Banner Portal
As cumplicidades racistas da arqueologia
PDF

Palavras-chave

Arqueologia Histórica
racismo
negros
colonialismo
decolonialismo

Como Citar

CARLE, Cláudio Baptista; SANTANA, Ingrid Adrielle de Souza Freitas; OLIVEIRA, Cícero Ney Pereira de. As cumplicidades racistas da arqueologia. Revista Arqueologia Pública, Campinas, SP, v. 12, n. 2[21], p. 71–90, 2018. DOI: 10.20396/rap.v12i2.8652808. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rap/article/view/8652808. Acesso em: 27 maio. 2024.

Resumo

Nesse ensaio refletimos acerca das mais recentes discussões no universo da arqueologia, mais especificamente as pesquisas feitas sobre as sociedades de africanos que foram escravizados e seus descendentes nas Américas, bem como o processo de investigação ainda baseado em modelos racistas de interpretação. O texto relata estas formas de apreciação mais genéricas e propõe uma ideia diferente de apreciação para os sítios criados a partir da escravização moderna nas Américas.

https://doi.org/10.20396/rap.v12i2.8652808
PDF

Referências

AGOSTINI, C. Entre senzalas e quilombos: “comunidades do mato” em Vassouras do Oitocentos. In: ZARANKIN, A; SENATORE, M. X. (orgs). Arqueologia da Sociedade Moderna na América do Sul: Cultura Material, Discursos e Práticas. Buenos Aires: Ediciones Del Tridente, pp. 19-30. 2002.

AGOSTINI, C.. Resistência Cultural e Reconstrução de Identidades: Um Olhar Sobre a Cultura Material de Escravos do Século XIX. Revista de História Regional, (3): 2, (pp 113-137). 1998

ALLEN, Scott. J. Arqueologia na Região Serrana Quilombola: Alagoas, 2008-2009. Vestígios, (2): (pp 99-101) 2008.

ALLEN, Scott. J. As Vozes do Passado e do Presente: Arqueologia, Política Cultural e o Público na Serra da Barriga. Clio, (20): 81-101. 2006.

ALLEN, Scott J.. Construindo a identidade Palmarina. Direções preliminares na arqueologia histórica de Palmares. Revista de História da Arte e Arqueologia, (3): 169-175. 2000.

ARAUJO, Felipe, “Alfarrábio” disponível em http://www.infoescola.com/curiosidades/alfarrabio/ acesso em maio de 2015

AVTAR, Brah. Diferença, diversidade, diferenciação, cadernos pagu (26), pp. 329-376, janeiro-junho de 2006

BARBOSA NETO, Edgar R. “Do Ponto de vista da diferença: Cultura, Mediação e Fronteira. Ensaio sobre GEERTZ, Clifford. Nona luz sobre a Antropologia. Rio de Janeiro, Zahar Editor, 2001” In: Cadernos do LEPAARQ, V.I, Nº 2, Pelotas: Ed. da UFPEL, .(pp. 55-76), 2004

BENTO, Berenice; PELUCIO, Larissa. Despatologização do gênero: a politização das identidades abjetas. Revista de Estudos Feministas, Florianópolis, v. 20, n. 2, pp. 559-568, Aug. 2012.

BIBLIO “Alfarrábios” – In: A biblioteca Virtual de Literatura disponível em http://www.biblio.com.br/defaultz.asp?link=http://www.biblio.com.br/conteudo/Josedealencar/ogaratuja.htm acesso em maio de 2015

BOURDIEU, Pierre. O poder simbólico. Tradução de Fernando Tomaz. 2a edição. Rio de Janeiro: editora Bertrand Brasil, 1989

BUTLER, Judith. Hacerle justicia a alguien: la reasignación de sexo y las alegorías de la transexualidad. Deshacer el género. Barcelona/Buenos Aires/Mexico: Ediciones Paidós Ibérica, pp. 89-112, 2006

CARLE, Cláudio Baptista. A organização dos assentamentos de ocupação tradicional de africanos e descendentes no Rio Grande do Sul, nos séculos XVIII e XIX. Porto Alegre: PUC-RS (Tese de Doutorado). 2005.

CASTANO, A. M. M. Patrimonio Afroamericano en Brasil: Arqueología de lós Quilombos. Arqueoweb, (2): 2. - 20 p. In: www.ucm.arqueoweb, 2000.

CORRÊA, Norton F. O Batuque do Rio Grande do Sul: Antropologia de uma religião afro-rio-grandense. Porto Alegre: Editora da Universidade, 1994.

CORZO, G. La Rosa. Os Espaços da Resistência Escrava em Cuba. In: FUNARI, P. P. A; ORSER, C. E. Jr; SCHIAVETTO, S. N. O. (eds.). Identidades, Discursos e Poder: Estudos da Arqueologia Contemporânea. São Paulo: Annablume/Fapesp, (45-58), 2005.

COSTA, Claudia de Lima. Feminismos descoloniais para além do humano. Estudos Feministas, Florianópolis, v. 22, n. 3, p. 929-934, 2014

COUTO, Mia. E se Obama fosse africano. Lisboa, Editorial Caminho SA, 2009.

DAMACENO, Luisa Mesquita, No embaralhamento com Exu. Das Questões,n 4, ago/set, (61-74), 2016

DAVIS, Angela. O Legado da Escravatura: bases para uma nova natureza feminina (cap. 1). Mulheres, raça e classe. 1981. Trata-se da primeira edição (Grã Bretanha:The Women’s Press, 1982) com tradução livre, pela plataforma Gueto, 2013 em: https://poligen.polignu.org/sites/poligen.polignu.org/files/angela-davis.pdf acesso em junho de 2018

DELUMEAU, J. História do medo no ocidente 1300-1800: uma cidade sitiada. São Paulo: Companhia das Letras, 2009.

DURAND, G. O imaginário. Ensaio acerca das ciências e da filosofia da imagem. [Tradução René Eve Levié], 3ª Ed., Rio de Janeiro: Difel, 2004.

EWBANK, Thomas, Vida no Brasil (ou, Diário de uma visita à terra do cacaueiro e da palmeira). Coleção Reconquista do Brasil 28 – Itatiaia: Belo Horizonte, 1976

FANON, F. Piel negra, máscaras blancas [Tradução Ana Useros Martín], Espanha: Akal, 2016.

FAVRET-SAADA, J. Ser afetado. Tradução Paula Siqueira. Cadernos de Campo, n.13, pp.155-161, 2005

FERREIRA, Amauri Carlos; SILVEIRA, Luiz Henrique Lemos Do Círculo de Eranos à construção do simbólico, em Carl Gustav Jung . Psicologia USP, volume 26, número 2, maio/ago., São Paulo, PP. 259-268. 2015.

FERREIRA, L. M. Patrimônio, Pós-Colonialismo e Repatriação Arqueológica. Ponta de Lança: História, Memória e Cultura, (1): (pp. 37-62), 2008.

FERREIRA, Lúcio Menezes. Arqueologia da Escravidão e Arqueologia Pública: Algumas Interfaces Palestra de Abertura (15 de junho) - I Semana Acadêmica de Arqueologia da FURG – 15 a 19 de junho, 2009.

FERREIRA, Lúcio Menezes. Sob Fogo Cruzado: Arqueologia Comunitária e Patrimônio Cultural In: Revista Arqueologia Pública, São Paulo, nº 3, pp. 81-92, 2008.

FUNARI, P. P. A. A Arqueologia e a Cultura Africanas nas Américas. Estudos Ibero-Americanos, (17): (p. 61-71), 1991.

FUNARI, P. P. A; CARVALHO, A. V. de. O patrimônio em uma perspectiva crítica: o caso do Quilombo dos Palmares. Diálogos, (9): 1, pp. 33-48. 2005.

FUNARI, P. P. A; CARVALHO, A. V. de.. Palmares: Ontem e Hoje. Rio de Janeiro: Jorge Zahaar Editor. 2005

FUNARI, P. P. A; OVILEIRA, N. V; TAMANINI, E. Arqueologia Pública no Brasil e as Novas Fronteiras. Praxis Archaeologica, (3): (pp. 131-138). 2008.

FUNARI, P. P. Novas Perspectivas Abertas pela Arqueologia da Serra da Barriga. In: SCHWARCZ, L. M; REIS, L. V. S (eds.). Negras Imagens. São Paulo: Edusp. 1996.

GILROY, P. O Atlântico Negro. São Paulo: Editora 34. 2008

GILROY, P. O Atlântico Negro: Modernidade e Dupla Consciência. São Paulo: Editora 34, 2001.

GILROY, Paul. Identidade, pertencimento e a crítica da similitude pura. In: Entre Campos: nações, cultura e o fascínio da Raça. São Paulo: Annablume, 2007.

GNECCO, C. Caminos de la Arqueología: de la violencia epistémica a la relacionalidad. Bélem: Boletim do Museu Paranaense Emilio Goeldi, 2009.

GOLDMAN, Márcio. Histórias, devires e fetiches das religiões afro-brasileiras: ensaio de simetrização antropológica. Análise Social, v.XLIV, nº 190, 2009.

GONZALEZ, Lélia. "Por un feminismo afrolatinoamericano". Revista Isis Internacional, Santiago, v. 9, p. 133-141, 1988.

GONZÁLEZ-RUIBAL, A. De la Etnoarqueología a la arqueologia del presente. In: SALAZAR, J.; DOMINGO, I.; AZKÁRRAGA, J.; BONET, Helena (orgs). Mundos tribales: uma visón etnoarqueológica. Museu de Prehistória de Valencia; pp. 16-27, 2008

GONZÁLEZ-RUIBAL, A. The Past is Tomorrow: Towards na Archaeology of Vanishing Present. Norwegian Archaeological Review, (39):2, 110-125. 2006.

GUIMARÃES, C. M. O Quilombo do Ambrózio: Lendas, Documentos e Arqueologia. Estudos Ibero-Americanos, (16): 1-2, (pp. 161-174) 1990.

GUIMARÃES, C. M; LANNA, A. L. Arqueologia de Quilombos em Minas Gerais. Pesquisas: Série Antropológica, (31): (pp. 147-64.), 1980.

HALL, Stuart. Identidad cultural y diáspora / El espectáculo del “otro”. In: Sin garantias: trayectorias y problemáticas en estúdios culturales. Bogotá: Universidad Andina Simón Bolívar, 2010.

HARAWAY, Donna. Saberes localizados: a questão da ciência para o feminismo e o privilégio da perspectiva parcial. Cadernos Pagu (5), Campinas-SP, Núcleo de Estudos de Gênero - Pagu/Unicamp, pp.7-41, 1995.

HENTGES, Angelita, As escolas entre muros, murmúrios e arredores. Revista Pixo, v.3 - n1, (pp. 76-85), primavera 2017

HOOKS, B; BRAH, Avtar; SANDOVAL, Chela; ANZALDÚA, Gloria (Orgs.).Otras inapropriables: feminismos desde las fronteras, Madrid: Traficantes de Sueños, 2004

JORGE, Vítor Oliveira. Arqueologia, patrimônio e cultura, Lisboa: Instituto Piaget, 2000.

LANDER, Edgardo. .Colonialidad, modernidad, postmodernidad. em Anuario Mariateguiano (Lima: Amauta) Vol. IX, Nº 9. 1997

LATOUR, B. Jamais fomos modernos: Ensaio de antropologia simétrica; tradução Carlos Ireneu da Costa (3ª Edição). São Paulo: Editora 34, 2013

LATOUR, B. Tercera Fuente de Incertidumbre: los objetos también tienen capacidad de agencia. In: Reensamblar lo Social: una introducción a la teoría del actor-red. Buenos Aires: Manantial, pp. 95-128. 2008.

LIMA, Tânia A. & SILVA, Regina Coeli P. “O conceito de sítio arqueológico histórico e suas implicações legais” In: Revista do CEPA, vol 26, n35/36 jan-dez, 2002, Santa Cruz do Sul: Ed. da UNISC (pp.12-30), 2004

MATTOS, Regiane Augusto de. História e cultura afro-brasileira. São Paulo: Contexto, 2009.

MELLO, M. A. Lirio de. Reviras, Batuques e Carnavais: A cultura de resistência dos escravos em Pelotas. Pelotas: Editora Universitária UFPel, 1994.

MESSIAS, (Sebo do) “Livros e Livreiros no Brasil, uma história antiga” Publicado em maio 14, 2011 por Sebo do Messias disponível em http://www.blogsebodomessias.com.br/livros-e-livreiros-no-brasil-uma-historia-antiga/, acesso em maio de 2015

NOBRE, Chimene K. “Projeto de Salvamento arqueológico da zona urbana de Pelotas/RS: Catálogo do material arqueofaunístico do sítio Casa 8”. In: Cadernos do LEPAARQ, V.I, Nº 1, Pelotas: Ed. da UFPEL, (pp. 59-80) 2004.

OLIVEIRA, Luiz Fernandes de Oliveira; CANDAU, Vera Maria Ferrão. Pedagogia decolonial e educação antirracista e intercultural no Barsil. Educação em Revista, Belo Horizonte, v.26, n.01 ,p.15-40, abr. 2010

ORO, A. P. As religiões afro gaúchas. In: SILVA, G.F.; SANTOS, J.A.; CARNEIRO, L.C.C. (Orgs) RS negro: cartografia sobre a produção do conhecimento. [recurso eletrônico] – 2. ed. rev., e ampl. – Porto Alegre: EDIPUCRS, 2010.

ORO, Ari Pedro (org.) As religiões Afro-Brasileiras do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: Ed. Universidade/ UFRGS, (Série Universidade) 1994.

OSER JR, C. FUNARI, P.P. Arqueologia da Resistência escrava. Cadernos do LEPAARQ. Pelotas: Editora da UFPEL. V.1, nº 2, pp. 11-25, 2004.

PIMENTA, Felipe “As características da pólis ( madîna) no islã: a visão de Al-Farabi” escrito em 12/08/2013 disponível em http://felipepimenta.com/tag/al-farabi/ acesso em maio 2015

PITTA, Danielle Perin Rocha. O impacto sociocultural sobre o regime das imagens. Arquivos Brasileiros de Psicologia, Rio de Janeiro, v. 32, n. 4, p. 77-95, mar. 1980.

PRANDI, Reginaldo. Referências sociais das religiões afro-brasileiras: sincretismo, branqueamento, africanização. In: Horizontes Antropológicos, Porto Alegre, ano 4, n.8, p.151-167, junho de 1998.

PRECIADO, Beatriz. Multidões queer: notas para uma política dos "anormais". Revista de Estudos Feministas, vol.19, n.1, (pp. 11-22) 2011

PROUS, André, Arqueologia Brasileira. Brasília: Ed. da UNB, 1992.

QUIJANO, Aníbal .Modernidad y democracia: intereses y conflictos. em Anuario Mariateguiano (Lima) Vol. XII, Nº 12. 2000

RIBEIRO, Gilvan Procópio; DOMINGOS, Ricardo Ibrhaim Matos “A atitude antropofágica: devorar é a melhor maneira de significar”. Ipotesi, Juiz de Fora, v.17, n.1, p. 69-80, jan./jun. 2013

ROHDEN, Fabíola. A construção da diferença sexual na medicina. Caderno Saúde Pública, Rio de Janeiro , v. 19, supl. 2, p. S201-S212, 2003

SAHLINS, Marshall. Ilhas de História Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2003.

SANTANA, I.A.S.F. Gira de Caboclo na Umbanda Riograndina: Uma contribuição. Trabalho de Conclusão de Curso, FURG, Rio Grande, 2015.

SANTOS, Roberto. Pós modernidade, história e representação: cultura negra e identidade. MOUSEION, vol. 3, n.5, Jan-Jul./2009.

SCHÁVELZON, Daniel. Arqueología de la población afro-argentina: inicio, estado actual y posibilidades. In: Arqueología Histórica Argentina. Actas Del 1º Congresso Nacional de Arqueología Histórica. Buenos Aires: Ediciones Corregidor, pp. 77-85. 2002.

SCHÁVELZON, Daniel. Buenos Aires Negra. Arqueología Histórica de uma ciudad silenciada. Buenos Aires.Editora Emecé. 2003.

SCHÁVELZON, Daniel. La presencia Arqueológica de los Africanos. In: Arqueología de Buenos Aires. Buenos Aires, pp. 173-181. Editora Emecé, pp. 173-181. 1999.

SCHIENBINGER, Londa. O feminismo mudou a ciência? São Paulo: EDUSC, 2001.

SILVA, F. O plural e o singular das arqueologias indígenas. Revista de Arqueologia, São Paulo, v.25, n.2, pp.24-42, 2012.

SILVEIRA, H. Tradições de matriz africana e saúde:o cuidar nos terreiros. Identidade! São Leopoldo, v. 19 n. 2, pp. 75-88 , jul.-dez. 2014

SILVEIRA, Hendrix. “Não somos filhos sem pais”: história e teologia do Batuque do Rio Grande do Sul. São Leopoldo: Faculdades EST, 2014. 134 f. Dissertação (Mestrado em Teologia – área de concentração Teologia e História) – Programa de Pós-Graduação em Teologia, Faculdades EST, São Leopoldo, 2014.

SOUZA, M. A. T. de. Uma Outra Escravidão: a Paisagem Social no Engenho de São Joaquim, Goiás. Vestígios, (1): 1, pp. 59-92. 2007.

SYMANSKI, Luis Cláudio P. O Domínio da Tática: Práticas Religiosas de Origem Africana nos Engenhos da Chapada dos Guimarães. Vestígios, (1): 2, pp. 9-36. 2007

SYMANSKI, Luis Cláudio P; SOUZA, M. A. T. de. O Registro Arqueológico dos Grupos Escravos: Questões de Visibilidade e Preservação. Revista do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, (33): pp. 215-242. 2007.

SYMANSKI, Luis Cláudio P. Grupos domésticos e comportamentos de consumo em Porto Alegre no século XIX: o solar Lopo Gonçalves. Diss. De Mestrado PPGH/PUCRS, Porto Alegre: PUCRS, 1997.

THIESEN, Beatriz V. “Sítio arqueológico histórico: porque retomar a discussão” In: Revista do CEPA, vol 26, n35/36 jan-dez, 2002, Santa Cruz do Sul: Ed. da UNISC, (pp.27-31) 2004

THIESEN, Beatriz, & TOCCHETTO, Fernanda “Critérios de definição de sítio arqueológico histórico: comentários” In: Revista do CEPA, vol 26, n35/36 jan-dez, 2002, Santa Cruz do Sul: Ed. da UNISC, (pp.32-33) 2004

TOCCHETTO, Fernanda. Fica dentro ou joga fora? Sobre as práticas cotidianas em unidades domésticas na Porto Alegre oitocentista.. Tese . PPGH, Porto Alegre, PUCRS, 2004.

TOSI, Lucía. Mulher e Ciência. A Revolução Científica, a Caça às Bruxas e a Ciência Moderna. Cadernos Pagu (10), pp.369-397, 1998

TRIGGER, B. Alternative Archaeologies: Nationalist, Colonialist, Imperialist. Man, New Series, Vol. 19, No. 3, pp. 355-370, 1984.

TRIGGER, Bruce G. Historia del pensamiento arqueológico. Barcelona: Ed. Crítica, 1992.

WOLFF, L. S. Pinto. Seres materiais entre sons e afetos: uma etnografia arqueológica dos objetos em terreiras de Pelotas/RS. Dissertação de mestrado. Pelotas, 2016.

WÜST, Irmhild & MACHADO, Vilma de F. Arqueologia Brasileira: O Passado também devora, (catálogo de exposição do Museu Antropológico da UFG), Publicação do Museu Antropológico da UFG. V.1, n.1, Goiânia: MA/UFG, 1999.

Revista Arqueologia Pública utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.