A Política de C&T Brasileira: três alternativas de explicação e orientação

Autores

  • Renato Dagnino Universidade Estadual de Campinas
  • Rafael Dias Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.20396/rbi.v6i2.8648952

Palavras-chave:

Produção de conhecimento. América Latina. Gestor de P&D. Avaliador da PCT. Analista da PCT.

Resumo

A idéia de que o avanço da Ciência e Tecnologia (C&T) necessariamente leva ao progresso social permeia a política científica e tecnológica (PCT) das sociedades contemporâneas. No caso da América Latina, em que se observa uma fratura entre o conhecimento produzido e as necessidades sociais, essa idéia parece fazer ainda menos sentido do que nos países avançados. Baseados em críticas que essa idéia tem merecido de pesquisadores latino-americanos desde a década de 1960, mostramos aqui como elas poderiam ser hoje entendidas nos países da região a partir de uma estilização de como três importantes atores que participam dessa política – o gestor da pesquisa e desenvolvimento (P&D), o avaliador da PCT e o analista da PCT – a visualizam. Mediante esse recurso de exposição, e particularizando para o caso brasileiro, identificamos incoerências da PCT e mostramos sua relação com a visão triunfalista acerca da C&T ainda predominante. Argumentamos, também, sobre a necessidade de adotar uma postura crítica em relação às concepções Instrumental e Determinista da Tecnociência de modo a tornar a PCT mais coerente com as especificidades da região e com o processo de transformação em curso em vários dos países que a integram.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Renato Dagnino, Universidade Estadual de Campinas

Professor Titular do Departamento de Política Científica e Tecnológica da Universidade Estadual de Campinas.

Rafael Dias, Universidade Estadual de Campinas

Doutorando do Departamento de Política Científica e Tecnológica da Universidade Estadual de Campinas

Referências

Albuquerque, E.M. (2003) “Patentes e atividades inovativas: uma avaliação preliminar do caso brasileiro”, in Viotti, E.B.; Macedo, M.M. (orgs.) Indicadores de ciência, tecnologia e inovação no Brasil, Campinas: Editora da Unicamp, 2003.

Arriete, L.F.M., “A política científica e tecnológica em Cuba: avaliação e elementos para seu aperfeiçoamento”, Tese de Doutorado, Campinas: DPCT/IG/UNICAMP, 1998.

Arruda, M. et al, Inovação tecnológica no Brasil: a indústria em busca da competitividade global, São Paulo: ANPEI, 2006.

Carneiro Júnior, S.; Lourenço, R., “Pós-graduação e pesquisa na universidade”, in Viotti, E.B.; Macedo, M.M. (orgs.), op. cit. Commission of European Communities, “Communication from the Commission of European Communities”, 499, 2002.

Dagnino, R.P.; Thomas, H., “Os caminhos da política científica e tecnológica latino-americana e a comunidade de pesquisa: ética corporativa ou ética social?”. Avaliação — Revista da Rede de Avaliação Institucional da Educação Superior. Campinas: v.1, n.3, 1998.

Dagnino, R.P., A reflexão sobre Ciência – Tecnologia – Sociedade na América Latina, Taubaté: Cabral Editora Universitária, 2002.

Dagnino, R.P., “How Europeans researchers see Latin American science and technology policy”, SPRU, Brighton, mimeo, 1993. Dagnino, R.P., “Enfoques sobre a relação ciência, tecnologia e sociedade: neutralidade e determinismo”, Campus OEI, 2000.

Dagnino, R.P., “A relação pesquisa-produção: em busca de um enfoque alternativo”, in Santos, L.W. et al. (orgs.), Ciência, Tecnologia e Sociedade: o Desafio da Interação, Londrina: IAPAR, 2004.

Dagnino, R.P., “Conversa com um engenheiro que foi a Cuba”. DataGramaZero –Revista de Ciência da Informação, 2006, Disponível em http://www.dgz.org.br/fev06/Art_03.htm

Dagnino, R.P., Ciência e Tecnologia no Brasil: o processo decisório e a comunidade de pesquisa, Campinas: Editora da Unicamp. No prelo, 2007a.

Dagnino, R.P., Um Debate sobre a Tecnociência: neutralidade da ciência e determinismo tecnológico, Campinas: Editora da Unicamp. No prelo, 2007b.

Dagnino, R.P. et al., Gestão estratégica da inovação: metodologias para análise e implementação. Taubaté: Cabral Editora, 2002.

Dagnino, R.P., “Por uma política de ciência e tecnologia de esquerda”, Alternativas – Serie Espacios Pedagógicos, vol. 8 n° 23, 2003.

Dagnino, R.P., “Sobre o marco analítico-conceitual da tecnologia social”, in Fundação Banco do Brasil, Tecnologia social: uma estratégia para o desenvolvimento, Rio de Janeiro: Fundação Banco do Brasil, 2004.

Dias, R., A PCT latino-americana: relações entre enfoques teóricos e projetos políticos, Dissertação de Mestrado, Campinas: DPCT/IG/UNICAMP, 2005.

Gomes, E.J., “A relação universidade-empresa no Brasil: testando hipóteses a partir do caso da UNICAMP”, Tese de Doutorado, Campinas: DPCT/IG/UNICAMP, 2001.

Herrera, A.O. et al., Las Nuevas Tecnologías y el Futuro de la América Latina: Riesgo y Oportunidad, México, DF: Siglo XXI, 1994.

Herrera, A., “Desenvolvimento e meio ambiente”, in Dagnino, R.P. (org.), Amílcar Herrera: um intelectual latino-americano, Campinas: Unicamp, 2000.

Hirsch-Kreinsen, H. et al., “Low-tech industries and the knowledge economy: state of the art and research challenges”, ago., 2003.

IBGE, Pesquisa Industrial de Inovação Tecnológica, Rio de Janeiro: IBGE, 2005.

Lamar, A.R., A crise do bloco socialista e a política de C&T em Cuba: O caso do Instituto Superior de Ciências Agropecuárias de Havana, Dissertação de Mestrado, Campinas: DPCT/IG/UNICAMP, 1995.

Leta, J.; Brito Cruz, C.H., “A produção científica brasileira”, in Viotti, E.B.; Macedo, M.M. (orgs.), Indicadores de ciência, tecnologia e inovação no Brasil, Campinas: Editora da Unicamp, 2003.

National Science Foundation, “Industrial funding of academic R&D continues to decline in FY 2004”, NSF Science Resources Statistics, 2006.

Nelson, R.R., As fontes do crescimento econômico, Campinas: Editora da Unicamp, 2006.

Novaes, H.T., Para além da apropriação dos meios de produção?: o processo de Adequação Sociotécnica em fábricas recuperadas, Dissertação de Mestrado, Campinas: DPCT/IG/UNICAMP, 2005.

OCDE (1994) Science and technology policy, Review and Outlook, Paris: OCDE, 1994.

Oteiza, E.; Vessuri, H., Estudios sociales de la ciencia y la tecnología, Buenos Aires: Centro Editor de América Latina, 1993.

Rodriguez, R.D., Ofertismo em ciência, fluxo acrítico de tecnologias forâneas e enfoque gerencial: uma problematização da política científica e tecnológica cubana, Dissertação de Mestrado, Campinas: DPCT/IG/UNICAMP, 1997.

Sábato, J.A. (org.), El pensamiento latinoamericano en la problemática ciencia-tecnología-desarrollo-dependencia, Buenos Aires: Ed. Paidós, 1975.

Sábato, J.A., La Pampa pródiga: claves de una frustración, Buenos Aires: Cisea, 1980.

Sábato, J.A.; Botana, N., “La ciencia y la tecnología en el desarrollo futuro de América Latina”, Revista de la Integración, INTAL, Buenos Aires, ano 1, no 3, 1968.

Sarewitz, D., Frontiers of illusion: science, technology and politics of progress, Filadélfia: Temple University Press, 1996.

Silva, L.F., Ciência e tecnologia como Barbacã do capitalismo: um ensaio sobre a não-neutralidade, Dissertação de Mestrado, Campinas: DPCT/IG/UNICAMP, 2003.

Stal, E., et al., Inovação: como vencer esse desafio empresarial, São Paulo: Clio Editora, 2006.

Stefanuto, G.N., As empresas de base tecnológica de Campinas, Dissertação de Mestrado, Campinas: DPCT/IG/UNICAMP, 1993.

Stefanuto, G.N., O programa Softex e a indústria de software no Brasil, Tese de Doutorado, Campinas: DPCT/IG/UNICAMP, 2004.

Thomas, H.E., Dinâmica de inovação na Argentina (1970-1995): abertura comercial, crise sistêmica e rearticulação, Tese de Doutorado, Campinas: DPCT/IG/UNICAMP, 1999.

UNESCO, UNESCO Country Profiles 2005. Disponível em: https://www.uis.unesco.org.

Vaccarezza, L. S., “Ciencia, Tecnología y Sociedad: el estado de la cuestión en América Latina”, Revista Iberoamericana de Educación, n.18, set./dez., 1998.

Varsavsky, O., Por uma política científica nacional, Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1976.

Velho, L.; Saenz, T., “R&D in the public and private sectors in Brazil: complements or substitutes?”, UNU/INTECH Discussion Papers Series, 2002.

Vidal, M.C.; Mari, M., “La escuela latinoamericana de pensamiento en ciencia, tecnología y desarrollo: notas de un proyecto de investigación”, Revista Iberoamericana de Ciencia, Tecnología, Sociedad y Innovación, n.4, set./dez., 2002.

Downloads

Publicado

2009-08-18

Como Citar

DAGNINO, R.; DIAS, R. A Política de C&T Brasileira: três alternativas de explicação e orientação. Revista Brasileira de Inovação, Campinas, SP, v. 6, n. 2, p. 373–403, 2009. DOI: 10.20396/rbi.v6i2.8648952. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rbi/article/view/8648952. Acesso em: 8 fev. 2023.

Edição

Seção

Artigos