actes du Colloque International sur les empereurs romains d’Espagne. Paris: Centre Nationale de la Recherche Scientifique, p. 223-242, 1965.

LASSÈRE, J.-M. Manuel d’épigraphie romaine. Vol. I: L’individu - La cité. Paris: Picard (Antiquité/Synthèses, 8), 2007

LÓPEZ, P. Epigrafía latina. Las inscripciones romanas desde los orígenes al siglo III d. C. Santiago de Compostela: Tórculo Ediciones, 1993.

MARX, K. A contribution to the critique of Hegel’s Philosophy of Right introduction. Deutsch-Französische Jahrbücher. Paris, n. 7/10, 1844. Proofed and corrected by Andy Blunden (2005), and corrected by Matthew Carmody (2009). Disponível online em www.marxists.org/archive/marx/works/1843/critique-hpr/intro.htm, acedido em 29-07-2014.

OLIVARES, J. C. Cultos romanos e indigenismo: elementos para el análisis del proceso de romanización religiosa en la Hispania céltica. Lucentum, Alicante, n. 25, p. 139-157, 2006.

PRÓSPER, B. Lenguas y Religiones Prerromanas del Occidente de la Península Ibérica. Salamanca: Ediciones Universidad (Acta Salmanticensia, 295), 2002.

RIBEIRO, J. C. Algumas considerações sobre a inscrição em “lusitano” descoberta em Arronches. Palaeohispanica, Zaragoza, n. 10, p. 41-62, 2010.

ROSCOE, P. The Comparative Method. In SEGAL, R. (Ed.). The Blackwell Companion to the study of religion. Sussex: Wiley-Blackwell, 2009.

SUSINI, G. Epigrafia romana. Roma: Jouvence (Guide allo studio della civilità romana, X, 1), 1997

TOUTAIN, J. Les Cultes Païens dans l’Empire Romain. Tome I. Les cultes officiels; les cultes romains et gréco-romains. Paris : Ed. Ernest Leroux (Bibliothèque de l’École des Hautes Études, Sciences Religieuses, 20), 1907. Disponível online em http://www.archive.org/details/lescultespaens01tout, descarregado em 05-12-2013.

VIVES, J. Inscripciones latinas de la España romana. Barcelona: Consejo Superior de Investigaciones Científicas de la Universidad de Barcelona, 1971.

WEBER, M. Économie e société. Vol. 1. Paris: Plon, 1995.

Publicado
2016-01-11
Como Citar
Teixeira, S. (2016). Estudo da religiosidade do sul do território actualmente português em época romana (Sécs. I a.C.- III d.C.). Aspectos de uma metodologia. Revista Arqueologia Pública, 9(2[12]), 57-71. https://doi.org/10.20396/rap.v9i2.8642868