Arqueologia pública: um olhar sobre a interação social e a preservação de recursos arqueológicos no estado do Piauí

Autores

  • Laize Sousa Universidade federal do Piauí
  • Abrahão Sanderson Silva Universidade Federal do Piauí

DOI:

https://doi.org/10.20396/rap.v11i1.8646080

Palavras-chave:

Arqueologia pública. Capitalismo. Preservação. Interação social.

Resumo

O artigo trata da Arqueologia Pública, entendida como uma disciplina destinada à interação e compartilhamento com a sociedade. Busca destacar, a presença/ausência de Arqueologia Pública em projetos arqueológicos (2008-2014), refletindo sobre a relação da Arqueologia Pública num contexto capitalista e a preservação de recursos arqueológicos. O estudo é resultado de uma pesquisa bibliográfica e contará com a análise e interpretação gráfica. Os resultados obtidos apontam um número reduzido de pesquisas que envolvam atividades de Arqueologia Pública em solo piauiense. Propõe que é necessário refletir sobre a popularização da ciência Arqueologia através da interação social.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Laize Sousa, Universidade federal do Piauí

Possui Bacharelado em Arqueologia e Conservação de Arte Rupestre pela Universidade Federal do Piauí (2015). Atualmente Mestranda no Programa de Pós-Graduação em Arqueologia- PPGArq na Universidade Federal do Piauí (UFPI).Tem experiência na área de Arqueologia.

Abrahão Sanderson Silva, Universidade Federal do Piauí

Bacharel e Licenciado em História pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (2003), Especialista em História do Campo e da Cidade pela UFRN (2004), Mestre em Arqueologia pelo Programa de Pós-Graduação em Arqueologia do Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade de São Paulo (2008) e Doutor em Arqueologia também pelo PPGArq/MAE/USP (2013). Professor da Universidade Federal do Piauí, Campus Ministro Petrônio Portella - Teresina/PI, onde atua no curso de Bacharelado em Arqueologia e Conservação de Arte Rupestre e no Programa de Pós-Graduação em Arqueologia, PPGARQ. Atua em projetos e/ou orienta pesquisas de graduação e mestrado nas áreas de arqueologia e patrimônio.

Referências

AZEVEDO, Crislane B. de. Educação patrimonial, ações educativas em museu e ensino-aprendizagem em História. Revista Akrópolis. Umuarama, v. 18, n. 4, p. 299-314, out./dez. 2010.

BASTOS, Rossano Lopes. Registro arqueológico como instrumento de memória social. Revista de Arqueologia Pública. Campinas, n. 4, p. 52-60, 2011.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil, 1988. Brasília: Senado Federal, 2004.

BRASIL. Lei n. 3.924, de 26 de julho de 1961. Dispõe sobre os monumentos arqueológicos e pré-históricos. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/1950-1969/L3924.htm. Acesso em: 10 set. 2014.

CARVALHO, Aline Viera; FUNARI, Pedro Paulo A. “Arqueologia e Patrimônio no século XXI”: As Perspectivas Abertas pela Arqueologia Pública. III Encontro de História da Arte. IFCH/UNICAMP. 2007, p. 136.

CALDARELLI, Solange B.; SANTOS, Maria do Carmo M. M. Arqueologia de Contrato no Brasil. Revista USP, São Paulo, n. 44, p. 52-73, dez./fev. 1999/2000.

CERQUEIRA, F. V. et al. Considerações conceituais e metodológicas sobre projetos de educação patrimonial. Revista Arqueologia de Pública, Campinas, n. 4, p. 20-31, 2011.

CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE – CONAMA. Resolução n. 001 de 23 de janeiro de 1986. Disponível em: http://www.mma.gov.br/port/conama/res/res86/res0186.html. Acesso em: 14 jul. 2014.

FAGUNDES, Marcelo et al. Projeto “Arqueologia e Comunidades” no Alto Jequitinhonha, Minas Gerais, Brasil. Revista Eletrônica do Laboratório de Arqueologia e Paleontologia da UEPH, Campina Grande, ano 2, v. 2, n. 3, p. 3, 2011.

FERNANDES, Tatiana. Vamos criar um sentimento?! Um olhar sobre a Arqueologia pública no Brasil. São Paulo: USP. 2007. 165 f. Dissertação (Mestrado em Arqueologia). Museu de Arqueologia e Etnologia, Universidade de São Paulo, 2007.

FUNARI, Pedro Paulo A.; ROBRAHN-GONZÁLEZ, E. Ética, capitalismo e arqueologia pública no Brasil. História. São Paulo, v. 27, n. 2, p. 13-30, 2008. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0101-90742008000200002&script=sci_arttext. Acesso em 14 jul. 2014.

FUNARI, Pedro Paulo A. Editorial. Revista de Arqueologia Pública, São Paulo, n. 1, p. 3, 2006.

GIDDENS, Anthony. A Sociologia. Porto Alegre: Artmed, 2005.

GRALHA, Julio. Arqueologia Pública e Educação Patrimonial: Novas Abordagens na Relação Ciência e Sociedade. Entrevista com a professora Nanci Vieira. Revista Mundo Antigo. NEHMAAT/UFF-PUCG, ano 1, v. 1, p. 17-27, jun. 2012.

INSTITUTO DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO NACIONAL – IPHAN. Portaria n. 007, de 01 de dezembro de 1988. Disponível em: http://portal.iphan.gov.br/baixaFcdAnexo.do?id=319. Acesso em: 10 set. 2014.

INSTITUTO DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO NACIONAL – IPHAN. Portaria n. 230, de 17 de dezembro de 2002. Disponível em: http://portal.iphan.gov.br/baixaFcdAnexo.do?id=337. Acesso em: 10 set. 2014.

INSTITUTO DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO NACIONAL – IPHAN. Portaria n. 28, de 31 de janeiro de 2003. Disponível em: http://portal.iphan.gov.br/baixaFcdAnexo.do?id=329. Acesso em: 14 jul. 2014.

LIMA, Leilane P.; FRANCISCO, Gilberto da Silva. O que é isso? Para que serve? Quem são vocês? O que fazem? Uma experiência de Arqueologia Pública em Paranã-TO. Revista de Arqueologia Pública, São Paulo, n. 1, p. 53, 2006.

MARTINS, José de Souza. O massacre dos inocentes: a criança sem infância no Brasil. São Paulo: Hucit, 1991.

McGIMSEY, C. III. Public Archaeology. New York: Seminar Press, 1972. MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE. Portaria Interministerial n. 419, de 26 de outubro de 2011. Disponível em: http://www.coad.com.br/busca/detalhe_1028/5072/Atos_Legais. Acesso em: 14. set. 2014.

OLIVEIRA, Jorge Eremites de. Por Uma Arqueologia Socialmente Engajada: Arqueologia Pública, Universidade Pública e Cidadania. In: FUNARI, Pedro Paulo Abreu; ORSER JÚNIOR, Charles; SCHIAVETTO, Solange N. de O. (Org.). Identidades, Discurso e Poder: Estudos da Arqueologia Contemporânea. São Paulo: Annablume/ FAPESP, 2005. p. 118.

PINHEIRO, Área; GONÇALVES, Luís J; CALADO, Manuel. (Org.). Patrimônio arqueológico e cultura indígena. Prefácio da Prof.a Dr.a Miridan Britto Falci. Teresina: Lisboa: Ed. EDUFPI, 2011.

RAHTZ, P. Convite à Arqueologia. Trad. de L. O. C. Lemos. Rio de Janeiro, Imago, 1989.

RODRIGUES, Robson; NISHIKAWA, Dulcelaine L. Lopes. Projetos Educacionais e Políticas Interventivas no Campo do Patrimônio Histórico, Cultural e Arqueológico na Região de Araraquara (SP). Revista de Arqueologia Pública, Campinas, n. 7, p. 60-74, dez. 2013.

SANTOS, Claristella. O compasso da arqueologia em face do avanço da modernidade no Brasil. Architecton – Revista de Arquitetura e Urbanismo. v. 1, n. 1, p. 60-67, 2011.

SANTOS, Claristella et al. O patrimônio arqueológico rupestre no agreste pernambucano: a comunidade em foco. Revista de Arqueologia Pública. Campinas, n. 6, p. 6-16, dez. 2012.

SOUZA, Luciana Cristina de. O processo de conservação dos bens culturais no Brasil: reflexões do professor Jaime Mujica. Revista Arqueologia de Pública. Campinas, n. 6, p. 87-91, dez. 2012.

Downloads

Publicado

2017-07-13

Como Citar

SOUSA, L.; SILVA, A. S. Arqueologia pública: um olhar sobre a interação social e a preservação de recursos arqueológicos no estado do Piauí. Revista Arqueologia Pública, Campinas, SP, v. 11, n. 1[18], p. 67–86, 2017. DOI: 10.20396/rap.v11i1.8646080. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rap/article/view/8646080. Acesso em: 30 nov. 2021.

Edição

Seção

Artigos