Banner Portal
Arqueologia de gênero e o estudo das mulheres romanas
PDF

Palavras-chave

Arqueologia de gênero
Pompeia
Pinturas parietais
Mulheres
Roma antiga

Como Citar

ISBAES, Gabriela. Arqueologia de gênero e o estudo das mulheres romanas: perspectivas a partir das pinturas de Pompéia. Revista Arqueologia Pública, Campinas, SP, v. 16, n. 1, p. 49–70, 2021. DOI: 10.20396/rap.v16i1.8663913. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rap/article/view/8663913. Acesso em: 15 abr. 2024.

Resumo

A Arqueologia de Gênero se consolidou como campo de estudo no século XX, em meio às ações feministas que atingiam as ciências humanas, bem como pelo desenvolvimento da corrente pós-processualista na Arqueologia. A partir do estudo das fontes arqueológicas dentro dessas perspectivas, compreendeu-se que as subjetividades femininas foram diversas ao longo do tempo, e que nem sempre houve aceitação passiva à lógica patriarcal, argumento até então ditado pelas correntes cientificistas modernas. Destaca-se a importância da cultura material para a construção dos saberes sobre as mulheres romanas, haja vista que as pesquisas clássicas se mantiveram, por muito tempo, permeadas por perspectivas masculinizantes. Para tanto, é trazida uma seleção de pinturas parietais da cidade de Pompeia, as quais demonstram papéis e vivências desenvolvidos pelas mulheres romanas que se desvinculem de uma leitura estritamente patriarcal da antiguidade.

https://doi.org/10.20396/rap.v16i1.8663913
PDF

Referências

ALDRETE, Gregory S. Daily life in the roman city: Rome, Pompeii and Ostia. Westport: Greenwood Press, 2004.

BEARD, Mary. The fires of Vesuvius: Pompeii lost and found. Cambridge (Massachusetts): Harvard Univesity Press, 2008.

BÉLO, Tais Pagoto. Os estudos de gênero na arqueologia. In: FUNARI, Pedro Paulo Abreu; CAMARGO, Vera Regina Toledo. Divulgando o patrimônio arqueológico. Rio de Janeiro: Bonecker, 2018, p. 31-42.

BEAUVOIR, Simone de. O segundo sexo. A experiência vivida. 2ª ed. São Paulo: Difusão Europeia do Livro, 1967.

BROWN, Shelby. Feminist research in Archaeology: what does it mean? Why is it taking so long? In: RABINOWITZ, Nancy Sorkin; RICHLIN, Amy. Feminist Theory and the classics. Londres: Routledge, 1993.

BROWN, Shelby. “Ways of seeing” women in antiquity: An introduction to feminism in classical archaeology and ancient art history. In: KOLOSKI-OSTROW, Ann Olga; LYONS, Claire (Orgs.). Naked Truths: Women, Sexuality and Gender in Classical Art and Archaeology. Londres: Routledge, 1997, p. 12-42.

BRUMFIEL, Elizabeth M. Methods in feminist gender archaeology: a feeling for difference – and likeness. In: NELSON, Sarah Milledge. Handbok of gender in Archaeology. Berkeley: Altamira Press, 2006, p. 31-58.

BUTLER, Judith. Problemas de gênero: feminismo e subversão da identidade. Tradução: Renato Aguiar. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003.

CAVICCHIOLI, Marina Regis. As representações da sexualidade na iconografia pompeiana. 2004. Dissertação (mestrado em História). Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Estadual de Campinas, 2004.

CAVICCHIOLI, Marina Regis. A sexualidade no olhar: um estudo da iconografia pompeiana. 2009. Tese (doutorado em História), Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Estadual de Campinas, 2009.

CAVICCHIOLI, Marina Regis. A posição da mulher na Roma Antiga: do discurso acadêmico ao ato sexual. In: FUNARI, Pedro Paulo Abreu; FEITOSA, Lourdes Madalena Gazarini Conde; SILVA. Glaydson José. Amor, desejo e poder na Antiguidade. Relações de Gênero e representações do feminino. São Paulo: Fap-Unifesp, 2014.

COLLIN, Françoise. Diferenças dos sexos (teorias da). In: HIRATA, Helena; LABORIE, Françoise; LE DOARÉ, Hélène; SENOTIER, Danièle. Dicionário crítico do feminismo. São Paulo: Editora UNIFESP, 2009, p. 59-66.

CULLEN, Tracey. Contributions to feminism in archaeology. American Journal of Archaeology, Boston, v. 100, n. 02, p. 409-414, abr. 1996. Disponível em: https://www.jstor.org/stable/506907#metadata_info_tab_contents. Acesso em: 29 dez. 2020.

DÍAZ-ANDREU, Margarita. Arqueologia crítica e humanista. São Paulo: Fonte Editorial/CNPQ, 2019.

FALCÓ MARTÍ, Ruth. La arqueología del género: Espacios de mujeres, mujeres con espacio. Valência: Universidad de Alicante/Centro de Estudios sobre la Mujer, 2003.

FEITOSA, Lourdes Madalena Gazarini Conde. Amor e sexualidade: o masculino e o feminino em grafites de Pompéia. São Paulo: Annablume/Fapesp, 2005.

FEITOSA, Lourdes Madalena Gazarini Conde. Teoria da História e questões de gênero na Antiguidade Clássica. In: RAGO, Margareth; GIMENES, Renato Aloizio de Oliveira (Orgs.). Narrar o passado, repensar a História. Campinas, SP: UNICAMP/IFCH, 2014.

FINLEY, Moses Isaac. Aspectos da Antiguidade. Tradução: Marcelo Brandão Cipolla. São Paulo: Martins Fontes, 1991.

FUNARI, Pedro Paulo Abreu. Romanas por elas mesmas. Cadernos Pagu, Campinas, n. 5, p. 179-200, 1995. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cadpagu/article/view/1855/1976. Acesso em: 15 out. 2020.

FUNARI, Pedro Paulo Abreu. Resenha: SAURON, Gilles. La Grande Fresque de la Villa des Mystères à Pompéi. Mémoires d’une Dévote de Dionysos. História Questões e Debates, Curitiba, n. 34, p. 283-286, 2001. Disponível em: https://www.academia.edu/4868644/Avila_dos_mist%C3%A9rios_em_Pompeia. Acesso em: 05 jan. 2021.

FUNARI, Pedro Paulo Abreu; SILVA, Glaydson José. Teoria da História. São Paulo: Brasiliense, 2008.

FUNARI, Pedro Paulo Abreu; GRILLO, José Geraldo da Costa. Arqueologia clássica: o cotidiano de gregos e romanos. Curitiba: Editora Prismas, 2015.

MAIURI, Amedeo. La peinture romaine. Suíça: Copyright, 1953.

MCCLEES, Helen. A study of women in attic inscriptions. Nova York: Columbia University Press, 1920.

MONTSERRAT, Dominic. Essay six: Reading gender in the Roman world. In: HUSKINSON, Janet (Org.). Experiencing Rome. Culture, identity and power in the Roman Empire. Londres: Routledge, 2000.

PARRA, Amanda Giacon. As religiões em Roma no Principado: Petrônio e Marcial (séculos I e II d.C.). 2010, 145 f. Dissertação (mestrado em História), Faculdade de Ciências e Letras de Assis, UNESP, Assis, 2010.

PERROT, Michelle. História (sexuação da). In: HIRATA, Helena; LABORIE, Françoise; LE DOARÉ, Hélène; SENOTIER, Danièle. Dicionário crítico do feminismo. São Paulo: Editora UNIFESP, 2009, p. 111-115.

POMEROY, Sarah. Diosas, rameras, esposas y esclavas. Mujeres en la antiguedad clássica. Tradução: Ricardo Lezcano Escudero. 3ª ed. Madrid: Akal, 1999.

RABINOWITZ, Nancy Sorkin. Introduction. In: RABINOWITZ, Nancy Sorkin; RICHLIN, Amy. Feminist Theory and the classics. Londres: Routledge, 1993.

REVELL, Louise. Romanization: a feminist critique. Moore, A., Taylor, G., Harris, E., Girdwood, P., and Shipley, L. (eds.). TRAC 2009: Proceedings of the Nineteenth Annual Theoretical Roman Archaeology Conference. Oxford: Oxbow Books, 2010, p. 1-10.

SANFELICE, Pérola de Paula. Pinturas parietais em Pompéia: representações femininas. Cadernos de Clio, Curitiba, n. 2, p. 171-195, 2011. Disponível em: https://revistas.ufpr.br/clio/article/viewFile/40481/24702. Acesso em: 20 dez. 2020.

SANFELICE, Pérola de Paula. Sob as cinzas do vulcão: representações da religiosidade e da sexualidade na cultura material de Pompéia durante o Império Romano. 2016. 286 f. Tese (doutorado em História), Faculdade de Ciências Humanas, Letras e Artes, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2016.

SCOTT, Joan Wallach. História das mulheres. In: BURKE, Peter (Org.). A escrita da história: novas perspectivas. Tradução de Magda Lopes. São Paulo: Editora UNESP, 1992, p. 63-95.

SPENCER-WOOD, Suzanne M. Feminist research in Classical Archaeology. In: NELSON, Sarah Milledge (Org.). Handbok of gender in Archaeology. Berkeley: Altamira Press, 2006, p. 295-329.

SILVA, Jacilene Maria. Feminismo na atualidade: a formação da quarta onda. Recife: Independently published, 2019.

SØRENSEN, Marie Louise Stig. Gender Archaeology. Cambridge: Polity Press, 2000.

SØRENSEN, Marie Louise Stig. Gender, things and material culture. In: NELSON, Sarah Milledge. Handbok of gender in Archaeology. Berkeley: Altamira Press, 2006, p. 105-137.

ZARANKIN, Andrés. El pensamiento moderno y el pensamiento pós-moderno en Arqueología. In: RAGO, Margareth; GIMENES, Renato Aloizio de Oliveira (Orgs.). Narrar o passado, repensar a História. Campinas, SP: UNICAMP/IFCH, 2014, p. 353-373.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License.

Copyright (c) 2021 Revista Arqueologia Pública

Downloads

Não há dados estatísticos.