Detectando a Antártica

exposição sensorial na Antártica no Espaço do conhecimento UFMG, Brasil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/rap.v14i1.8660182

Palavras-chave:

Arqueologia histórica, Antártica, Sentidos, Corporalidade, Exposição sensorial, Medição

Resumo

Recheado de superlativos, o continente antártico é tido como o território mais desértico, frio e selvagem de todos, enquanto a Arqueologia costuma ser associada a um universo de aventuras. Refletindo sobre essas questões - e realizando uma crítica às tradicionais formas de divulgação científica sobre Arqueologia e Antártica – o LEACH-UFMG tem proposto trabalhos que estimulem a comunicação não-direcionada acerca de ambos. Partindo de recursos como exposições, teatros, histórias em quadrinhos, álbuns de figurinhas e outros, a proposta é nos apropriar dos elementos que frequentemente tornam a Arqueologia e a Antártica fascinante para as pessoas, sem, contudo, fazer as simplificações e reducionismos, que esses canais normalmente fazem. De forma específica nesse trabalho, iremos relatar a experiência realizada no Espaço do Conhecimento da UFMG, a qual se caracterizou por uma exposição sensorial fruto do trabalho colaborativo entre os projetos Mediantar (Medicina Antártica), Mycoantar (Microbiologia Antártica) e Paisagens em Branco (Arqueologia e Antropologia Antártica) todos sediados na UFMG. A exposição foi denominada “Expedição Antártica” e esteve em exibição entre 07 de dezembro de 2017 e 20 de Maio de 2018 e contou com 30573 visitantes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fernanda Codevilla Soares , Universidade Federal de Minas Gerais

Doutora em Quaternário, Materiais e Cultura pela Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro. Pós-doutorado no Laboratório de Estudos Antárticos em Ciências Humanas pela Universidade Federal de Minas Gerais.

Andrés Zarankin , Universidade Federal de Minas Gerais

Doutor em História pela Universidade Estadual de Campinas. Pós-Doutorado no Instituto de Filosofia e Ciências Humanas pela universidade Estadual de Campinas e pós-doutorado pelo Consejo Nacional de Investigaciones Cientificas y Tecnicas. Professor em Arqueologia pela Universidade Federal de Minas Gerais.

Referências

BEZERRA, Márcia. As moedas dos índios: um estudo de caso sobre os significados do patrimônio arqueológico para os moradores da Vila de Joanes, Ilha de Marajó, Brasil. Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi. Ciências Humanas, Belém, v. 6, n. 1, p. 57-70, 2011.

BEZERRA, Márcia. Os sentidos contemporâneos das coisas do passado: reflexões a partir da Amazônia. Revista de Arqueologia Pública, Campinas, n. 7, p. 107–122, 2013.

CRUZ, Maria Jimena. Incorporando comidas e contextos: a alimentação dos grupos foqueiros nas Shetland do Sul (Antártica, século XIX), 2014. Belo Horizonte: Universidade Federal de Minas Gerais (Dissertação de Mestrado, Programa de Pós-Graduação em Antropologia). Universidade Federal de Minas Gerais, 2014.

FERREIRA, Juliana e SÁ, Alice. Antártica esfria o verão de Belo Horizonte. Catálogo Exposição Expedição Antártica, dezembro de 2017 a maio de 2018. Belo Horizonte: UFMG, 2019, p. 88–92.

FUNARI, Pedro Paulo. Etnicidad, Identidad y Cultura Material: Un Estudio del Cimarrón Palmares, Brasil, Siglo XVII. In: ZARANKIN, Andres e ACUTO, Felix (Org.). Sed Non Satiata: Teoría Social en la Arqueología Latinoamericana Contemporánea. Buenos Aires: Del Tridente, Buenos Aires, 1999. p. 77-96

LIMA, Tania Andrade. El Huevo de la Serpiente: Una Arqueología del Capitalismo Embrionario en el Rió de Janeiro del Siglo XIX. In: ZARANKIN, Andres e ACUTO, Felix (Org.). Sed Non Satiata: Teoría Social en la Arqueología Latinoamericana Contemporánea. Buenos Aires: Del Tridente, Buenos Aires, 1999. p.189-238.

MADDISON, Ben. Class and colonialism in Antarctic Exploration, 1750 – 1920. London: Pickering and Chatto Publishers, 2014.

MATTOS e SILVA, 2019 Uma expedição no museu. Catálogo Exposição Expedição Antártica, dezembro de 2017 a maio de 2018. Belo Horizonte: UFMG, 2019. p. 38–75.

MERRIMAM, Nick. Public Archaeology. London: Routledge, 2004.

MCGUIRE, Randall H. A Arqueologia como ação política: o projeto Guerra do Carvão do Colorado. Revista do MAE, São Paulo, supl. 3, p. 387-397, 1999.

LEMOS, Caroline Murta. Se me der licença, eu entro; se não der, eu vou embora: Patrimônio e Identidade na comunidade quilombola Chacrinha dos Pretos (Belo Vale/MG). Belo Horizonte: Universidade Federal de Minas Gerais, 2014 (Dissertação de Mestrado. Belo Horizonte: Programa de Pós-Graduação em Antropologia). Universidade Federal de Minas Gerais, 2014.

NOLASCO, Raquel Caldas. Pessoas, mamíferos marinhos e objetos - um olhar simétrico sobre a Antártica do século XIX. Belo Horizonte: Universidade Federal de Minas Gerais, 2018 (Dissertação de Mestrado. Belo Horizonte: Programa de Pós-Graduação em Antropologia). Universidade Federal de Minas Gerais, 2018.

PAGLIOTO, Bárbara; LUIZ, Wellington; REIS, Creuza; BARBOZA, Jonathan; NOBEL, Luiza; ANDRADE, Paula; FREITAS, Roberth; OLIVEIRA, David; ZEFERINO, Natália; CARMO, Giovanna; ALMEIDA, Priscila; SILVEIRA, Tamires e DANNER, Welerson. Expedição Antártica: conhecer um novo mundo. Catálogo Exposição Expedição Antártica, dezembro de 2017 a maio de 2018. Belo Horizonte: UFMG, 2019. p. 83–87.

RADICCHI, Gerusa de Alkmim. Os sapatos dos lobeiros-baleeiros: práticas de calçar do século XIX nas Ilhas Shetland do Sul (Antártica). Belo Horizonte: Universidade Federal de Minas Gerais, 2015. (Dissertação de Mestrado. Programa de Pós-Graduação em Antropologia). Universidade Federal de Minas Gerais, 2015.

SALERNO, Melisa. Arqueología de la indumentaria. Prácticas e identidad en los confines del mundo moderno (Antártida, siglo XIX). Buenos aires: Del tridente, 2006.

SALERNO, Melisa. Zapatos rotos: una aproximación al calzado en arqueología histórica - el caso de la colección antártica (siglo XIX). Actas del VI Congreso Argentino de Americanistas. Buenos Aires: Dunken, 2009.

SENATORE, Maria Ximena; ZARANKIN, Andres. Against the domain of master narratives: Archaeology and Antarctic history. In: GNECCO, Cristóbal; LAGENBAEK, Carl. (orgs). Against typological tyranny in archaeology, New York: Springer, 2014. p.121-132.

SOARES, Fernanda Codevilla, PENA, Will Lucas Silva; JÓIA, Taísa Corrêa; ROSA, Luiz Alberto. A (des) construção da embriaguez em solos antárticos. In: SOARES, Fernanda Codevilla. (Org.). Comida, cultura e sociedade: Arqueologia da Alimentação no Mundo Moderno. Recife: Editora da UFPE, 2016. p. 139-168.

SOARES, Fernanda Codevilla e GARDIMAN, Gilberto Guitte. Mais uma dose: análise arqueobotânica do consumo de cerveja nas Shetland do Sul (Antártica). Revista Habitus, Goiânia, v. 15, n. 2, p. 273-299. 2017.

SOARES, Fernanda Codevilla e MOTA, Matheus M. Arqueologia digital abaixo de zero: uma proposta de mediação para a arqueologia antártica. Vestígios. Revista Latino-Americana de Arqueologia Histórica, Belo Horizonte, v. 11, n. 1, p. 19-39, 2017.

SOARES, Fernanda Codevilla; NOLASCO, Raquel Caldas; MOTA, Matheus M. Antarctic Digital Public Archaeology. In: HEADLAND, Roland e LINTOTT, Bryan. Historical Antarctic Sealing Industry. Cambridge: Scott Pollar Research Institute, 2018. p. 139-145.

SOARES, Fernanda Codevilla; PENA, Will Lucas Silva; AMORIM, Clarice Linhales. Um fio de fumaça nos mares do sul cachimbos de caulim e masculinidades nas Ilhas Shetland do Sul (séculos XVIII e XIX). Revista de Arqueologia a SAB, v. 32, n. 1, p. 129–159, 2019.

ZARANKIN, Andres e SENATORE, Maria Ximena. Historias de un pasado em blanco. Arqueología histórica antartica. Belo horizonte: Argumentum, 2007.

ZARANKIN, Andres; HISSA, Sarah; SALERNO, Melisa; FRONER, Yacy-Ara; RADICCHI, Gerusa; ASSIS, Luís Guilherme; BATISTA, Anderson. Paisagens em branco: arqueologia e antropologia antárticas - avanços e desafios. Vestígios. Revista Latino-Americana de Arqueologia Histórica, Belo Horizonte, v. 5, n. 2, p. 9-52, 2011.

Downloads

Publicado

2020-06-22

Como Citar

SOARES , F. C.; ZARANKIN , A. . Detectando a Antártica: exposição sensorial na Antártica no Espaço do conhecimento UFMG, Brasil. Revista Arqueologia Pública, Campinas, SP, v. 14, n. 1, p. 182–198, 2020. DOI: 10.20396/rap.v14i1.8660182. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rap/article/view/8660182. Acesso em: 7 out. 2022.

Edição

Seção

Ensaios