Práxis arqueológica e fotografia no estudo da Grécia antiga:

a participação brasileira na escavação do santuário de Apolo em despotiko, Mar Egeu

Autores

  • Juliana Figueira da Hora
  • lilian de Angelo Laky
  • Claudio Walter Gomez Duarte
  • Felipe Perissato

DOI:

https://doi.org/10.20396/rap.v12i2.8652951

Palavras-chave:

Arqueologia, Grécia Antiga, Mediterrâneo, Despotiko, Cíclades.

Resumo

O olhar do pesquisador arqueólogo para a paisagem que escava (o seu objeto de pesquisa)
é traduzido por meio de sua experiência e vivência em campo e da permanente construção
e desconstrução dos processos metodológicos e teóricos na prática e na reflexão de sua
disciplina – a Arqueologia. A partir da experiência arqueológica de campo, da participação
da equipe brasileira na ilha de Despotiko, na Grécia, em junho/julho de 2017, é nossa
intenção mostrar, neste artigo, em que medida a fotografia, na práxis arqueológica, tem a
função de registro do sítio (dos objetos encontrados e da nova paisagem que se revela a
cada escavação) e de preservação de memória (do próprio sítio e seus achados e da
equipe em determinada campanha de escavação). Em última análise, trata-se de discutir a
fotografia como ferramenta fundamental em captar o fazer arqueológico na paisagem do
Mediterrâneo e no resgate de um passado refletido no presente. Para tanto,
apresentaremos um breve panorama da constituição da Arqueologia Clássica e do
Mediterrâneo enquanto disciplina científica no Brasil, assim como um breve histórico da
pesquisa arqueológica no santuário de Apolo na pequena ilha de Despotiko, no Mar Egeu.
A fotogrametria, uma técnica derivada da fotografia, também será apresentada como uma
das ferramentas mais atuais para o registro de construções antigas em escavações.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ANGLIKER, E. Worshiping the Divinities at the Archaic Sanctuaries on the Cyclades.

In: MAZARAKIS-ANIAN, A. (Orgs.). Les sanctuaires archaïques des Cyclades.

Rennes: PU de Rennes, 2017.

BARTHES, Roland. A câmara clara: nota sobre a fotografia. [Tradução de Júlio Castañon Guimarães]. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1984.

BONFÁ, D. Antiguidade, identidade e os usos do passado. Revista Est. Fil e Hist. Da Antiguidade, Campinas, v. 30, p. 11-32, jan.-dez. 2016.

CERQUEIRA, F.V. Uma trajetória de pesquisador na Arqueologia Clássica: entre música e imagem, uma Grécia múltipla. In: GRILLO, J; FUNARI, P; CARVALHO, A. (Orgs.). Os caminhos da Arqueologia Clássica no Brasil. São Paulo: Annablume, 2013.

CONSTANTAKOUPOLOU, C. The Dance of the Islands: Insularity, Networks, the Athenian Empire, and the Aegean World. Oxford: Oxford University Press, 2010.

FUNARI, P. P. A. Arqueologia Clássica: Considerações epistemológicas. In: BRUNO, M. C. O.; CERQUEIRA, F. V.; FUNARI, P. P, A. (Orgs.). Arqueologia do Mediterrâneo Antigo: Estudos em homenagem a Haiganuch Sarian. Campo Grande: Life Editora, 2011.

FUNARI, P. P. A Arqueologia no Brasil e no mundo: origens, problemáticas e

tendências. Cienc. Cult. São Paulo, v. 65, n. 2, p. 23-25, 2013. Disponível em:

<http://cienciaecultura.bvs.br/scielo.phpscript=sci_arttext&pid=S000967252013000200010&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 11 set. 2017.

KOURAYOS, Y. Despotiko: The Sanctuary of Apollo. Athens: Paul & Alexandra

Canellopoulos Foundation, 2012.

KOURAYOS, Y. Paros, Antiparos, Despotiko: From Prehistoric to Contemporary Times. Paros: Paros Municipality – Tourism and Development Committee, 2015.

KOURAYOS, Y.; DAIFA, K.; PAPAJANNI, K. The Sanctuary of Despotiko in the

Cyclades. Excavation 2001-2012. Archäologischer Anzeiger, v. 2, p. 93-174, 2012.

MAZARAKIS-ANIAN, A. (Orgs.) Les sanctuaires archaïques des Cyclades. Rennes: PU de Rennes, 2017.

PORTO, V. C. Questões gerais sobre Arqueologia. In: OMAR, E. El H. (Org.). Guarulhos tem História: Questões sobre História Natural, Social e Cultural. 1 ed. São Paulo: Amanda Gráfica e Editora, 2008.

SARIAN, H. Os caminhos de uma arqueologia clássica no Brasil. In: GRILLO, J; FUNARI, P; CARVALHO, A. (Orgs.). Os caminhos da Arqueologia Clássica no Brasil. São Paulo: Annablume, 2013.

SHANKS, M. The Archaeological Imagination. London: Routledge, 2016.

SHANKS, M.; SVABO, C. Archaeology and Photography: A Pragmatology. In: GONZALÉZRUIBAL, A. (Ed.). Reclaiming Archaeology: Beyond the Tropes of Modernity. London: Routledge, 2013.

SILVA, S. F. M.; MÜTZENBERG, D. & CISNEIROS, D. Arqueologia Visual: o uso das

imagens fotográficas na produção do conhecimento arqueológico e historiografia da

arqueologia. Revista do Museu de Arqueologia e Etnologia, n. 22, p. 137-156, 2012.

SILVA, W. S. Entre fotografias científicas e a ciência da fotografia. Revista do Museu de Arqueologia e Etnologia, São Paulo, n. 17, p. 435-444, 2007.

SYMANSKI L. C. P. Arqueologia histórica no Brasil: uma revisão dos últimos vinte anos. In: MORALES, W. F.; MOI, F. P. (Orgs.). Cenários regionais de uma arqueologia plural. São Paulo: Annablume, 2009.

TRIGGER, B. História do Pensamento arqueológico. São Paulo: Odysseus Editora, 2004.

Downloads

Publicado

2019-12-31

Como Citar

DA HORA, J. F.; LAKY, lilian de A.; DUARTE, C. W. G.; PERISSATO, F. Práxis arqueológica e fotografia no estudo da Grécia antiga: : a participação brasileira na escavação do santuário de Apolo em despotiko, Mar Egeu. Revista Arqueologia Pública, Campinas, SP, v. 12, n. 2[21], p. 202–221, 2019. DOI: 10.20396/rap.v12i2.8652951. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rap/article/view/8652951. Acesso em: 28 jan. 2023.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)