Caminhando pela História passada: um conto arqueológico

Autores

  • Alex da Silva Martire Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.20396/rap.v12i2.8653337

Palavras-chave:

História da Arqueologia. Histórico-Culturalismo. Processualismo. Pós-Processualismo. Teoria. Método

Resumo

Façamos um esforço de imaginação: como seria um diálogo entre Bruce Trigger e Gordon Childe? E se pudéssemos acompanhar suas discussões arqueológicas no pós-morte? Esse trabalho propõe, sob forma de conto literário, uma viagem pela História da Arqueologia, passando por autores de destaque nesse campo de conhecimento. Desse modo, construímos, junto com Bruce Trigger, um panorama da paisagem arqueológica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alex da Silva Martire, Universidade de São Paulo

Alex Martire é historiador (Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas - USP) e arqueólogo (Mestre e Doutor em Arqueologia pelo Museu de Arqueologia e Etnologia - USP), tendo desenvolvido sua pesquisa de Doutorado na área de Ciberarqueologia pelo MAE-USP. Tem experiência em História e Arqueologia Clássicas, especializando-se em Roma Antiga e Tecnologias voltadas à Arqueologia (Realidade Virtual e Aumentada). Sua dissertação de Mestrado versou sobre as técnicas e tecnologias empregadas na mineração romana antiga da Hispânia. Seu doutorado versou sobre a construção virtual e interativa da área de mineração antiga denominada Vipasca, ao sul de Portugal (atual Aljustrel). O pesquisador possui artigos publicados sobre o diálogo entre Realidade Virtual e Arqueologia em importantes eventos acadêmicos nacionais e internacionais, como o CAA (2016), a SVR (2014/2015) e a AIAC (2013). Atualmente, é pesquisador do Laboratório de Arqueologia Romana Provincial (LARP, MAE-USP; www.larp.mae.usp.br), sendo responsável pelo desenvolvimento da área de ciberarqueologia, à qual é o primeiro a ter projeto de pesquisa acadêmico registrado em âmbito nacional (financiado pela FAPESP). Os trabalhos ciberarqueológicos dirigidos pelo pesquisador no LARP já foram objetos de pauta em meios midiáticos impressos e digitais.É coordenador do Grupo de Pesquisa no CNPq "ARISE - Arqueologia Interativa e Simulações Eletrônicas" (www.archarise.com.br), analisando arqueojogos e sua influência na cultura atual. Também desenvolve, junto ao Museu Municipal de Aljustrel (Portugal), projetos interativos ciberarqueológicos sobre o patrimônio histórico e arqueológico local.

Referências

BINFORD, L. An archaeological perspective. New York: Seminar Press, 1972.

CLARKE, D. Introduction and Polemic. In: MURRAY; T. & EVANS, C. Histories of Archaeology. Oxford: Oxford University Press, 2008.

COURBIN, P. What is Archaeology? An essay on the nature of archaeological research. Chicago: The University of Chicago Press, 1988.

FOWLER, D.D. Archaeology in the service of the State. In: MURRAY; T. & EVANS, C., Histories of Archaeology. Oxford: Oxford University Press, 2008.

GAMBLE, C. Archaeology: the basics. London: Routledge, 2004.

JONES, S. The archaeology of ethnicity: constructing identities in the past and present. London: Routledge, 1997.

LUMBRERAS, L. La arqueología como ciencia social. Lima: Ed. Histar, 1974.

TRIGGER, B. Aims in Prehistoric archaeology. In: Time and Traditions: essays in archaeological interpretation. New York: Columbia University Press, 1978.

TRIGGER, B. História do pensamento arqueológico. São Paulo: Odysseus Editora, 2004.

Downloads

Publicado

2018-12-27

Como Citar

MARTIRE, A. da S. Caminhando pela História passada: um conto arqueológico. Revista Arqueologia Pública, Campinas, SP, v. 12, n. 2[21], p. 222–237, 2018. DOI: 10.20396/rap.v12i2.8653337. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rap/article/view/8653337. Acesso em: 5 fev. 2023.

Edição

Seção

Ensaios